PT expulsa prefeito no RN por ter apoiado candidata do DEM. Essa onda pega…

Anna Ruth Dantas
Direto de Natal

O diretório estadual do Partido dos Trabalhadores (PT) no Rio Grande do Norte decidiu, por unanimidade, expulsar o prefeito da cidade de Antônio Martins (a 320 km de Natal), Edmilson Albuquerque. A reunião do diretório ocorreu na tarde deste sábado.

O gestor foi punido por infidelidade partidária, devido a ter apoiado a então candidata Rosalba Ciarlini (DEM), hoje governadora eleita, quando disputou o Executivo em 2010. A decisão do diretório estadual seguiu o encaminhamento feito pelo Conselho de Ética do partido.

Uma das provas anexadas no processo contra os políticos foi o documento chamado “Nota a população de Antônio Martins”, onde estão citados os “candidatos do prefeito”, com as fotografias de Rosalba Ciarlini (que disputou o governo pelo DEM), os senadores Garibaldi Alves Filho (PMDB) e José Agripino (DEM), e ainda os deputados federais Henrique Alves (PMDB) e Betinho Rosado (DEM).

Além de determinar a saída do prefeito de Antônio Martins, o diretório estadual do PT decidiu abrir processo de expulsão de cinco vereadores dessa mesma cidade, que também declararam apoio no pleito de 2010 a candidatos do DEM.

Fonte: Portal terra

Ministro do TSE determina recontagem que tira vaga de ex-BBB na Câmara

Republicamos a matéria abaixo do Portal Folha com o coração cheio de dúvidas: 1)  o entendimento do Ministro Marco Aurélio é majoritário? 2) Se majoritário for atingirá todos os Estados? 3) Foram computados para a legenda, por exemplo, os mais de 500 mil votos de Paulo Maluf ? 4) Se não foram, alem da proclamação dos atuais proclamados suplentes do PP ( no mínimo dois) quais deputados vão acordar sem mandato para 2011 em São Paulo?

O ministro do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) Marco Aurélio aceitou liminar para que a Justiça Eleitoral do Rio reconte os votos do PT do B para a Câmara dos Deputados.

A decisão tira a vaga do ex-BBB Jean Willys, eleito deputado federal pelo PSOL com 13.018 votos.

 

26.set.2007 – Ana Carolina Fernandes/Folhapress
Recontagem no TRE-RJ tira a vaga do ex-BBB Jean Willys, eleito deputado federal pelo PSOL com 13.018 votos
Recontagem no TRE-RJ tira a vaga do ex-BBB Jean Willys, eleito deputado federal pelo PSOL com 13.018 votos

Com 29.176 votos, Cristiano José Rodrigues de Souza pediu ao TSE que incluía no coeficiente partidário do PT do B o voto de 18 candidatos que tiveram o registro negado.

Se os 18.579 votos desses candidatos forem contabilizados, o PT do B ultrapassa o coeficiente partidário de 173.884 votos, o que garante Souza na Câmara dos Deputados pelo Rio.

Jean Willys deve sua eleição ao deputado Chico Alencar, segundo mais votado no Estado como 240.724 votos.

Ao aceitar o pedido liminar, Marco Aurélio citou o principio da fidelidade partidário e argumentou que os votos pertencem ao partido e não ao candidato.

Segundo ele, os candidatos que tiveram o registro negado não podem se eleger, mas o voto continua a ser contabilizado para o partido.

O ministro entendeu que o pedido é urgente porque a diplomação dos eleitos no Rio está marcada para o próprio dia 16. Cabe recurso da decisão ao plenário do TSE.

Fonte: folha.com/poder

Cartilha do PT faz balanço das eleições 2010. Os números e avalições do PT em todo Brasil.

5 governadores, 88 deputados federais, 149 deputados estaduais e 14 senadores foram eleitos pelo PT em 2010.

Escrito em 22 de novembro de 2010, às 16:48

Esses números mostram a consolidação da força de um partido que, nascido a partir daqueles que eram até então esquecidos pelo poder público, hoje tem a plena capacidade de ajudar os mais pobres como nenhum outro, tal como vem fazendo nos últimos oito anos.

Para mostrar mais sobre os resultados concretos dessa atuação, a cartilha “O Brasil vai seguir mudando com Dilma” traz um balanço completo do desempenho do Partido dos Trabalhadores em todo o país nestas eleições. São 65 páginas repletas de imagens e gráficos que mostram por que nosso esforço sempre vale a pena diante do reconhecimento do povo brasileiro.

Vale a pena consultar a cartilha. Clique aqui para fazer o download. CADERNOeleicoes_2T_2010-11-19 

Fonte: www.pauloteixeira13.com.br

Eleições 2010 Governador – Resultado Final em cada Estado e Região, 1º e 2º Turnos

REGIÃO NORTE
ELEIÇÕES 2010 ACRE – GOVERNADOR    
clas nome (partido) votos %    
Eleito 170.202 50,51%    
  165.705 49,18%    
           
ELEIÇÕES 2010 AMAPÁ – GOVERNADOR
    1º TURNO 2º TURNO
clas nome (partido) votos % votos %
Eleito 95.328 28,68%
170.277
53,77%
  93.695 28,19%    
2º Turno 96.165 28,93%
146.383
46,23%
           
ELEIÇÕES 2010 AMAZONAS – GOVERNADOR    
clas nome (partido) votos %    
Eleito 943.955 63,87%    
  382.935 25,91%    
  138.281 9,36%    
           
ELEIÇÕES 2010 PARÁ – GOVERNADOR
    1º TURNO 2º TURNO
clas nome (partido) votos % votos %
Eleito 1.720.631 48,92%
1.860.799
55,74%
  380.331 10,81%    
2º Turno 1.267.981 36,05%
1.477.609
44,26%
           
ELEIÇÕES 2010 RONDONIA – GOVERNADOR
    1º TURNO 2º TURNO
clas nome (partido) votos % votos %
Eleito 291.765 43,99%
422.707
58,68%
  120.462 18,16%    
2º Turno 246.350 37,14%
297.674
41,32%
           
ELEIÇÕES 2010 RORAIMA – GOVERNADOR
    1º TURNO 2º TURNO
clas nome (partido) votos % votos %
Eleito 99.124 45,03%
107.466
50,41%
  14.063 6,39%    
2º Turno 104.804 47,62%
105.707
49,59%
           
ELEIÇÕES 2010 TOCANTINS – GOVERNADOR    
clas nome (partido) votos %    
Eleito Siqueira Campos (PSDB) 349.592 50,52%    
  Carlos Gaguim (PMDB) 342.429 49,48%    
           
REGIÃO NORDESTE
ELEIÇÕES 2010 ALAGOAS – GOVERNADOR
    1º TURNO 2º TURNO
clas nome (partido) votos % votos %
Eleito 534.962 39,58%
712.789
52,74%
  389.337 28,81%    
2º Turno 394.155 29,16%
638.762
47,26%
           
ELEIÇÕES 2010 BAHIA – GOVERNADOR    
clas nome (partido) votos %    
Reeleito Wagner (PT) 4.101.270 63,83%    
  Paulo Souto (DEM) 1.033.600 16,09%    
  Geddel Vieira Lima (PMDB) 1.000.038 15,56%    
  Bassuma (PV) 253.523 3,95%    
           
ELEIÇÕES 2010 CEARÁ – GOVERNADOR    
clas nome (partido) votos %    
Reeleito Cid Gomes (PSB) 2.436.940 61,27%    
  Marcos Cals (PSDB) 775.852 19,51%    
  Lucio Alcantara (PR) 654.035 16,44%    
           
ELEIÇÕES 2010 MARANHÃO – GOVERNADOR    
clas nome (partido) votos %    
Reeleita Roseana (PMDB) 1.459.792 50,08%    
  Flávio Dino (PC do B) 859.402 29,49%    
  Jackson Lago (PDT) 569.412 19,54%    
           
ELEIÇÕES 2010 PARAIBA – GOVERNADOR
    1º TURNO 2º TURNO
clas nome (partido) votos % votos %
Eleito 942.121 49,74%
1.079.164
53,70%
  12.471 0,66%    
2º Turno 933.754 49,30%
930.331
46,30%
           
ELEIÇÕES 2010 PERNAMBUCO – GOVERNADOR    
clas nome (partido) votos %    
Reeleito Eduardo Campos (PSB) 3.450.874 82,84%    
  Jarbas (PMDB) 585.724 14,06%    
           
ELEIÇÕES 2010 PIAUÍ – GOVERNADOR
    1º TURNO 2º TURNO
clas nome (partido) votos % votos %
Eleito 725.563 46,37%
921.313
58,93%
  337.028 21,54%    
2º Turno 470.660 30,08%
642.165
41,07%
           
ELEIÇÕES 2010 RIO GRANDE DO NORTE – GOVERNADOR    
clas nome (partido) votos %    
Eleita Rosalba Ciarlini (DEM) 813.813 52,46%    
  Ibere (PSB) 562.256 36,25%    
  Carlos Eduardo (PDT) 160.828 10,37%    
           
ELEIÇÕES 2010 SERGIPE – GOVERNADOR    
clas nome (partido) votos %    
Reeleito Deda (PT) 537.223 52,08%    
  João Alves (DEM) 466.219 45,19%    
           
REGIÃO CENTRO OESTE
ELEIÇÕES 2010 DISTRITO FEDERAL – GOVERNADOR
    1º TURNO 2º TURNO
clas nome (partido) votos % votos %
Eleito 676.394 48,41%
875.612
66,10%
  199.095 14,25%    
2º Turno 440.128 31,50%
449.110
33,90%
           
ELEIÇÕES 2010 GOIAS – GOVERNADOR
    1º TURNO 2º TURNO
clas nome (partido) votos % votos %
Eleito 1.400.227 46,33%
1.551.132
52,99%
  502.462 16,62%    
2º Turno 1.099.552 36,38%
1.376.188
47,01%
           
ELEIÇÕES 2010 MATO GROSSO – GOVERNADOR    
  Nome (partido) votos %    
Eleito Silval Barbosa (PMDB) 759.805 51,21%    
  Mauro Mendes (PSB) 472.475 31,85%    
  Wilson Santos (PSDB) 245.527 16,55%    
           
ELEIÇÕES 2010 M GROSSO DO SUL 1º TURNO – GOVERNADOR    
  Nome (partido) votos %    
Reeleito Andre Puccinelli (PMDB) 704.407 56%    
  Zeca do Pt (PT) 534.601 42,50%    
           
REGIÃO SUDESTE
ELEIÇÕES 2010 ESPIRITO SANTO – GOVERNADOR    
clas nome (partido) votos %    
Eleito Renato Casagrande (PSB) 1.502.070 82,30%    
  Luiz Paulo (PSDB) 282.910 15,50%    
           
ELEIÇÕES 2010 MINAS GERAIS – GOVERNADOR    
clas nome (partido) votos %    
Eleito Antonio Anastasia (PSDB) 6.275.520 62,72%    
  Helio Costa (PMDB) 3.419.622 34,18%    
  Zé Fernando Aparecido (PV) 234.125 2,34%    
 
 
       
ELEIÇÕES 2010 RIO DE JANEIRO – GOVERNADOR    
clas nome (partido) votos %    
Reeleito Sergio Cabral (PMDB) 5.217.972 66,08%    
  Gabeira (PV) 1.632.671 20,68%    
  Fernando Peregrino (PR) 853.220 10,81%    
           
ELEIÇÕES 2010 SÃO PAULO – GOVERNADOR    
clas nome (partido) votos %    
Eleito Geraldo Alckmin (PSDB) 11.519.314 50,63%    
  Aloizio Mercadante (PT) 8.016.866 35,23%    
  Celso Russomanno (PP) 1.233.897 5,42%    
  Skaf (PSB) 1.038.430 4,56%    
  Fabio Feldmann (PV) 940.379 4,13%    
           
REGIÃO SUL
ELEIÇÕES 2010 PARANÁ – GOVERNADOR    
clas nome (partido) votos %    
Eleito Beto Richa (PSDB) 3.039.774 52,44%    
  Osmar Dias (PDT) 2.645.341 45,63%    
           
ELEIÇÕES 2010 RIO GRANDE DO SUL – GOVERNADOR    
clas nome (partido) votos %    
Eleito Tarso Genro (PT) 3.416.460 54,35%    
  Fogaça (PMDB) 1.554.836 24,74%    
  Yeda Crusius (PSDB) 1.156.386 18,40%    
           
ELEIÇÕES 2010 SANTA CATARINA – GOVERNADOR    
clas nome (partido) votos %    
Eleito Raimundo Colombo (DEM) 1.815.304 52,72%    
  Angela Amin (PP) 857.698 24,91%    
  Ideli Salvatti (PT) 754.223 21,90%    

Eleições 2010 Rio de Janeiro – Resultado geral final, os eleitos.

ELEIÇÕES 2010 RIO DE JANEIRO – PRESIDENTE DA REPÚBLICA
    1º TURNO 2º TURNO
clas nome (partido) votos % votos    %
Eleita 3.739.632 43,76% 4.934.077    60,48%
  2.693.130 31,52%    
2º Turno 1.925.166 22,53% 3.223.891    39,52%
           
ELEIÇÕES 2010 RIO DE JANEIRO – SENADORES    
clas nome (partido) votos %    
Eleito 4.213.749 28,65%    
Reeleito 3.332.886 22,66%    
  3.048.034 20,73%    
  1.627.050 11,06%    
  1.295.946 8,81%    
           
ELEIÇÕES 2010 RIO DE JANEIRO – DEPUTADOS FEDERAIS    
clas nome (partido) votos %    
1 694.862 8,69%    
2 240.724 3,01%    
3 165.630 2,07%    
4 157.580 1,97%    
5 150.616 1,88%    
6 146.859 1,84%    
7 146.260 1,83%    
8 142.714 1,78%    
9 138.811 1,74%    
10 129.515 1,62%    
11 120.646 1,51%    
12 105.406 1,32%    
13 99.457 1,24%    
14 98.280 1,23%    
15 98.164 1,23%    
16 95.412 1,19%    
17 86.162 1,08%    
18 85.660 1,07%    
19 85.358 1,07%    
20 84.452 1,06%    
21 84.006 1,05%    
22 82.832 1,04%    
23 80.862 1,01%    
24 77.800 0,97%    
25 74.312 0,93%    
26 73.185 0,91%    
27 72.824 0,91%    
28 72.822 0,91%    
29 72.589 0,91%    
30 71.036 0,89%    
31 65.826 0,82%    
32 63.119 0,79%    
33 57.549 0,72%    
34 57.018 0,71%    
35 52.123 0,65%    
36 51.933 0,65%    
37 51.203 0,64%    
38 51.011 0,64%    
39 44.355 0,55%    
40 44.236 0,55%    
41 41.480 0,52%    
42 33.856 0,42%    
43 29.248 0,37%    
44 29.009 0,36%    
45 22.619 0,28%    
46 13.018 0,16%    
           
ELEIÇÕES 2010 RIO DE JANEIRO – GOVERNADOR    
clas nome (partido) votos %    
Reeleito 5.217.972 66,08%    
  1.632.671 20,68%    
  853.220 10,81%    
           
ELEIÇÕES 2010 RIO DE JANEIRO – DEPUTADOS ESTADUAIS    
clas nome (partido) votos %    
1 528.628 6,38%    
2 177.253 2,14%    
3 134.515 1,62%    
4 121.684 1,47%    
5 118.863 1,43%    
6 112.676 1,36%    
7 111.407 1,34%    
8 96.034 1,16%    
9 91.774 1,11%    
10 89.553 1,08%    
11 87.210 1,05%    
12 83.254 1%    
13 77.061 0,93%    
14 75.707 0,91%    
15 74.336 0,90%    
16 69.571 0,84%    
17 67.035 0,81%    
18 62.599 0,76%    
19 62.522 0,75%    
20 61.294 0,74%    
21 59.220 0,71%    
22 58.322 0,70%    
23 55.831 0,67%    
24 55.484 0,67%    
25 0,66% 55.027    
26 52.525 0,63%    
27 52.099 0,63%    
28 49.839 0,60%    
29 47.939 0,58%    
30 45.541 0,55%    
31 45.046 0,54%    
32 44.549 0,54%    
33 44.135 0,53%    
34 44.015 0,53%    
35 43.607 0,53%    
36 43.215 0,52%    
37 42.398 0,51%    
38 39.740 0,48%    
39 39.730 0,48%    
40 39.537 0,48    
41 39.023 0,47%    
42 38.856 0,47%    
43 38.791 0,47%    
44 38.746 0,47%    
45 37.742 0,46%    
46 36.519 0,44%    
47 35.508 0,43%    
48 35.176 0,42%    
49 35.069 0,42%    
50 34.820 0,42%    
51 34.733 0,42%    
52 34.502 0,42%    
53 33.664 0,41%    
54 33.203 0,40%    
55 32.855 0,40%    
56 32.563 0,39%    
57 32.369 0,39%    
58 31.249 0,38%    
59 30.583 0,37%    
60 28.798 0,35%    
61 28.798 0,35%    
62 28.328 0,34%    
63 26.002 0,31%    
64 22.169 0,27%    
65 21.987 0,27%    
66 21.033 0,25%    
67 19.329 0,23%    
68 16.151 0,19%    
69 10.586 0,13%    
70 6.442 0,08%    

Dois terços dos eleitores não escolheram deputado federal, diz Datafolha

Instituto mostra Tiririca como 2º deputado mais votado da história, mas líder de 2010

Dois terços dos eleitores não escolheram deputado federal, diz Datafolha

Em campanha no bairro de Perus, na zona norte da capital, o líder de intenção de votos, Tiririca abraça eleitora (Foto: Divulgação)

São Paulo – Francisco Everardo Oliveira Silva pode superar a votação de Luiz Inácio Lula da Silva em 1986 e alcançar o segundo maior apoio da história do país. Como Tiririca (PR), o ator teria 3% das intenções de voto para deputado federal se a eleição fosse hoje, segundo pesquisa do Instituto Datafolha, divulgada neste domingo.

O levantamento mostra ainda que 66% dos entrevistados não escolheram candidato a duas semanas da eleição. O alto índice de indecisos permite reviravoltas e relativiza os números apresentados.

Se confirmado o percentual, Tiririca alcançaria 900 mil sufrágios, ficando atrás dos 1,5 milhão de Enéas Carneiro em 2002. O criador do Partido da Reedificação da Ordem Nacional (Prona), morto em 2007, angariou a maior quantidade de apoiadores da história.

O campeão de votos de 2006, Paulo Maluf (PP), aparece com 1% na pesquisa, ao lado de Márcio França (PSB). O ex-governador e ex-prefeito de São Paulo teria a adesão de 300 mil pessoas, menos da metade dos 739 mil do pleito anterior.

No Rio de Janeiro, terceiro maior colégio eleitoral do país, o ex-governador Anthony Garotinho (PR) e o apresentador Wagner Montes (PDT) lideram com 2%. Ambos chegaram a ser cotados para a disputa do Executivo estadual.

O ex-jogador Romário (PSB) aparece com 1% dos 11,5 milhões de votos fluminenses. É o mesmo percentual de Jair Bolsonaro (DEM), candidato à reeleição e um dos expoentes da extrema direita no país.

Outro membro bem cotado dos Democratas é Antonio Carlos Magalhães Neto, com 2% dos eleitores baianos. ACM Neto é seguido de Negromonte (PP) e José Rocha (PR).

No Rio Grande do Sul, o Datafolha vê Manuela D’Ávila (PCdoB) como mais votada, com 2% dos 8 milhões de eleitores. Ela repetiria a dose de 2006, mas agora, com 160 mil votos. O ex-goleiro do Grêmio, Danrlei, é o segundo colocado com 1%.

Os petistas Reginaldo Lopes e Gilmar Machado estão empatados com Jaiminho Martins (PR) na liderança entre os candidatos mineiros. O segundo maior colégio eleitoral tem outros três postulantes do PT entre os preferidos.

Alvo

Tiririca foi alvo, no horário eleitoral gratuito, de um candidato ao governo de São Paulo e dois concorrentes ao Legislativo federal. Paulo Skaf (PSB) criticou o palhaço por fazer brincadeira da política. Adilson Maguila Rodrigues (PTN) e Said Mourad (PSC) também criticaram o favorito.

Candidato em uma coligação que, além do PR, tem PT, PCdoB, PRB e PTdoB, ele foi criticado indiretamente até por Aloízio Mercadante (PT). O segundo colocado nas pesquisas ao Palácio dos Bandeirantes pediu seriedade no voto durante um dos debates na TV.

Apesar das críticas e de apresentar um slogan de campanha sem qualquer proposta (“pior que tá, não fica”), o site traz questões pontuais. Na seção com bandeiras de campanha, há ações ligadas ao incentivo ao circo e à cultura em áreas periféricas, ampliação do Bolsa Família, combate ao preconceito contra nordestinos e proteção aos trabalhadores da construção civil.

Fonte: Rede Brasil Atual

DATAFOLHA RJ : Lindberg (PT) cresce doze pontos e divide liderança com Crivella, Jorge Picciani (PMDB) ganha seis pontos e Cezar Maia (DEM) continua caindo.

Sérgio Cabral lidera com 58% das intenções de voto e Gabeira (PV) volta ao patamar que alcançou em julho

Faltando um mês para as eleições Datafolha revela manutenção da vantagem de Sérgio Cabral sobre o segundo colocado: Cabral tem 58% das intenções e Gabeira 18%. Em julho, Cabral tinha 53% indo a 57% na primeira pesquisa do mês de agosto. Ao final daquele mês oscilou um ponto percentual, indo a 56% e agora oscila mais dois pontos alcançando a 58%. Gabeira tinha 18% em julho, no início de agosto perdeu quatro pontos e foi a 14%, no final do mês recuperou três dos pontos perdidos chegando a 17% das intenções de voto. Agora oscilou positivamente um ponto e volta ao mesmo índice do final de julho.

A pesquisa foi realizada entre os dias 8 e 9 de setembro de 2010, com 1282 eleitores do Estado do rio de Janeiro, em 30 municípios, e a margem de erro para o total da amostra é de três pontos percentuais, para mais ou para menos.

No cálculo dos votos válidos, em que os indecisos, brancos e nulos são distribuídos proporcionalmente segundo o índice obtido por cada candidato, Cabral alcança 69%, o que é mais do que suficiente para vencer a eleição já no primeiro turno.

A seguir aparecem Peregrino (PR) com 3%, Eduardo Serra (PCB) e Cyro Garcia (PSTU) com 2% das intenções cada um, seguidos por Jefferson Moura (PSOL), com 1% das citações. Todos os nomes dos candidatos oficialmente registrados no TSE estavam presentes nos cartões apresentados aos entrevistados. Afirmaram votar em branco ou nulo, 8% dos entrevistados, mesma taxa dos que não sabem em quem votar.

Na capital fluminense Cabral tem 55% das intenções de voto (na pesquisa anterior tinha 57%) e Gabeira tem 24% das intenções, tendo oscilado três pontos em relação à última pesquisa. Entre os eleitores da região metropolitana, 59% afirmaram votar em Cabral e 20% em Gabeira. No interior, 57% preferem o atual governador e 12% votam no candidato verde.

A preferência por Cabral se destaca entre os eleitores mais velhos, com 64% das intenções de voto e entre os eleitores com ensino fundamental, com 63% das preferências.

Quanto à identificação partidária, entre aqueles que citaram o PMDB como a sigla preferida, 73% afirmaram votar no candidato do partido; entre aqueles que citaram PSDB como partido de preferência, 69% afirmaram votar em Cabral e entre os simpatizantes do PT, 74% preferem o governador. Entre aqueles que disseram votar em Dilma Rousseff (PT) para presidente do Brasil, 72% afirmaram votar também em Sérgio Cabral, entre os eleitores de José Serra (PSDB) e Marina Silva (PV), esses índices são 57% e 42%, respectivamente.

Gabeira obtém seus melhores índices entre o eleitorado de nível superior (36%). Quanto à renda familiar média, a escolha por Gabeira é tanto maior quanto mais ao topo da pirâmide social: entre aqueles que alegam possuir renda de cinco a dez salários mínimos, 25% são eleitores do candidato verde e entre aqueles que ganham mais de dez salários mínimos, 41% preferem Gabeira.

Entre os simpatizantes do PSDB, 17% afirmaram votar em Gabeira e entre os simpatizantes do PT, 12% escolheram o verde. Dos eleitores que disseram votar em Marina Silva (PV) para presidente, 37% afirmaram votar em Gabeira, entre os eleitores de José Serra (PSDB) e Dilma Rousseff (PT), esses números são 23% e 12%, respectivamente.

Na intenção de voto espontânea, resultado da pergunta aplicada pelos pesquisadores sem o estímulo da apresentação dos nomes dos candidatos, é alto o índice dos eleitores que não sabem em quem votar na eleição para governador do Estado do Rio de Janeiro, chegando a 45% do total. Sérgio Cabral aparece na frente, com 34% das intenções taxa essa que aumentou dezoito pontos percentuais de julho até agora (em julho a taxa era de 16% indo a 34% na última pesquisa). O ex-deputado Gabeira aparece com 9% das intenções de voto. Peregrino é citado por 1% dos entrevistados e os outros candidatos não chegaram a 1% das citações. Afirmaram votar em branco ou nulo 7% dos entrevistados e 3% citaram outras respostas.

Gabeira, do PV, é rejeitado por 33% dos entrevistados. Sérgio Cabral, do PMDB, é rejeitado por 16%, e a taxa dos que afirmaram não votar de jeito nenhum em Cyro Garcia, do PSTU e Peregrino, do PR chega a 22%. Não votam em Jefferson Moura (PSOL) 19% dos entrevistados e em Eduardo Serra do PCB, 15%. Afirmaram que votariam em qualquer um 12% dos entrevistados, 4% afirmaram rejeitar todos os candidatos e 10% não souberam responder.

A rejeição ao governador se concentra entre aqueles com idade de 25 a 34 anos (21%), entre aqueles com ensino superior (26%), bem como entre os entrevistados com renda familiar de mais de dez salários mínimos (30%). A rejeição a Cabral também se destaca entre os simpatizantes do PDT (33%), e entre os eleitores de Marina Silva (30%).

A rejeição a Gabeira se concentra entre os eleitores de 35 a 44 anos (37%), entre os mais velhos (39%), entre os simpatizantes do PT (45%) e entre os eleitores da candidata do PT à presidência, Dilma Rousseff (40%).

Também foi perguntado aos entrevistados em quem votariam no segundo turno se a disputa para governador do Estado do Rio de Janeiro ficasse entre Gabeira e Sérgio Cabral. Dos entrevistados, 64% responderam que votariam pela reeleição do Cabral, 26% escolheriam Gabeira, 7% votariam em branco ou anulariam o seu voto e 3% ainda não sabem.

Lindberg (PT) cresce doze pontos e divide liderança com Crivella
Jorge Picciani ganha seis pontos

Pesquisa Datafolha de intenção de voto para senador do Estado do Rio de Janeiro detecta mudança na preferência dos eleitores. Marcelo Crivella e Lindberg empatam na disputa ao senado com 40% e 36% das intenções de voto. Em terceiro lugar aparece César Maia (DEM) com 29% das intenções.

Na pesquisa realizada no início de agosto, Crivella tinha 40% das intenções de voto e liderava sozinho a disputa, perdeu três pontos na pesquisa seguinte indo a 37% e agora volta ao percentual de agosto, ficando com 40%. Lindberg tinha 22% no início de agosto, no final daquele mês oscilou dois pontos, indo a 24% e agora ganhou doze pontos e alcança 36% das intenções de voto. Considerando que a margem de erro para o total da amostra é de três pontos percentuais, Crivella poderia ter entre 43% e 37% e Lindberg poderia ter entre 39% e 33%, o que configura um empate técnico. Maia, no mesmo período tinha 33%, oscilou negativamente um ponto no final de agosto e agora oscilou negativamente três pontos e chega a 29% das menções.

Jorge Picciani, do PMDB, aparece com 22% (na pesquisa anterior tinha 16%). Waguinho (PTdoB) aparece com 7%, Marcelo Cerqueira (PPS) com 6%, Milton Temer (PSOL) com 4%. Carlos Dias (PTdoB) tem 2%, Wladimir Mutt (PCB), Heitor (PSTU) e Claiton (PSTU) são citados por 1% dos entrevistados.

Afirmaram votar e, branco ou nulo para uma das vagas 13% dos entrevistados e para as duas vagas 8% dos entrevistados. Não sabem para quem vai votar em uma das vagas, 20% dos entrevistados e 10% não sabe para quem votar nas duas vagas para o senado.

Na região metropolitana, 41% dos entrevistados preferem Crivella, 38% escolhem Lindberg e 27% votam em César Maia. No interior, Crivella aparece com 39% da preferência dos eleitores, 33% optam por Maia e 28% preferem Lindberg. Na capital, o senador Crivella tem 38%, Lindberg tem 36% e o ex-prefeito César Maia tem 28% das intenções.

O Datafolha ouviu 1282 eleitores no estado do Rio de Janeiro, entre os dias 8 e 9 de setembro e a margem de erro para o total da amostra é de três pontos percentuais, para mais ou para menos.

São Paulo, 10 de setembro de 2010

Pesquisa Datafolha: Vantagem de Dilma supera 31 milhões de votos

do Brasília Confidencial

DILMA3    A presidenciável do PT, Dilma Rousseff, alcançou vantagem de 23 pontos percentuais sobre o candidato das oposições ao Governo Lula, José Serra (PSDB), de acordo com a mais recente pesquisa realizada pelo instituto Datafolha para a Rede Globo e o jornal Folha de São Paulo. Entrevistados 11.660 eleitores em 414 municípios, na quarta e na quinta-feira, Dilma obteve 50% das intenções de voto – mesmo índice da pesquisa anterior – enquanto Serra oscilou de 28% para 27%. Marina Silva oscilou de 10% para 11%. 

    Convertidos os índices em números, Dilma teria 67,9 milhões; Serra ficaria em 36,6 milhões e Marina teria aproximadamente 15 milhões. Os 23 pontos de vantagem de Dilma sobre Serra equivalem a mais de 31,2 milhões.

    Calculados os votos válidos, segundo o Datafolha, Dilma teria 56% e conquistaria a Presidência da República já no primeiro turno. Para a hipótese de 2º turno, a simulação do Datafolha apontou 56% para a candidata do PT e 35% para o presidenciável do PSDB.

DISPUTAS ESTADUAIS

    Ontem, tanto o Datafolha quanto o Ibope divulgaram resultados de novas pesquisas sobre as eleições para governador.

 

PARANÁ

    A vantagem de Beto Richa (PSDB) sobre Osmar Dias (PDT), segundo o Datafolha, caiu de 13 para 6 pontos. Richa caiu de 47% no fim de agosto para 44%, nesta semana, enquanto Dias subiu de 34% para 38%. Perdeu força a hipótese de eleição do tucano no primeiro turno.

PERNAMBUCO

    Também de acordo com o Datafolha, o governador Eduardo Campos (PSB) tem 63% das intenções de voto. Jarbas Vasconcelos (PMDB) obteve 21%.

DISTRITO FEDERAL

    O candidato do PT, Agnelo Queiroz, abriu vantagem de 11 pontos sobre o ex-governador Joaquim Roriz (PSC), ameaçado pela Lei da Ficha Limpa. O Datafolha apontou 44% para Agnelo e 33% para Roriz.

RIO GRANDE DO SUL

    O ex-ministro Tarso Genro, candidato do PT, obteve 42% das intenções de voto. Ele tem vantagem de 16 pontos sobre José Fogaça (PMDB) e de 29 pontos sobre a governadora Yeda Crusius (PSDB), de acordo com o Datafolha.

BAHIA

    Pesquisa do Ibope reafirma a liderança do governador e candidato à reeleição, Jaques Wagner (PT), com 49% das intenções de voto. O ex-governador Paulo Souto (DEM) aparece com 15% e o ex-ministro Geddel Vieira Lima (PMDB) com 12%.

SÃO PAULO

    A diferença entre Geraldo Alckmin (PSDB) e Aloizio Mercadante (PT) caiu de 31 para 24 pontos percentuais, segundo o Ibope. Alckmin caiu de 51% para 46% das intenções de voto. Mercadante oscilou de 20% para 22%. 

 

RIO DE JANEIRO

    Pesquisa Ibope mostra que Sergio Cabral (PMDB) tem 57%. Fernando Gabeira (PV) tem 14%.

SANTA CATARINA

    Raimundo Colombo (DEM) assumiu a dianteira com 34% das intenções de voto, de acordo com o Ibope. Angela Amin (PP) aparece com 27%, e Ideli Salvatti, do PT, com 15%.

GOIÁS

    Marconi Perillo (PSDB) aparece com 42% na pesquisa Ibope. Íris Rezende (PMDB) tem 33%

PIAUÍ

    Wilson Martins (PSB) lidera a disputa com 34%, contra 27% de Sílvio Mendes (PSDB) e 23% de João Vicente (PTB).

IBOPE – Rio de Janeiro. Lindberg -PT cresce e empata com Crivella PRB em 31% na disputa pela liderança ao Senado

José Orenstein, do estadão.com.br

SÃO PAULO – Pesquisa Ibope/Estadão/TV Globo aponta que o candidato Sérgio Cabral, do PMDB, mantém-se estável na liderança da disputa pelo governo do Rio com 57% das intenções de voto. Seu principal adversário, Fernando Gabeira (PV), aparece em segundo lugar, com 14%. Os demais candidatos não vão além dos 3%. Se o pleito fosse realizado hoje, Cabral seria reeleito ainda no primeiro turno.

Comparada à última pesquisa, realizada entre os dias 31 de agosto e 2 de setembro, Cabral oscilou 1 pontos porcentual para menos (de 58% para 57%), assim como Gabeira, que oscilou de 15% para 14%. Este novo resultado mantém a diferença entre os dois candidatos estável em 43 pontos.

A menos de um mês das eleições, em 3 de outubro, os eleitores indecisos subiram de 10% para 12% do total dos entrevistados. Votos brancos e nulos totalizam 11% das menções.

A disputa para o Senado aponta empate na liderança entre Marcelo Crivella (PRB) e Lindberg Farias (PT), ambos com 31%. O petista ultrapassou Cesar Maia (DEM), que agora tem 28%. Jorge Picciani (PMDB) aparece com 20%. O maior crescimento, contudo, foi registrado entre os indecisos. Na última pesquisa, eles somavam 26% e agora representam 34% do eleitorado fluminense.

Foram feitas 1806 entrevistas. A margem de erro máxima estimada para esta pesquisa é de 2 pontos percentuais para mais ou para menos. A pesquisa foi feita entre os dias 7 e 9 de setembro. Ela foi registrada no TSE sob protocolo nº 29064/2010

IBOPE: em uma semana Cezar Maia (DEM) cai 7%, Lindemberg (PT) sobe 8% e estão empatados na disputa para o Senado no RJ

03/09/2010 20h15 – Atualizado em 03/09/2010 20h15

Título original: Rio tem empate técnico entre três candidatos ao Senado, diz Ibope

Crivella tem 34% das intenções de voto, Cesar Maia, 30%, e Lindberg, 28%.
Margem de erro é de três pontos percentuais, para mais ou para menos.

Do G1, em Brasília

Na disputa pelo Senado no Rio de Janeiro, três candidatos estão tecnicamente empatados, segundo o Ibope. Marcela Crivella (PRB) tem 34% das intenções de voto, Cesar Maia (DEM), tem 30%, e Lindberg Farias (PT), 28%. A margem de erro da pesquisa é de três pontos percentuais, para mais ou para menos.

Pela margem de erro, Crivella pode ter entre 31% e 37%, Cesar Maia, entre 27% e 33%, e Lindberg, entre 25% e 31%. Também há empate técnico entre o terceiro e o quarto colocados. Veja a seguir os dados completos da pesquisa:
 

INTENÇÃO DE VOTO PARA O SENADO PELO RIO DE JANEIRO  
Resposta estimulada, em %  
Crivella (PRB)                                                                                                                                                          34%          
Cesar (DEM) 30%
Lindberg (PT) 28%
Jorge Picciani (PMDB) 22%
Waguinho (PTdoB) 6%
Cerqueira (PPS) 2%
Milton Temer (PSOL) 2%
Dias (PTdoB) 1%
Mutt (PCB) 1%
Claiton (PSTU) 0%
Heitor (PSTU) 0%
Branco/nulo 30%
Indecisos 26%
Data da pesquisa: 31 de agosto a 2 de setembro
Número de entrevistas: 1.204
Margem de erro: 2 pontos percentuais para mais ou para menos
Registro no TRE-RJ: protocolo nº 75576/2010
Registro no TSE: protocolo nº 27627/2010
 

Pesquisas apontam metade dos estados com definição em 1º turno

Por: Fábio Oscar, especial para a Rede Brasil Atual

Publicado em 03/09/2010, 17:43

Última atualização às 17:43

Pesquisas apontam metade dos estados com definição em 1º turno São 15 estados com indicativo de definição em primeiro turno, faltando um mês para a votação (Foto: Nelson Jr./Asics/TSE)

São Paulo – Se as eleições fossem hoje, o Brasil teria 15 novos governadores eleitos ainda no primeiro turno. Seis confrontos estão indefinidos e outros sete possivelmente vão para decisão no segundo turno. Um mês antes da votação de 3 de outubro, a tendência indicada pelas pesquisas de intenção de voto é de confronto quase resolvido nos maiores colégios eleitorais e reforço para as fileiras do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

O levantamento do site UOL considerou as pesquisas Datafolha e Ibope divulgadas até 2 de setembro. Os números indicam provável fim no primeiro turno nas disputas com apenas dois candidatos acima de 10% nas intenções de voto. A exceção é o Pará, onde a indecisão se deve aos percentuais de quatro candidatos menores, apesar de nenhum deles chegar aos 10%, de acordo com o Ibope.

Na região Sudeste, a maior batalha eleitoral do primeiro turno está em Minas Gerais, onde o governador Antonio Anastasia (PSDB), sucessor de Aécio Neves, emparelhou com o ex-ministro Hélio Costa. Sem outros adversários fortes na disputa, um dos dois deve terminar o primeiro turno como vencedor. Dilma Rousseff (PT) e José Serra (PSDB) têm investido tempo no segundo maior colégio eleitoral do país.

Os demais mostram definição sem nova votação. São Paulo é o onde há menor vantagem na região. Geraldo Alckmin (PSDB) é o grande favorito, mas vem perdendo vantagem em relação a Aloízio Mercadante (PT), em função das investidas de Dilma e de Luiz Inácio Lula da Silva. No Rio de Janeiro, Sergio Cabral (PMDB) deve se reeleger. No Espírito Santo, a provável vitória é de Renato Casagrande (PSB).

No Sul, apenas o Paraná deve decidir o pleito já em 3 de outubro. Beto Richa (PSDB) leva ampla vantagem sobre Osmar Dias (PDT) e a soma dos seus adversários até agora não é o bastante para viabilizar a disputa em 31 de outubro. O Rio Grande do Sul se encaminha para um segundo turno entre Tarso Genro (PT) e José Fogaça (PMDB). Santa Catarina promete um enfrentamento entre Ângela Amin (PP) e Raimundo Colombo (DEM).

No Nordeste, quatro disputas se encaminham para decisão no primeiro turno. Todas com aliados de Lula e Dilma: Sergipe (Marcelo Deda/PT), Pernambuco (Eduardo Campos/PSB), Paraíba (José Maranhão/PMDB) e Ceará (Cid Gomes/PSB). Em Alagoas, Fernando Collor (PTB), Ronaldo Lessa e o governador Teotônio Vilela (PSDB) disputam para saber quem chegará ao segundo turno. No Piauí, os rivais são Silvio Mendes (PSDB), Wilson Martins (PSB) e João Vicente Claudino (PTB).

Há também três disputas com claros favoritos, segundo Datafolha e Ibope, mas que podem terminar apenas no segundo turno, por conta de candidatos menores. Na Bahia, Jaques Wagner (PT) é o favorito contra Paulo Souto (DEM); no Maranhão, Roseana Sarney (PMDB) leva vantagem contra Jackson Lago (PDT); e, no Rio Grande do Norte, Rosalba Ciarlini (DEM) é uma rara oposicionista à frente de um aliado de Lula, Iberê Ferreira de Souza (PSB).

Apenas o Mato Grosso deve ter segundo turno no Centro-Oeste. Silval Barbosa (PMDB), aliado do ex-governador Blairo Maggi (PR), é presença provável. Wilson Santos (PSDB) e Mauro Mendes (PSB) disputam a outra vaga. No Mato Grosso do Sul, André Puccinelli (PMDB) tem reeleição provável no confronto com Zeca do PT.

No Distrito Federal, Agnelo Queiroz (PT) abre distância sobre Joaquim Roriz (PSC) e, por falta de outros rivais, pode definir já no primeiro turno. Para a oposição, o foco é a campanha em Goiás, onde Marconi Perillo (PSDB) definiria a disputa com Iris Rezende (PMDB) já no primeiro turno se as eleições fossem hoje.

Na região Norte, o PT concentra esforços para não perder o governo do Pará para a oposição. A possibilidade de isso acontecer é grande, segundo as pesquisas. Simão Jatene (PSDB) está à frente da governadora Ana Júlia Carepa (PT), e apenas a manutenção e crescimento de candidaturas com menos de 6% das intenções de voto o impediriam de vencer já na primeira votação.

Há provável vencedor de primeiro turno no Acre: Tião Viana (PT). Em outras disputas que devem terminar em 3 de outubro por falta de mais oponentes de peso, o Amazonas deve escolher entre o governador Omar Aziz (PMN) e o ex-ministro Alfredo Nascimento (PR); Tocantins escolherá entre a reeleição do governador Carlos Gaguim (PMDB) e Siqueira Campos (PSDB).

Em Rondônia, João Cahulla (PPS), Expedito Júnior (PSDB) e Confúcio Moura (PMDB) estão tecnicamente empatados. Em Roraima, o governador José de Anchieta Júnior (PSDB) e Neudo Campos (PP) também estão parelhos.

No Amapá, a tendência é de um segundo turno entre Lucas Barreto (PTB), Jorge Amanajás (PSDB) e Pedro Paulo (PP). Mais atrás, Camilo Capiberibe (PSB) pode ajudar a embolar a disputa nas próximas semanas.

Ibope: Cabral seria reeleito com 56% no Rio; Gabeira tem 14%

Segundo pesquisa Ibope divulgada neste sábado (28) pelo jornal O Estado de S. Paulo, o governador do Rio de Janeiro e candidato à reeleição, Sérgio Cabral (PMDB), lidera a corrida eleitoral com 56% das intenções de voto e seria reeleito caso as eleições fossem hoje. No segundo lugar, o deputado Fernando Gabeira, do PV, aparece com 14%.

O candidato do PR, Fernando Peregrino (PR), soma 2%.Os demais candidatos ficaram com 1%. Os votos brancos e nulos somam 11%. Enquanto 16% dos entrevistados não souberam ou não quiseram responder. A margem de erro é de três pontos percentuais.

Encomendada pelo jornal O Estado de S. Paulo e pela Rede Globo , a pesquisa foi realizada entre os dias 24 e 26 de agosto, com 1610 entrevistados, e registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) em 23 de agosto de 2010, sob o número 26130/2010.

Fonte: Portal Terra.

Rio: Sérgio Cabral tem 56%; Gabeira avança e está com 17%, diz Datafolha

O candidado ao governo do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral (PMDB), mantém a liderança, mesmo após ter caido um ponto, com 56% das intenções de voto. Já seu adversário Fernando Gabeira (PV), avançou três pontos e está com 17%. Com o resultado o peemedebista poderia vencer a eleição no primeiro turno. A pesquisa foi realizada pelo Datafolha;TV Globo entre os dias 23 e 24 de agosto.

Já Eduardo Serra (PCB), Cyro Garcia (PSTU) e Fernando Pelegrino (PR) chegam a 2%, cada um. Jefferson Moura (PSOL) tem 1%.

Votos em branco, nulo ou nenhum somam 9%. Os eleitores que não sabem em quem votar são 12%. Foram ouvidos 1.274 eleitores, em 30 municípios fluminenses.

A pesquisa foi registrada no Tribunal Regional Eleitoral Rio de Janeiro sob o número 79920/2010 (TRE-RJ)

A margem de erro da pesquisa é de três pontos porcentuais, para mais ou para menos.

Fonte:  estadão.com.br

Vox Populi/Band/IG Confira o resultado das últimas pesquisas nos Estados

Veja como está a disputa aos governos estaduais em São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Bahia, Pernambuco e Paraná

São Paulo

Data: 12/08/2010

  • Geraldo Alckmin (PSDB)
    49%
  • Aloizio Mercadante (PT)
    17%
  • Celso Russomanno (PP)
    9%
  • Paulo Skaf (PSB)
    0%
  • Brancos ou nulos
    8%
  • Indecisos
    14%

Rio de Janeiro

Data: 12/08/2010

  • Sérgio Cabral (PMDB)
    49%
  • Fernando Gabeira (PV)
    15%
  • Cyro Garcia (PSTU)
    2%
  • Brancos ou nulos
    12%
  • Indecisos
    19%

Minas Gerais

Data: 12/08/2010

  • Hélio Costa (PMDB)
    36%
  • Antonio Anastasia (PSDB)
    26%
  • Brancos ou nulos
    6%
  • Indecisos
    27%

Bahia

Data: 14/08/2010

  • Jaques Wagner (PT)
    45%
  • Paulo Souto (DEM)
    23%
  • Geddel Vieira Lima (PMDB)
    10%
  • Brancos ou nulos
    5%
  • Indecisos
    15%
Fonte: datafolha Ver pesquisa completa

Pernambuco

Data: 13/08/2010

  • Eduardo Campos (PSB)
    62%
  • Jarbas Vasconcelos (PMDB)
    21%
  • Brancos ou nulos
    3%
  • Indecisos
    11%
Fonte: datafolha Ver pesquisa completa

Amazonas

Data: 31/07/2010

  • Omar Aziz (PMN)
    49%
  • Alfredo Nascimento (PR)
    37%
  • Brancos ou nulos
    4%
  • Indecisos
    9%

Sem grana, Gabeira mandou uma banana para Serra.

http://fatosnovosnovasideias.wordpress.com/arteemanha/

Francisco Barreira

Nesta  segunda-feira  (2-8) o verde  Fernando Gabeira ficou vermelho de raiva e disse com todas as letras: “Estou pronto para dar uma banana para eles”.Entre estes  “eles” está incluído José Serra.

Agora, vejamos a razão do destempero: em baixa do IBOPE, Gabeira está sendo abandonado por  prefeitos e políticos importantes dos partidos aliados que preferem apoiar, por baixo do pano, a reeleição do governador Sérgio Cabral que deverá levar esta já no primeiro turno. Mas isto é o de menos. O que  fez o candidato, símbolo da ética burguesa na política, ficar  fora de si, foi a notícia de que não receberia mais a grana alta, prometida  pessoalmente por Serra, para  bancar os custos dos programas do horário gratuito na TV.

Não é segredo para  ninguém que Gabeira e  Alfredo Sirkis, os dois  manda-chuva do PV  haviam convertido o palanque  da sigla no Rio, em  balcão, onde se  negociou,  a céu aberto, uma vaguinha.

 E tudo ia bem.  O PSDB prometeu o envio de uma cifra substancial e a dupla Gabeira/ Sirkis  declarou-se  serrista desde criancinha, fingindo  que nem  possuía, em seu partido, uma candidata  à presidência da república, Marina Silva, até então, uma gata borralheira.

Vai daí que, como nos contos de fada, Marina arrumou um noivo, digo um vice, de  dois bilhões  de dólares, o Príncipe encantado da Natura. Transformada em Cinderela,  a ex-lutadora da floresta, recebeu  espaço na Globo  e  o apoio de  verdes  de araque  como a Míriam Leitão. Foi quando  cresceu o olho grande  dos  donos do balcão.

Não satisfeitos com  os adiantamentos do dono da Natura, um bobo alegre, os donos do balcão, Gabeira e Sirkis,  partiram  para cima de Serra,  decididos a arrancar mais algum, agora que o palanque verde estava valorizado.

Foi quando assistimos, há coisa de um mês atrás, a uma cena grotesca:  na festa de lançamento oficial de sua  campanha (a homologação dos candidatos), O PV  submeteu Serra, seu antigo patrono, ao vexame de  aguardar, na  porta,  a saída de Marina, para só então entrar no recinto. Não era conveniente que ambos  fossem vistos juntos, embora mais tarde, separadamente,  fossem filmados com Gabeira ,  todos cínicos e sorridentes.  Era a avacalhação definitiva.

Agora, porém, o comando  nacional da campanha tucana,  resolveu  dar  o território fluminense  como definitivamente perdido para o inimigo. Ou se, não vale mais  a pena investir tempo e dinheiro no Rio. Além disso,  a grana já está ficando curta para o próprio Serra. Então,  O PV foi comunicado que seu mensalinho seria suspenso. Sobrou para Gabeira dar uma banana e ele deu.

Eu acho que consigo entender o Gabeira e o Sirkis: quando eram guerrilheiros (valorosos  guerrilheiros , aliás) eles não  levavam  a sério a moral burguesa. Depois, grisalhos e barrigudos, aburguesaram-se, mas  continuaram não levando a moral burguesa a sério.

Vantagem de Dilma sobre Serra é de quase 7 milhões, segundo o Ibope

do Brasília Confidencial

dilma Ibope    Se o primeiro turno da eleição presidencial fosse realizado entre os últimos dias 27 e 29, a petista Dilma Rousseff teria 53,8 milhões de votos e venceria a disputa com vantagem de quase 7 milhões de votos sobre o segundo colocado, José Serra (PSDB), que obteria 46,9 milhões. No segundo turno, Dilma seria eleita com aproximadamente 63,5 milhões de votos, enquanto Serra teria 56,5 milhões.

     Esses são os números que traduzem o resultado da mais recente pesquisa do Ibope sobre as intenções de voto para a sucessão do presidente Lula, feita sob encomenda da Rede Globo e do jornal O Estado de S. Paulo. Na simulação de primeiro turno, segundo o instituto, Dilma cresceu de 36% na pesquisa anterior para 39% nesta semana, enquanto Serra caiu de 36% para 34% – no limite da margem de erro de 2 pontos percentuais. A candidata do PV, Marina Silva, obteve 7% (índice equivalente a 9,6 milhões de votos). Na simulação de segundo turno, Dilma alcançou 46%, enquanto Serra obteve 40%.

     Esses resultados fazem do Ibope o segundo instituto a apontar, na segunda quinzena de julho, vantagem significativa de Dilma sobre Serra. Antes dele, o Vox Populi apurou índices equivalentes à diferença de 11 milhões de votos em favor da petista. Diferentemente dos dois institutos, no fim da semana passada o Datafolha apontou empate técnico entre Dilma e Serra, com vantagem para o presidenciável tucano dentro da margem de erro.

     O Ibope constatou também que se mantém alta a parcela do eleitorado que aprova o Governo Lula. De acordo com o instituto, 77% dos entrevistados afirmaram que o desempenho do governo é ótimo ou bom.

     A pesquisa apurou também as intenções de votos para a eleição de governador em quatro estados e no Distrito Federal. Os resultados apontam a liderança de candidatos aliados ao Governo Lula e à candidatura de Dilma Rousseff no Rio de Janeiro, em Minas Gerais e em Pernambuco. Em São Paulo a disputa é liderada pelo candidato do PSDB e no Distrito Federal pelo aliado à candidatura de Serra. Os dados são os seguintes:

PESQUISA IBOPE PARA PRESIDENTE

Primeiro turno

Dilma ……….. 39% (53,8 milhões)

Serra ………… 34% (46,9 milhões)

Marina ………  7%  ( 9,6 milhões)

Segundo turno

Dilma ………. 46% (63,5 milhões)

Serra ……….. 40% (56,5 milhões)

PESQUISA IBOPE PARA GOVERNADOR

Minas Gerais: Hélio Costa (PMDB) 39% e Antonio Anastasia (PSDB) 21%

Rio de Janeiro: Sérgio Cabral (PMDB) 58% e Fernando Gabeira (PV) 14%

São Paulo: Geraldo Alckmin (PSDB) 50% e Aloízio Mercadante (PT) 14%

Pernambuco: Eduardo Campos (PSB) 60% e Jarbas Vasconcelos (PMDB) 24%

Distrito Federal: Joaquim Roriz (PSC) 38% e Agnelo Queiroz (PT) 27%

Gabeira aparece isolado em pesquisa Ibope.

 de Esquerdopata

Isolado em segundo, claro. 12 pontos na frente do terceiro.

O governador do Rio, Sérgio Cabral (PMDB), candidato à reeleição, seria reeleito se as eleições fossem hoje, segundo informações da pesquisa Ibope divulgada na noite desta sexta-feira. Cabral aparece com 58% das intenções de voto, contra 14% do seu principal adversário, Fernando Gabeira (PV).
Ainda de acordo com o levantamento, Eduardo Serra (PCB) tem 2%, e Cyro Garcia (PSTU) e Fernando Peregrino (PR) estão com 1%. Jefferson Moura (PSOL) não pontuou na pesquisa. Os entrevistados que não sabem quem escolher somam 11%, enquanto 12% pretendem votar nulo ou em branco.
 A margem de erro é de três pontos percentuais para mais ou para menos.
A pesquisa Ibope foi realizada entre os dias 27 e 29 deste mês. Ao todo, foram realizadas 1.204 entrevistas

Dilma abre vantagem de 19 pontos sobre Serra no Rio de Janeiro

A pesquisa Ibope/Estado/TV Globo, feita nos Estados, também mostra Dilma ladeira acima, e Serra ladeira abaixo nos estados.

Minas Gerais

Dilma: 44%
Serra: 32%

A diferença corresponde a 1,2 milhão de votos, levando-se em conta o tamanho do eleitorado e as taxas históricas de abstenção.

O voto “Dilmasia” pegou entre os eleitores de Aécio Neves (PSDB). Entre os entrevistados que declaram voto em Anastasia para governador (que também não decolou, ficando bem atras de Helio Costa), 48% preferem Dilma, contra 37% que preferem Serra.

Rio de Janeiro

Dilma: 46%
Serra: 27%

Espírito Santo, há um empate, por enquanto

Serra: 38%
Dilma: 36%

Quando os capixabas se derem conta de que José Serra foi o carrasco deles na Constituinte de 88 para “saquear” o ICMS do Petróleo produzido no Estado …

São Paulo

Serra: 44%
Dilma: 33%

Pernambuco

Dilma: 59%
Serra: 26%

Distrito Federal

Dilma: 36%
Serra: 25%

Amazonas

Dilma: 68%
Serra: 16%

%d blogueiros gostam disto: