A DIREITA E MARIA DEL CARMEM EM URUÇUCA – BA

NÃO ADIANTA, AGORA SÃO ELAS

POR CONTA DO DESAFIO DE GOVERNAR O BRASIL O PT CONSTRUIU RELAÇÕES POLÍTICAS ATÉ POUCO TEMPO INIMAGINÁVEIS. BUSCANDO MUDANÇAS CONCRETAS NA VIDA DA CLASSE TRABALHADORA, MARCHAMOS JUNTO COM ALGUNS QUE DIZIAM CONCORDAR COM O NOVO RUMO. NEM TODAS ÀS VEZES DEU CERTO E URUÇUCA É UM EXEMPLO VIVO, A MUDANÇA FOI MASCARADA E UMA VEZ NO PODER O PSEUDOALIADO USOU DE TODAS AS ARMAS QUE JURAVA TER POSTO DE LADO. PERSEGUIU, AGREDIU, OPRIMIU, CALUNIOU, COMPROU.

E ENTÃO, PARA SURPRESA DE ALGUNS E ORGULHO DE MUITOS O PT MOSTROU SUA VELHA VALENTIA. RESISTIU, DENUNCIOU, PROCESSOU, FOI ÀS ASSEMBLÉIAS DE TRABALHADORES, CONSTRUIU SINDICATOS, DISPUTOU OPINÃO NA SOCIEDADE, ORGANIZOU OS MOVIMENTOS SOCIAIS E FEZ OPOSIÇÃO AO MELHOR ESTILO PETISTA.

É COM MUITO ORGULHO QUE ASSUMI A TAREFA DE REPRESENTAR PUBLICAMENTE AS CENTENAS DE MILITANTES DO PT DE URUÇUCA E, CONQUISTANDO UMA VITÓRIA APÓS OUTRA, HOJE PODEMOS DIZER COM ORGULHO QUE ESTAMOS PREPARADOS PARA A BATALHA ELEITORAL, COM A SIMPATIA DA MAIORIA DO POVO DE URUÇUCA, QUE ENTENDEU NOSSA MENSAGEM.

POR ISSO ME ENTRISTECE A AÇÃO DO MANDATO DA DEPUTADA MARIA DEL CARMEM, HOJE, EM NOSSA CIDADE. EM UMA MOVIMENTAÇÃO PUERIL E MOTIVADA POR UMA SUPOSTA AMIZADE, UMA DIRIGENTE DA EXECUTIVA ESTADUAL DO PT, UM ASSESSOR DA DEPUTADA, ACOMPANHANDO O FILHO DA MESMA, PRESSIONOU O PRESIDENTE DA CÂMARA PARA QUE ELE, MESMO SENDO DO PT, APOIASSE O PREFEITO MOACYR LEITE (PP), CAUSANDO UM RACHA NO PARTIDO. FELIZMENTE, ESSA TRAPALHADA TRAVESTIDA DE AMIZADE PELO CONSERVADORISMO NÃO COMOVEU UMA MILITANTE DO PT SEQUER, AO CONTRARIO NOS REVOLTOU.

É TRISTE QUE UMA DEPUTADA, NO ANO EM QUE AS MLUHERES DE ESQUERDA TEM UMA TAREFA ESPECIAL, NUM PAÍS GOVERNADO PELA PRIMEIRA VEZ POR UMA MULHER GRAÇAS AO NOSSO PARTIDO, IGNORE TUDO ISSO POR CONTA DE INTERESSES MENORES E MESQUINHOS.

ENTRETANTO, SOMADO AO INCENTIVO E APOIO DE FIGURAS VALIOSAS DO NOSSO PARTIDO, FORJADAS NA LUTA SOCIAL, COMO OS DEPUTADOS E DEPUTADAS J. CARLOS, RUI COSTA, GERALDO SIMÕES, JOSIAS GOMES, FÁTIMA NUNES, ROSEMBERG, LUIZA MAIA, YULO, AOS MEUS ESPECIAIS COMPANHEIROS VALMIR ASSUNÇÃO E MARCELINO GALO, DO PRESIDENTE JONAS PAULO, DOS DIRIGENTES IVAN ALEX, ADEMÁRIO COSTA, LUCIANA MANDELLI, RENATA ROSSI, UELDES VALERIANO, EVERALDO ANUNCIAÇÃO E ANA TORQUATO E AINDA DA MINHA QUERIDA SECRETÁRIA DE MULHERES LUCINHA, SUPERAREMOS MAIS ESSE OBSTÁCULO E A REVOLTA SERÁ TRANSFORMADA EM COMBUSTÍVEL PARA A GRANDE VITÓRIA DA ESQUERDA QUE O POVO DE URUÇUCA ESPERA ANSIOSAMENTE. POR QUE NÃO ADIANTA, AGORA SÃO ELAS!

FORÇA NA LUTA SEMPRE!

FERNANDA SILVA

VICE-PREFEITA DE URUÇUCA

O PT E AS ELEIÇÕES EM BELO HORIZONTE.

O PT iniciou, a partir de 1993, com a administração de Patrus Ananias, um ciclo de profundas e benéficas transformações em Belo Horizonte. De lá para cá, todos os governos municipais contaram com a participação decisiva do Partido dos Trabalhadores. Célio de Castro e Fernando Pimentel deram continuidade ao projeto de mudanças. E em 2008, por decisão das forças hegemônicas no PT da capital, o partido indicou o companheiro Roberto de Carvalho para vice de Márcio Lacerda.

Belo Horizonte avançou de modo extraordinário com a adoção do modo petista de governar. Graças a ele, a cidade deu um grande salto de qualidade, tornando-se muito mais moderna, eficiente e justa. A participação social constituiu-se em um método de gestão, com o envolvimento solidário dos mais diversos setores sociais. Foram implantadas políticas públicas inovadoras, que mudaram o perfil socioeconômico e urbanístico da capital. Basta citar as políticas de abastecimento e segurança alimentar, de urbanização de favelas, de habitação popular; a rede de proteção social; os avanços na educação, na saúde e no meio ambiente; a criação do FIT – Festival Internacional de Teatro, e do FAN – Festival de Arte Negra; O Orçamento Participativo e o fortalecimento dos Conselhos Municipais; sem falar das grandes obras viárias, de caráter estruturante, que estão melhorando a vida da cidade e construindo a BH do futuro. Ela ganhou, além disso, em dinamismo cultural e presença política, assumindo um papel muito mais importante na vida do estado e do país.

A população da cidade participou intensamente desse processo de crescimento e revitalização e orgulha-se das conquistas obtidas e da notável contribuição do PT.

O processo de 2008

Infelizmente, as forças hegemônicas do PT de Belo Horizonte conduziram o processo sucessório de 2008 com uma série de equívocos de conteúdo e de método. Sem consulta prévia às lideranças e à base do partido, decidiram fazer uma aliança com o PSDB, adversário do nosso projeto democrático-popular e do Governo Lula, o que causou estranheza e perplexidade à militância petista de Minas Gerais e de todo o país. Essa aliança com o PSDB, feita por fora das instâncias partidárias e em flagrante desrespeito ao arco de alianças definido pelo partido, nos dividiu ao desprezar aquilo que sempre constituiu a força moral e política do PT e que o tornou um grande partido popular e democrático: o debate aberto e franco de posições políticas, com espaço para as divergências, cabendo a decisão democrática aos filiados. As sequelas daquele processo verticalista e excludente são visíveis até hoje em nosso partido.

Lembremo-nos de que nas eleições de 2010 nossa bancada federal diminuiu, perdemos a oportunidade de eleger nosso primeiro Senador e, a Presidenta Dilma, embora largamente vitoriosa em Minas, perdeu em Belo Horizonte nos dois turnos.

O processo de 2012

No entanto, os equívocos daquele processo não nos permitem ignorar que o PT integra, desde o seu primeiro dia, a administração liderada pelo Prefeito Márcio Lacerda, do PSB. Além de ter o Vice-prefeito, o PT comanda várias Secretarias municipais e sua bancada de vereadores faz parte da base de sustentação do governo. Por isso mesmo, o primeiro passo para discutir as
eleições de 2012 é avaliar a participação do PT no Governo e avaliar o conjunto do governo e o seu impacto na vida da cidade. Afinal, o PT deve prestar contas à população da cidade, que elegeu conjuntamente prefeito e vice. E o critério para fazê-lo é sempre a questão programática, que deve alicerçar toda nossa conduta política.

O método de decisão

Não podemos repetir agora, com política inversa, o mesmo método equivocado de 2008. A forma, nesse caso, pode comprometer o conteúdo, independente de qual seja a decisão.

É fundamental construir a unidade política no PT de Belo Horizonte, que resgate a vida do partido na cidade e o seu protagonismo político, fortalecendo nossa perspectiva de vitória estadual e federal em 2014.

Para isso, é indispensável que haja um Encontro Municipal, precedido de debates nas Regionais com os filiados, onde todas as posições existentes sejam explicitadas e debatidas pelo conjunto dos filiados. Se não pode haver cerceamento, constrangimento nem interdição do diálogo, também não pode haver omissão de opinião ou posição política das lideranças que fazem parte deste processo.

Somente um Encontro, com ampla participação da base partidária, dará legitimidade a qualquer decisão do PT/ BH sobre as eleições de 2012. Neste sentido, entendemos que deve haver, além do debate amplo com calendário de encontros regionais, textos expressando opiniões, caderno de debates e forte mobilização da militância. É preciso que a base conheça e avalie também as posições da Direção Nacional, do ex-presidente Lula e da presidenta Dilma. Afinal de contas, BH é a terceira capital do país e tem uma importância enorme na política nacional.

Unidade de Ação

É fundamental a unidade de todo o Partido, seja para manter a aliança ou construir uma candidatura própria. É necessário assegurar um processo altamente democrático que, por si só, garanta o empenho de todos na campanha eleitoral, depois de tomada a decisão coletiva.

Assinam:
Coordenação Estadual da Articulação (Tendência Interna do PT) e membros do Diretório Municipal do PT/BH:
Adelmo Leão, Almir Paraca, Ana Paschoal, André Quintão, Arnaldo Godoy,
Carlos Gomes, Carlos Ligeiro, Célio Cruz, Eugênio Pasqualini, Fernando
Neiva, Gilson Queiroz, Gleber Naime, Gleide Andrade, Ilca Moreira Morais,
Ilmar Mendes, João Bosco Calais, José Dantas, Kleberth Mendes, Lene
Teixeira, Leonardo Monteiro, Luiz Soares Dulci, Maria Cristina da Silva,
Maria do Carmo Lara, Maria Ivanete Magalhães, Maria Tereza Lara, Nilmário
Miranda, Odair Cunha, Osvaldina de Souza Silva, Patrus Ananias, Pedro
Victer Ananias, Ulysses Gomes, Wilson Keiroga.

Belo Horizonte, 13 de janeiro de 2012.

FONTE: www.facebook.com – André Quintão

Governador Anastasia PSDB – MG dá vice-presidência em estatal para deputado do castelo

O ex-deputado federal mineiro Edmar Moreira (PR),que ficou conhecido por ter um castelo em estilo medieval avaliado em R$ 25 milhões, foi nomeado vice-presidente da estatal Minas Gerais Participações (MGI).

Desde o último dia 4, Moreira trabalha próximo do governador Antonio Anastasia (PSDB), na cidade administrativa, e ganha um salário de R$ 11 mil. A MGI apóia a “política de privatização mineira” e participa de empresas consideradas promissoras para o desenvolvimento do Estado.

O governo de Minas Gerais informou que Moreira foi indicado para o cargo pelo PR. Além disso, alega que o nome do ex-parlamentar foi aprovado por unanimidade no fim de março pelo Conselho Administrativo da MGI, colegiado presidido pelo secretário de Fazenda, Leonardo Colombini.

Em 2009, após assumir a corregedoria da Câmara, Moreira justificou gastos da verba indenizatória com notas de suas próprias empresas, entre elas, uma de segurança. Em meio à polêmica, que incluiu a revelação da posse do castelo em São João Nepomuceno (MG), ele deixou o cargo.

No ano passado, o ex-deputado foi absolvido pelo Tribunal de Contas da União da acusação de mau uso de verba e também no Conselho de Ética da Câmara. Mesmo assim, não conseguiu a reeleição, ficando na oitava suplência. Como Anastasia nomeou alguns deputados eleitos como secretários, Edmar já é o quarto suplente na lista para assumir um mandato na Câmara dos Deputados.

Fonte: Brasília Confidencial

Candidato a líder do DEMos na Câmara dos Deputados é condenado à perda do mandato.

Disputando a liderança do DEMos na Câmara, com apoio do prefeito de SP Gilberto Kassab, o Dep. Marcos Montes (MG) foi condenado à perda do mandato e ao ressarcimento de dinheiro aos cofres públicos, pelo Tribunal de Justiça de Minas Gerais.

A condenação foi porque, quando prefeito de Uberaba, contratou serviços da Agência de Desenvolvimento Sustentável do Brasil Central (Adebrac) sem processo licitatório, ferindo a Lei de Licitações (nº 8.666/93).

Detalhe: A ADEBRAC pertence a seu compadre político, o deputado federal Nárcio Rodrigues (PSDB/MG) e ao deputado estadual José Maia (PSDB/MG).

O contrato, com direito a aditivos, era para “elaboração de projetos técnicos e de planos de trabalho para o município” (o que exige licitação), e sangrou os cofres públicos do município em R$ 168 mil (valores de 2001 a 2004).

A sentença pedia ressarcimento integral aos cofres públicos de todos os pagamentos feitos pelo município à Adebrac, devidamente corrigidos monetariamente.

O deputado entrou com recurso, alegando que o serviço foi prestado, e o tribunal manteve a perda do mandato como pena, abrindo mão do ressarcimento aos cofres públicos. Ele ainda recorre na justiça mineira, e diz que irá até o STF, antes de perder o mandato.

Fonte: http://osamigosdopresidentelula.blogspot.com

Cartilha do PT faz balanço das eleições 2010. Os números e avalições do PT em todo Brasil.

5 governadores, 88 deputados federais, 149 deputados estaduais e 14 senadores foram eleitos pelo PT em 2010.

Escrito em 22 de novembro de 2010, às 16:48

Esses números mostram a consolidação da força de um partido que, nascido a partir daqueles que eram até então esquecidos pelo poder público, hoje tem a plena capacidade de ajudar os mais pobres como nenhum outro, tal como vem fazendo nos últimos oito anos.

Para mostrar mais sobre os resultados concretos dessa atuação, a cartilha “O Brasil vai seguir mudando com Dilma” traz um balanço completo do desempenho do Partido dos Trabalhadores em todo o país nestas eleições. São 65 páginas repletas de imagens e gráficos que mostram por que nosso esforço sempre vale a pena diante do reconhecimento do povo brasileiro.

Vale a pena consultar a cartilha. Clique aqui para fazer o download. CADERNOeleicoes_2T_2010-11-19 

Fonte: www.pauloteixeira13.com.br

Eleições 2010 Governador – Resultado Final em cada Estado e Região, 1º e 2º Turnos

REGIÃO NORTE
ELEIÇÕES 2010 ACRE – GOVERNADOR    
clas nome (partido) votos %    
Eleito 170.202 50,51%    
  165.705 49,18%    
           
ELEIÇÕES 2010 AMAPÁ – GOVERNADOR
    1º TURNO 2º TURNO
clas nome (partido) votos % votos %
Eleito 95.328 28,68%
170.277
53,77%
  93.695 28,19%    
2º Turno 96.165 28,93%
146.383
46,23%
           
ELEIÇÕES 2010 AMAZONAS – GOVERNADOR    
clas nome (partido) votos %    
Eleito 943.955 63,87%    
  382.935 25,91%    
  138.281 9,36%    
           
ELEIÇÕES 2010 PARÁ – GOVERNADOR
    1º TURNO 2º TURNO
clas nome (partido) votos % votos %
Eleito 1.720.631 48,92%
1.860.799
55,74%
  380.331 10,81%    
2º Turno 1.267.981 36,05%
1.477.609
44,26%
           
ELEIÇÕES 2010 RONDONIA – GOVERNADOR
    1º TURNO 2º TURNO
clas nome (partido) votos % votos %
Eleito 291.765 43,99%
422.707
58,68%
  120.462 18,16%    
2º Turno 246.350 37,14%
297.674
41,32%
           
ELEIÇÕES 2010 RORAIMA – GOVERNADOR
    1º TURNO 2º TURNO
clas nome (partido) votos % votos %
Eleito 99.124 45,03%
107.466
50,41%
  14.063 6,39%    
2º Turno 104.804 47,62%
105.707
49,59%
           
ELEIÇÕES 2010 TOCANTINS – GOVERNADOR    
clas nome (partido) votos %    
Eleito Siqueira Campos (PSDB) 349.592 50,52%    
  Carlos Gaguim (PMDB) 342.429 49,48%    
           
REGIÃO NORDESTE
ELEIÇÕES 2010 ALAGOAS – GOVERNADOR
    1º TURNO 2º TURNO
clas nome (partido) votos % votos %
Eleito 534.962 39,58%
712.789
52,74%
  389.337 28,81%    
2º Turno 394.155 29,16%
638.762
47,26%
           
ELEIÇÕES 2010 BAHIA – GOVERNADOR    
clas nome (partido) votos %    
Reeleito Wagner (PT) 4.101.270 63,83%    
  Paulo Souto (DEM) 1.033.600 16,09%    
  Geddel Vieira Lima (PMDB) 1.000.038 15,56%    
  Bassuma (PV) 253.523 3,95%    
           
ELEIÇÕES 2010 CEARÁ – GOVERNADOR    
clas nome (partido) votos %    
Reeleito Cid Gomes (PSB) 2.436.940 61,27%    
  Marcos Cals (PSDB) 775.852 19,51%    
  Lucio Alcantara (PR) 654.035 16,44%    
           
ELEIÇÕES 2010 MARANHÃO – GOVERNADOR    
clas nome (partido) votos %    
Reeleita Roseana (PMDB) 1.459.792 50,08%    
  Flávio Dino (PC do B) 859.402 29,49%    
  Jackson Lago (PDT) 569.412 19,54%    
           
ELEIÇÕES 2010 PARAIBA – GOVERNADOR
    1º TURNO 2º TURNO
clas nome (partido) votos % votos %
Eleito 942.121 49,74%
1.079.164
53,70%
  12.471 0,66%    
2º Turno 933.754 49,30%
930.331
46,30%
           
ELEIÇÕES 2010 PERNAMBUCO – GOVERNADOR    
clas nome (partido) votos %    
Reeleito Eduardo Campos (PSB) 3.450.874 82,84%    
  Jarbas (PMDB) 585.724 14,06%    
           
ELEIÇÕES 2010 PIAUÍ – GOVERNADOR
    1º TURNO 2º TURNO
clas nome (partido) votos % votos %
Eleito 725.563 46,37%
921.313
58,93%
  337.028 21,54%    
2º Turno 470.660 30,08%
642.165
41,07%
           
ELEIÇÕES 2010 RIO GRANDE DO NORTE – GOVERNADOR    
clas nome (partido) votos %    
Eleita Rosalba Ciarlini (DEM) 813.813 52,46%    
  Ibere (PSB) 562.256 36,25%    
  Carlos Eduardo (PDT) 160.828 10,37%    
           
ELEIÇÕES 2010 SERGIPE – GOVERNADOR    
clas nome (partido) votos %    
Reeleito Deda (PT) 537.223 52,08%    
  João Alves (DEM) 466.219 45,19%    
           
REGIÃO CENTRO OESTE
ELEIÇÕES 2010 DISTRITO FEDERAL – GOVERNADOR
    1º TURNO 2º TURNO
clas nome (partido) votos % votos %
Eleito 676.394 48,41%
875.612
66,10%
  199.095 14,25%    
2º Turno 440.128 31,50%
449.110
33,90%
           
ELEIÇÕES 2010 GOIAS – GOVERNADOR
    1º TURNO 2º TURNO
clas nome (partido) votos % votos %
Eleito 1.400.227 46,33%
1.551.132
52,99%
  502.462 16,62%    
2º Turno 1.099.552 36,38%
1.376.188
47,01%
           
ELEIÇÕES 2010 MATO GROSSO – GOVERNADOR    
  Nome (partido) votos %    
Eleito Silval Barbosa (PMDB) 759.805 51,21%    
  Mauro Mendes (PSB) 472.475 31,85%    
  Wilson Santos (PSDB) 245.527 16,55%    
           
ELEIÇÕES 2010 M GROSSO DO SUL 1º TURNO – GOVERNADOR    
  Nome (partido) votos %    
Reeleito Andre Puccinelli (PMDB) 704.407 56%    
  Zeca do Pt (PT) 534.601 42,50%    
           
REGIÃO SUDESTE
ELEIÇÕES 2010 ESPIRITO SANTO – GOVERNADOR    
clas nome (partido) votos %    
Eleito Renato Casagrande (PSB) 1.502.070 82,30%    
  Luiz Paulo (PSDB) 282.910 15,50%    
           
ELEIÇÕES 2010 MINAS GERAIS – GOVERNADOR    
clas nome (partido) votos %    
Eleito Antonio Anastasia (PSDB) 6.275.520 62,72%    
  Helio Costa (PMDB) 3.419.622 34,18%    
  Zé Fernando Aparecido (PV) 234.125 2,34%    
 
 
       
ELEIÇÕES 2010 RIO DE JANEIRO – GOVERNADOR    
clas nome (partido) votos %    
Reeleito Sergio Cabral (PMDB) 5.217.972 66,08%    
  Gabeira (PV) 1.632.671 20,68%    
  Fernando Peregrino (PR) 853.220 10,81%    
           
ELEIÇÕES 2010 SÃO PAULO – GOVERNADOR    
clas nome (partido) votos %    
Eleito Geraldo Alckmin (PSDB) 11.519.314 50,63%    
  Aloizio Mercadante (PT) 8.016.866 35,23%    
  Celso Russomanno (PP) 1.233.897 5,42%    
  Skaf (PSB) 1.038.430 4,56%    
  Fabio Feldmann (PV) 940.379 4,13%    
           
REGIÃO SUL
ELEIÇÕES 2010 PARANÁ – GOVERNADOR    
clas nome (partido) votos %    
Eleito Beto Richa (PSDB) 3.039.774 52,44%    
  Osmar Dias (PDT) 2.645.341 45,63%    
           
ELEIÇÕES 2010 RIO GRANDE DO SUL – GOVERNADOR    
clas nome (partido) votos %    
Eleito Tarso Genro (PT) 3.416.460 54,35%    
  Fogaça (PMDB) 1.554.836 24,74%    
  Yeda Crusius (PSDB) 1.156.386 18,40%    
           
ELEIÇÕES 2010 SANTA CATARINA – GOVERNADOR    
clas nome (partido) votos %    
Eleito Raimundo Colombo (DEM) 1.815.304 52,72%    
  Angela Amin (PP) 857.698 24,91%    
  Ideli Salvatti (PT) 754.223 21,90%    

Eleições 2010 Minas Gerais, resultado final, os eleitos.

ELEIÇÕES 2010 MINAS GERAIS – PRESIDENTE DA REPÚBLICA
    1º TURNO 2º TURNO
clas nome (partido) votos % votos %
Eleita 5.067.399 46,98% 6.220.125 58,45%
2º Turno 3.317.872 30,76% 4.422.294 41,55%
  2.291.502 21,25%    
           
ELEIÇÕES 2010 MINAS GERAIS – SENADORES    
clas nome (partido) votos %    
Eleito 7.565.377 39,47%    
Eleito 5.125.455 26,74%    
  4.595.351 23,98%    
  1.486.787 7,76%    
  274.215 1,43%    
           
ELEIÇÕES 2010 MINAS GERAIS – DEPUTADOS FEDERAIS    
clas nome (partido) votos %    
1 271.306 2,64%    
2 243.884 2,37%    
3 234.397 2,28%    
4 208.058 2,02%    
5 199.418 1,94%    
6 192.657 1,87%    
7 180.117 1,75%    
8 179.649 1,75%    
9 176.241 1,71%    
10 165.644 1,61%    
11 161.892 1,57%    
12 146.061 1,42%    
13 143.113 1,39%    
14 141.737 1,38%    
15 137.680 1,34%    
16 137.120 1,33%    
17 128.304 1,25%    
18 124.551 1,21%    
19 123.649 1,20%    
20 120.769 1,17%    
21 119.029 1,16%    
22 117.722 1,14%    
23 117.230 1,14%    
24 113.388 1,10%    
25 111.651 1,09%    
26 110.570 1,08%    
27 109.045 1,06%    
28 106.192 1,03%    
29 105.977 1,03%    
30 105.422 1,03%    
31 105.413 1,03%    
32 102.573 1%    
33 101.639 0,99%    
34 101.090 0,98%    
35 100.811 0,98%    
36 100.325 0,98%    
37 96.309 0,94%    
38 94.077 0,91%    
39 93.035 0,90%    
40 92.282 0,90%    
41 90.907 0,88%    
42 90.097 0,88%    
43 90.073 0,88%    
44 88.344 0,86%    
45 87.826 0,85%    
46 86.192 0,84%    
47 85.891 0,84%    
48 81.129 0,79%    
49 72.967 0,71%    
50 70.945 0,69%    
51 58.677 0,57%    
52 51.824 0,50%    
53 40.093 0,39%    
           
ELEIÇÕES 2010 MINAS GERAIS – GOVERNADOR    
clas nome (partido) votos %    
Eleito 6.275.520 62,72%    
  3.419.622 34,18%    
  234.125 2,34%    
           
ELEIÇÕES 2010 MINAS GERAIS – DEPUTADOS ESTADUAIS    
clas nome (partido) votos %    
1 159.422 1,54%    
2 153.225 1,48%    
3 106.519 1,03%    
4 105.859 1,02%    
5 103.677 1%    
6 102.530 0,99%    
7 95.450 0,92%    
8 94.312 0,91%    
9 93.656 0,90%    
10 93.622 0,90%    
11 92.710 0,89%    
12 92.027 0,89%    
13 90.538 0,87%    
14 89.811 0,87%    
15 88.963 0,86%    
16 85.973 0,83%    
17 85.504 0,83%    
18 84.316 0,81%    
19 82.864 0,80%    
20 81.159 0,78%    
21 80.419 0,78%    
22 79.705 0,77%    
23 78.302 0,76%    
24 77.846 0,75%    
25 77.740 0,75%    
26 74.542 0,72%    
27 72.336 0,70%    
28 71.568 0,69%    
29 70.106 0,68%    
30 68.709 0,66%    
31 68.437 0,66%    
32 68.323 0,66%    
33 68.254 0,66%    
34 67.559 0,65%    
35 64.929 0,63%    
36 63.662 0,61%    
37 62.810 0,61%    
38 62.582 0,60%    
39 59.739 0,58%    
40 57.691 0,56%    
41 56.956 0,55%    
42 56.945 0,55%    
43 56.898 0,55%    
44 56.263 0,54%    
45 55.398 0,53%    
46 54.594 0,53%    
47 53.629 0,52%    
48 52.994 0,51%    
49 50.966 0,49%    
50 50.620 0,49%    
51 50.221 0,48%    
52 50.114 0,48%    
53 49.619 0,48%    
54 49.248 0,48%    
55 49.133 0,47%    
56 46.818 0,45%    
57 45.939 0,44%    
58 45.415 0,44%    
59 45.373 0,44%    
60 45.324 0,44%    
61 44.704 0,43%    
62 43.810 0,42%    
63 43.376 0,42%    
64 41.727 0,40%    
65 41.265 0,40%    
66 40.562 0,39%    
67 40.521 0,39%    
68 40.426 0,39%    
69 38.419 0,37%    
70 38.109 0,37%    
71 37.885 0,37%    
72 37.442 0,36%    
73 36.527 0,35%    
74 36.067 0,35%    
75 35.983 0,35%    
76 31.455 0,30%    
77 31.182 0,30%    

Campanha de Hélio Costa divulga carta de Lula para ajudar peemedebista e Patrus Ananias em MG

 

FERNANDA ODILLA
MÁRCIO FALCÃO
DE BRASÍLIA

Às vésperas das eleições, a campanha de Hélio Costa (PMDB) ao governo de Minas Gerais tenta reforçar a ligação do peemedebista com o presidente Lula. Para recuperar a liderança nas pesquisas eleitorais e conquistar eleitores, a campanha enviou nessa semana carta assinada por Lula pedindo aos belohorizontinos votos em Costa.

No texto, Lula elogia o desempenho do peemedebista e do candidato a vice, Patrus Ananias (PT), que fizeram parte de seu governo. O presidente segue a principal bandeira da campanha e afirma que seus aliados terão um governo voltado para o social.

Lula afirma que Costa é “um homem sério, preparado e preocupado com o bem-estar dos mais pobres”. Em relação a Patrus, o presidente o apresenta como ministro do Bolsa Família, principal programa de transferência de renda, que atende a 12 milhões de famílias.

“Patrus implantou as políticas sociais do meu governo e está com Hélio. Eles têm um compromisso com o povo mineiro e, juntos com Dilma [candidata do PT à Presidência] vão trabalhar para erradicar a pobreza e o analfabetismo em Minas”.

Personalizada, a carta cita obras e projetos que marcaram a trajetória do PT à frente da prefeitura da capital mineira, como o Orçamento Participativo e a duplicação de uma importante avenida da cidade.

O presidente também pede votos para o ex-prefeito de BH, Fernando Pimentel, que está atrás do ex-governador Aécio Neves (PSDB) e do ex-presidente Itamar Franco (PPS) na disputa ao Senado.

APELOS

A carta de Lula foi produzida depois que pesquisas internas do PT indicaram uma diferença de até 26 pontos percentuais a favor de Antonio Anastasia em relação a Costa na capital mineira e na região metropolitana.

A carta está sendo enviada pelos Correios, empresa pública subordinada ao Ministério das Comunicações. Nos debates, Anastasia tenta atrelar Costas às denúncias de irregularidades envolvendo os Correios, que trocou a diretoria após acusações de corrupção.

A Folha apurou que é Patrus quem tem cobrado do PT um empenho maior do presidente na disputa pelo governo de Minas Gerais. O ex-ministro chegou a propor um duelo entre o presidente Lula e Aécio, maior puxador de votos no Estado.

Além das cartas, a campanha Hélio/Patrus aposta numa gravação da voz do presidente Lula pedindo votos para a chapa. Por meio de um serviço de telemarketing, ligações têm sido feitas para residências de todas as cidades do Estado, chegando a 3,5 milhões de eleitores.

A gravação mostra uma fala antiga do presidente Lula que foi editada e enfrentou resistência do PT nacional. A ideia era que a gravação de Lula seguisse o modelo da divulgada por Aécio, mas foi abortada pelo comando nacional do PT. A avaliação do partido era que poderia causar constrangimentos e problemas na Justiça Eleitoral porque o presidente Lula “ligando” no horário de expediente para pedir votos.

Pimentel diz na TV ter ‘mais força política’ que Itamar Franco

RODRIGO VIZEU
DE BELO HORIZONTE

O candidato do PT ao Senado por Minas, Fernando Pimentel, usou seu último dia de propaganda de TV hoje para pedir diretamente que o eleitor dê a ele seu segundo voto, e não a Itamar Franco (PPS).

O ex-prefeito de Belo Horizonte disse ter “mais força política” que o ex-presidente.

“A verdade é que o Aécio está quase eleito. Sendo assim, restam dois candidatos com chances, eu e o Itamar. Tenho respeito pelo Itamar, mas acredito que eu também tenho experiência, capacidade e até mais força política caso a Dilma seja eleita”, afirmou o petista no programa da tarde.

Pimentel bateu de frente com Itamar, que criticou no rádio a ideia de um senador “amigo do presidente”. Em resposta, o candidato do PT disse que o senador “não pode ser é inimigo do presidente”.

Ele defendeu a importância de ter um senador que faça “o meio de campo” com o governo federal e que o Estado não pode ter três senadores de oposição. Eliseu Rezende (DEM) é o representante mineiro no Senado ainda com mandato a cumprir.

Datafolha MG – Hélio 39% costa e Anastasia 36% dividem a disputa pela liderança

Hélio costa e Anastasia dividem a liderança

 

21% não têm candidato

Pesquisa Datafolha realizada em Minas Gerais a um mês das eleições, revela que o candidato à reeleição, Antonio Anastasia e o ex-ministro das comunicações, Hélio Costa (PMDB), pela primeira vez aparecem tecnicamente empatados na disputa pelo governo mineiro. Anastasia tem agora 36% das intenções de voto contra 39% de Hélio Costa. Considerando a margem de erro máxima para essa pesquisa de dois pontos percentuais para mais ou para menos, Hélio Costa poderia ter entre 37% e 41% e Anastasia entre 34% e 38% das intenções de voto.

O ex-ministro oscilou negativamente um ponto percentual em relação à pesquisa anterior, do início de setembro. Anastasia, por sua vez, começou a campanha com 17%, passou a 29% no final de agosto, a 35% no início de setembro e agora oscila positivamente um ponto percentual.

O levantamento ouviu 1685 eleitores mineiros nos dias 08 e 09 de setembro de 2010, em 75 cidades do estado de Minas Gerais. A margem de erro desta pesquisa é de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

Os candidatos Zé Fernando Aparecido (PV), Vanessa Portugal (PSTU), Fabinho (PCB), Edilson Nascimento (PT do B) e Professor Luiz Carlos (PSOL) atingiram 1% das intenções de voto cada. Pepê (PCO), foi citado porém não alcançou 1% das citações. O TRE mineiro informa que Pepê teve sua candidatura indeferida, sendo substituído por Adilson Rosa, do mesmo partido. Essa alteração ocorreu após o início do campo da pesquisa atual. Estão indecisos 16% e 5% pretendem votar em branco ou anular o voto.

No cálculo de votos válidos, onde a taxa de votos brancos, nulos e indecisos é distribuída proporcionalmente segundo o percentual de intenção de voto de cada candidato, Hélio Costa tem 50% das citações, contra 45% de Antonio Anastasia.

Anastasia se destaca na capital mineira, com 45% das intenções de voto contra 35% de Hélio Costa. Já no interior, a situação se inverte: Hélio Costa tem 40% das citações contra 34% do atual governador.

Espontaneamente, sem a apresentação do cartão com os candidatos, Antonio Anastasia mantém mesmo índice da pesquisa anterior: 22% contra 17% de Hélio Costa. Não souberam citar nenhum candidato espontaneamente 49% dos entrevistados. Outras respostas somam 4% e 4% afirmam votar em branco ou anular o voto.

A maior rejeição em Minas Gerais continua sendo para o candidato Pepê, com 25% das citações dos eleitores, seguido por Fabinho (22%), por Vanessa Portugal, (20%), Zé Fernando Aparecido (17%), Edilson Nascimento, (15%) e Professor Luiz Carlos (15%). Anastasia é rejeitado por 17% e Hélio Costa por 16%.

Considerando um cenário de segundo turno entre Hélio Costa e Anastasia, o ex-ministro teria 47% contra 39% do atual governador de Minas Gerais. Esses índices já foram em 24 de agosto 51% e 35%, respectivamente. A diferença entre eles nesse cenário é de oito pontos percentuais. Votariam em branco ou anulariam o voto, 5% e 10% não saberiam em quem votar. Na capital, Anastasia ganharia a eleição com 47% contra 38% de Hélio Costa. No início de setembro, esses índices eram 53% a 39%, respectivamente.

Aécio Neves (PSDB) volta a crescer e alcança 67% das intenções ao senado
Ex-Presidente Itamar Franco (PPS) mantém segundo lugar

Aécio volta a crescer nas intenções de voto para o senado em pesquisa Datafolha a um mês das eleições e alcança 67% das citações, índice que já chegou a 70% no final de agosto e passou a 64% na pesquisa anterior, no início de setembro. O ex-presidente Itamar Franco (PPS) oscilou negativamente dois pontos percentuais e alcança 42%. Pimentel (PT), ex-prefeito da capital mineira, oscilou um ponto e chega a 29% das intenções de voto, ante 30% da pesquisa anterior.

O levantamento ocorreu entre os dias 08 e 09 de setembro e ouviu 1685 eleitores mineiros em 75 cidades do estado. A margem de erro máxima para essa pesquisa é de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

Rafael Pimenta (PCB), Marilda Ribeiro (PSOL) e Zito Vieira (PC do B) têm 2% das intenções de voto cada, e com 1% cada surgem os candidatos Miguel Martini (PHS), José João da Silva (PSTU), Efraim Moura (PSTU), Betão (PCO) e Mineirinho (PSOL). O candidato Alfredo (PRB) atingiu 1% das citações, porém sua candidatura foi indeferida pelo TRE mineiro durante o campo da pesquisa, e o candidato já teve seu processo transitado e julgado. Como nessas eleições os eleitores devem votar para dois senadores, 8% dos eleitores mineiros afirmam votar em branco ou anular seu voto para uma das vagas, e 5% para as duas vagas. Não sabem em quem votar para uma das vagas somam 23% e 16% não sabem em quem votar para as duas vagas.

Aécio tem melhor desempenho entre os eleitores de Belo Horizonte 72%, entre os mais jovens (73%), entre os eleitores de José Serra (79%) e entre os 95% dos simpatizantes do seu partido.

Itamar Franco, por sua vez, se destaca entre os eleitores do PSDB, dos quais 65% votam no ex-presidente.

São Paulo, 10 de setembro de 2010

MG: Datafolha 67% para tucano, 42% para ex-presidente, 29% para Pimentel e 35% indecisos.

Aécio e Itamar lideram corrida pelo Senado em MG, diz Datafolha

Do G1 MG

INTENÇÃO DE VOTO PARA O SENADO EM MINAS GERAIS %
Resposta estimulada e múltipla  
Aécio Neves (PSDB) 67%
Itamar Franco (PPS) 42%
Pimentel (PT) 29%
Marilda Ribeiro (PSOL) 3%
Zito Vieira (PCdoB) 3%
Rafael Pimenta (PCB)  3%
José João da Silva (PSTU) 1%
Miguel Martini (PHS)  1%
Betão (PCO)  1%
Efraim Moura (PSTU) 1%
Mineirinho (PSOL) 1%
Alfredo (PRB)* 1%
Em branco/nulo/nenhum 13%
Não sabe 35%
(*) Candidatura indeferida pelo TRE.
Fonte: Datafolha

Aécio Neves (PSDB) e Itamar Franco (PSB) lideram a disputa pelas duas vagas ao Senado por Minas Gerais segundo pesquisa Datafolha divulgada nesta segunda-feira (16).

O ex-governador de Minas Gerais Aécio Neves (PSDB) lidera com 67% das intenções de voto. O ex-presidente da República Itamar vem em segundo, com 42% das preferências. Fernando Pimentel (PT), ex-prefeito de Belo Horizonte, aparece em terceiro lugar, com 29% das intenções de voto.

Na pesquisa anterior, Aécio tinha 64% e Itamar 44%. Fernando Pimentel aparecia com 30%.

Marilda Ribeiro (PSOL), Zito Vieira (PCdoB) e Rafael Pimenta (PCB), vêm em seguida, com 3% das intenções de voto cada.

José João da SIlva (PSTU), Miguel Martini (PHS), Betão (PCO),  Efraim Moura (PSTU) e Mineirinho (PSOL) têm 1% cada. Alfredo (PRB) teve a candidatura indeferida pelo TRE, mas ainda aparece na pesquisa Datafolha e teve 1% das intenções de voto.

 Outros 13% afirmaram que votariam em branco ou anulariam o voto. O percentual dos eleitores que não sabem em quem votar para o Senado atingiu 35%. O Datafolha consultou 1.685 eleitores de 8 a 9 de setembro. A margem de erro é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos.

A pesquisa foi registrada no Tribunal regional Eleitoral com o número 69732/2010.

Em MG, Costa tem 39%, e Anastasia, 36%, segundo Datafolha

Margem de erro é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos.
Levantamento foi feito entre os dias 8 e 9 de setembro, com 1.685 eleitores.

Do G1, em São Paulo

Pesquisa Datafolha sobre a disputa ao governo de Minas Gerais divulgada nesta sexta-feira (10)  registra o candidato Hélio Costa (PMDB) com 39%, e Antonio Anastasia (PSDB), com 36%.

Como a margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos, Costa pode ter entre 37% e 41%, e Anastasia, entre 34% e 38%.

Os candidatos Edilson Nascimento (PT do B), Zé Fernando Aparecido (PV), Professor Luiz Carlos (PSOL), Vanessa Portugal (PSTU), e Fabinho (PCB), têm 1% das intenções de voto.

O Datafolha também simulou a possibilidade de segundo turno entre os candidatos Hélio Costa e Antonio Anastasia. Nesta simulação, Costa tem 47%, e Anastasia, 39%.

A pesquisa Datafolha foi encomendada pela TV Globo e pelo jornal “Folha de S.Paulo”.

Veja a seguir os dados completos da pesquisa:

INTENÇÃO DE VOTO PARA O GOVERNO DE MINAS GERAIS
Hélio Costa (PMDB)                                                                                                                             39%          
Antonio Anastasia (PSDB) 36%
Vanessa Portugal (PSTU) 1%
Fabinho (PCB) 1%
Professor Luiz Carlos (PSOL) 1%
Edilson Nascimento (PTdoB) 1%
Zé Fernando Aparecido (PV) 1%
Pepê (PCO)* menos de 1%
Brancos e nulos 5%
Não sabe/não respondeu 16%
Data da pesquisa: 8 de setembro a 9 de setembro
Número de entrevistas: 1.685
Margem de erro: 2 pontos percentuais para mais ou para menos
Registro no TRE: protocolo nº 69732/2010
(*) Teve candidatura indeferida pelo TRE
 

Anastasia e Hélio Costa mantém empate técnico em MG, diz Ibope

O candidato do PSDB, Antonio Anastasia, chegou aos 35% de intenções de votos e ultrapassou numericamente seu adversário Hélio Costa (PMDB), que tem 33%, na corrida para o goveno de Minas Gerais, segundo pesquisa Ibope divulgada nesta sexta-feira (3) pelo jornal O Estado de S. Paulo e pela Rede Globo. No entanto, considerando a margem de erro, os dois permanecem empatados.

A candidata do PSTU, Vanessa Portugal, e Fabinho, do PCB, têm 1%. Os demais candidatos não pontuaram. Brancos e nulos somaram 6% e os indecisos chegam a 23%.

O empate técnico entre Costa e Anastasia se repete na pesquisa sobre segundo turno: o tucano teria 37% das preferências, contra 36% de Costa.

Fonte: Portal Terra

Datafolha: Costa lidera com 40%; Anastasia chega a 35% em MG

Pesquisa Datafolha de intenção de votos para o governo de Minas Gerais. Foto: Arte/TerraPesquisa Datafolha de intenção de votos para o governo de Minas Gerais
Foto: Arte/Terra

O candidato ao governo de Minas Gerais pelo PMDB, Hélio Costa, lidera a corrida eleitoral com 40% das intenções de voto, segundo pesquisa Datafolha divulgada nesta sexta-feira (3) pelo jornal Folha de S. Paulo . O governador, Antonio Anastasia (PSDB), tem 35%.

Na última pesquisa Datafolha, divulgada no dia 27 de agosto, o candidato do PMDB ao governo de Minas aparecia com 43% das intenções de voto contra 29% do tucano.

Segundo o novo levantamento, Zé Fernando Aparecido (PV), Professor Luiz Carlos (PSOL), Vanessa Portugal (PSTU), Fabinho (PCB) e Edilson Nascimento (PT do B) somaram 1% cada. Os votos brancos e nulos somam 4%. Enquanto 15% dos entrevistados não souberam ou não quiseram responder. A margem de erro é de dois pontos percentuais.

Senado
O ex-governador de Minas Gerais, Aécio Neves (PSDB), lidera a corrida ao Senado pelo Estado. O tucano aparece com 64% das intenções de voto, seguido do ex-presidente Itamar Franco (PPS), que tem 44%. Em terceiro lugar, está o petista Fernando Pimentel, ex-prefeito de Belo Horizonte, que marcou 30%.

O candidato do PSTU, José João da Silva, aparece com 3%, e Marilda Ribeiro (PSOL), Rafael Pimenta (PCB) e Miguel Martini (PHS), com 2% cada. Alfredo (PRB), Betão (PCO), Efraim Moura (PSTU), Mineirinho (PSOL) e Zito Vieira (PC do B) têm 1% cada.

Encomendada pela Folha de S. Paulo , a pesquisa foi realizada entre os dias 27 de agosto e 2 de setembro, com 1670 entrevistados em todo Estado, e registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) em 27 de agosto de 2010, sob o número 27395/2010.

Fonte: Portal Terra

Pesquisas apontam metade dos estados com definição em 1º turno

Por: Fábio Oscar, especial para a Rede Brasil Atual

Publicado em 03/09/2010, 17:43

Última atualização às 17:43

Pesquisas apontam metade dos estados com definição em 1º turno São 15 estados com indicativo de definição em primeiro turno, faltando um mês para a votação (Foto: Nelson Jr./Asics/TSE)

São Paulo – Se as eleições fossem hoje, o Brasil teria 15 novos governadores eleitos ainda no primeiro turno. Seis confrontos estão indefinidos e outros sete possivelmente vão para decisão no segundo turno. Um mês antes da votação de 3 de outubro, a tendência indicada pelas pesquisas de intenção de voto é de confronto quase resolvido nos maiores colégios eleitorais e reforço para as fileiras do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

O levantamento do site UOL considerou as pesquisas Datafolha e Ibope divulgadas até 2 de setembro. Os números indicam provável fim no primeiro turno nas disputas com apenas dois candidatos acima de 10% nas intenções de voto. A exceção é o Pará, onde a indecisão se deve aos percentuais de quatro candidatos menores, apesar de nenhum deles chegar aos 10%, de acordo com o Ibope.

Na região Sudeste, a maior batalha eleitoral do primeiro turno está em Minas Gerais, onde o governador Antonio Anastasia (PSDB), sucessor de Aécio Neves, emparelhou com o ex-ministro Hélio Costa. Sem outros adversários fortes na disputa, um dos dois deve terminar o primeiro turno como vencedor. Dilma Rousseff (PT) e José Serra (PSDB) têm investido tempo no segundo maior colégio eleitoral do país.

Os demais mostram definição sem nova votação. São Paulo é o onde há menor vantagem na região. Geraldo Alckmin (PSDB) é o grande favorito, mas vem perdendo vantagem em relação a Aloízio Mercadante (PT), em função das investidas de Dilma e de Luiz Inácio Lula da Silva. No Rio de Janeiro, Sergio Cabral (PMDB) deve se reeleger. No Espírito Santo, a provável vitória é de Renato Casagrande (PSB).

No Sul, apenas o Paraná deve decidir o pleito já em 3 de outubro. Beto Richa (PSDB) leva ampla vantagem sobre Osmar Dias (PDT) e a soma dos seus adversários até agora não é o bastante para viabilizar a disputa em 31 de outubro. O Rio Grande do Sul se encaminha para um segundo turno entre Tarso Genro (PT) e José Fogaça (PMDB). Santa Catarina promete um enfrentamento entre Ângela Amin (PP) e Raimundo Colombo (DEM).

No Nordeste, quatro disputas se encaminham para decisão no primeiro turno. Todas com aliados de Lula e Dilma: Sergipe (Marcelo Deda/PT), Pernambuco (Eduardo Campos/PSB), Paraíba (José Maranhão/PMDB) e Ceará (Cid Gomes/PSB). Em Alagoas, Fernando Collor (PTB), Ronaldo Lessa e o governador Teotônio Vilela (PSDB) disputam para saber quem chegará ao segundo turno. No Piauí, os rivais são Silvio Mendes (PSDB), Wilson Martins (PSB) e João Vicente Claudino (PTB).

Há também três disputas com claros favoritos, segundo Datafolha e Ibope, mas que podem terminar apenas no segundo turno, por conta de candidatos menores. Na Bahia, Jaques Wagner (PT) é o favorito contra Paulo Souto (DEM); no Maranhão, Roseana Sarney (PMDB) leva vantagem contra Jackson Lago (PDT); e, no Rio Grande do Norte, Rosalba Ciarlini (DEM) é uma rara oposicionista à frente de um aliado de Lula, Iberê Ferreira de Souza (PSB).

Apenas o Mato Grosso deve ter segundo turno no Centro-Oeste. Silval Barbosa (PMDB), aliado do ex-governador Blairo Maggi (PR), é presença provável. Wilson Santos (PSDB) e Mauro Mendes (PSB) disputam a outra vaga. No Mato Grosso do Sul, André Puccinelli (PMDB) tem reeleição provável no confronto com Zeca do PT.

No Distrito Federal, Agnelo Queiroz (PT) abre distância sobre Joaquim Roriz (PSC) e, por falta de outros rivais, pode definir já no primeiro turno. Para a oposição, o foco é a campanha em Goiás, onde Marconi Perillo (PSDB) definiria a disputa com Iris Rezende (PMDB) já no primeiro turno se as eleições fossem hoje.

Na região Norte, o PT concentra esforços para não perder o governo do Pará para a oposição. A possibilidade de isso acontecer é grande, segundo as pesquisas. Simão Jatene (PSDB) está à frente da governadora Ana Júlia Carepa (PT), e apenas a manutenção e crescimento de candidaturas com menos de 6% das intenções de voto o impediriam de vencer já na primeira votação.

Há provável vencedor de primeiro turno no Acre: Tião Viana (PT). Em outras disputas que devem terminar em 3 de outubro por falta de mais oponentes de peso, o Amazonas deve escolher entre o governador Omar Aziz (PMN) e o ex-ministro Alfredo Nascimento (PR); Tocantins escolherá entre a reeleição do governador Carlos Gaguim (PMDB) e Siqueira Campos (PSDB).

Em Rondônia, João Cahulla (PPS), Expedito Júnior (PSDB) e Confúcio Moura (PMDB) estão tecnicamente empatados. Em Roraima, o governador José de Anchieta Júnior (PSDB) e Neudo Campos (PP) também estão parelhos.

No Amapá, a tendência é de um segundo turno entre Lucas Barreto (PTB), Jorge Amanajás (PSDB) e Pedro Paulo (PP). Mais atrás, Camilo Capiberibe (PSB) pode ajudar a embolar a disputa nas próximas semanas.

MG: Anastasia (35%) lidera pela primeira vez tecnicamente empatado com , e Hélio (33%) aponta Ibope

O governador de Minas Gerais e candidato à reeleição, Antonio Anastasia (PSDB), lidera pela primeira vez a disputa eleitoral no Estado com 35%, segundo pesquisa Ibope divulgada pelo jornal O Estado de S. Paulo neste sábado (28). Apoiado pelo presidente Lula, Hélio Costa (PMDB), que liderava todas as pesquisas desde o lançamento das candidaturas, aparece com 33%. O resultado pode ser considerado um empate técnico considerando a margem de erro da pesquisa, dois pontos percentuais.

Na última pesquisa Ibope, divulgada no dia 17 de agosto, o candidato do PMDB ao governo de Minas aparecia com 38% das intenções de voto contra 27% do tucano.

Segundo o novo levantamento, Vanessa Portugal (PSTU) e Zé Fernando Aparecido (PV) têm 1% cada e os demais candidatos não pontuaram. Os votos brancos e nulos somam 6%. Enquanto 24% dos entrevistados não souberam ou não quiseram responder.

Encomendada pelo jornal O Estado de S. Paulo e pela Rede Globo , a pesquisa foi realizada entre os dias 23 e 28 de agosto, com 1806 entrevistados em todo Estado, e registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) em 23 de agosto de 2010, sob o número 26113/2010

Fonte: Portal Terra

Minas Gerais – Datafolha. Helio Costa (43%) venceria no primeiro turno, mas Anatasia (29%) está subindo.

Em Minas Gerais, o candidato tucano Antonio Anastasia subiu 12 pontos e chega aos 29%. O seu principal concorrente ao governo mineiro, Hélio Costa (PMDB) permanece na frente com 43% das intenções de voto.

Os outros candidatos Fabinho (PCB), Vanessa Portugal (PSTU), Luiz Carlos (PSOL), Zé Aparecido (PV) e Edilson Nascimento (PT do B) marcaram 1%. Pepê (PCO) não pontuou.

O número de eleitores que votam em branco, nulo ou nenhum somam 7%. Os que não sabe são 16%. Foram entrevistados 1.261 eleitores em 52 cidades mineiras.

A margem de erro da pesquisa é de três pontos porcentuais, para mais ou para menos.

A pesquisa foi registrada no Tribunal Regional Eleitoral 64318/2010 (TRE-MG).

Fonte: estadão.com.br

Minas Gerais: Pesquisa Sensus mostra vitória de Hélio Costa (44,1%) com vantagem de 18,6%.

Uma nova pesquisa do Instituto Sensus, divulgada neste domingo, dia 22, revela que Hélio Costa continua a liderar a disputa pelo governo de Minas. De acordo com o levantamento, Hélio Costa, candidato da coligação “Todos Juntos por Minas”, tem 44,1% da intenção dos votos enquanto Antônio Anastasia, que concorre à reeleição, tem 25,5%. Uma vantagem de 18,6 pontos percentuais.

A pesquisa mostra ainda que 1,1% votam em Vanessa Portugal e os demais candidatos, somados, têm 2,2% da preferência. Votos em branco, nulo e eleitores indecisos totalizam 27,1%.

Na simulação de segundo turno, 50,3% dos eleitores dão a vitória a Hélio Costa e Anastasia fica com 29,5%. O número de indecisos e de votos brancos e nulos chega a 20,1%.

1.500 eleitores responderam à pesquisa feita entre os dias 15 e 17 de agosto, em 53 cidades de Minas. A margem de erro é de 2,5 pontos percentuais. O levantamento está registrado no Tribunal Superior Eleitoral sob o número 63.004/2010

 Fonte: http://www.ptmg.org.br

Vox Populi/Band/IG Confira o resultado das últimas pesquisas nos Estados

Veja como está a disputa aos governos estaduais em São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Bahia, Pernambuco e Paraná

São Paulo

Data: 12/08/2010

  • Geraldo Alckmin (PSDB)
    49%
  • Aloizio Mercadante (PT)
    17%
  • Celso Russomanno (PP)
    9%
  • Paulo Skaf (PSB)
    0%
  • Brancos ou nulos
    8%
  • Indecisos
    14%

Rio de Janeiro

Data: 12/08/2010

  • Sérgio Cabral (PMDB)
    49%
  • Fernando Gabeira (PV)
    15%
  • Cyro Garcia (PSTU)
    2%
  • Brancos ou nulos
    12%
  • Indecisos
    19%

Minas Gerais

Data: 12/08/2010

  • Hélio Costa (PMDB)
    36%
  • Antonio Anastasia (PSDB)
    26%
  • Brancos ou nulos
    6%
  • Indecisos
    27%

Bahia

Data: 14/08/2010

  • Jaques Wagner (PT)
    45%
  • Paulo Souto (DEM)
    23%
  • Geddel Vieira Lima (PMDB)
    10%
  • Brancos ou nulos
    5%
  • Indecisos
    15%
Fonte: datafolha Ver pesquisa completa

Pernambuco

Data: 13/08/2010

  • Eduardo Campos (PSB)
    62%
  • Jarbas Vasconcelos (PMDB)
    21%
  • Brancos ou nulos
    3%
  • Indecisos
    11%
Fonte: datafolha Ver pesquisa completa

Amazonas

Data: 31/07/2010

  • Omar Aziz (PMN)
    49%
  • Alfredo Nascimento (PR)
    37%
  • Brancos ou nulos
    4%
  • Indecisos
    9%

Sensus em Minas: Hélio Costa tem 46,4%, Anastasia 26,3%; Aécio lidera para o Senado e Pimentel disputa segunda vaga.

UOL Eleições

Pesquisa Sensus divulgada nesta quarta-feira (11) mostra o candidato ao governo de Minas Gerais, Hélio Costa (PMDB), com 46,4% das intenções de voto, seguido do tucano Antonio Anastasia, com 26,3%.

Segundo a pesquisa, Vanessa Portugal, do PSTU, tem 1,4% das intenções de voto, Edilson Nascimanto (PT do B), 1,3. Os demais candidatos, Professor Luiz Carlos (PSOL), Pepê (PCO), Fabinho (PCB) e Zé Fernando Aparecido (PV) obtiveram menos de 1% dos votos.

Votos em branco ou nulos e de indecisos somam  22%. A margem de erro é de 2,5 pontos percentuais, para mais ou para menos.

Na pesquisa espontânea, Hélio Costa aparece com 23,5% das intenções de voto. Anastasia tem 16,1% e todos os demais candidatos aparecem com menos de 1%.

A pesquisa também avaliou a intenção de votos para um eventual segundo turno. Nesse cenário, o peemedebista teria 54,9% dos votos contra 28,5% de Anastasia. Votos em branco ou nulos e de indecisos somam 16,7%.

No quesito rejeição, 28,9% dos eleitores disse que não votaria em Anastasia, contra 19% de Costa. Com relação ao conhecimento do candidato, 16,7% afirmaram não conhecer o candidato tucano, vice do ex-governador Aécio Neves (PSDB), e outros 3,9% disseram não conhecer o ex-ministro das Comunicações.

Senado

Na corrida para o Senado, o tucano Aécio Neves, ex-governador de Minas, lidera a pesquisa. Dos entrevistados, 66,2% disseram votar no tucano, sendo que ele seria a primeira opção de voto [cada eleitor terá de votar em dois senadores].

Itamar Franco, do PPS, aparece em segundo com 10,7% das intenções de voto.O ex-prefeito de Belo Horizonte, Fernando Pimentel (PT) tem 6,1%, seguido dos candidatos Mineirinho (PSOL), com 2,2%, e Efraim Moura (PSTU), com 1,5%. Os demais candidatos registraram menos de 1% das intenções de voto. Votos em branco ou nulos e de indecisos somam 10,2%.

A pesquisa foi realizada entre os dias 6 e 9 de agosto, com 1.500 entrevistados, e está registrada no TRE-MG (Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais) com o número 59.507/2010 e no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) com o número 22.733/2010.

%d blogueiros gostam disto: