Dilma abre vantagem de 19 pontos sobre Serra no Rio de Janeiro

A pesquisa Ibope/Estado/TV Globo, feita nos Estados, também mostra Dilma ladeira acima, e Serra ladeira abaixo nos estados.

Minas Gerais

Dilma: 44%
Serra: 32%

A diferença corresponde a 1,2 milhão de votos, levando-se em conta o tamanho do eleitorado e as taxas históricas de abstenção.

O voto “Dilmasia” pegou entre os eleitores de Aécio Neves (PSDB). Entre os entrevistados que declaram voto em Anastasia para governador (que também não decolou, ficando bem atras de Helio Costa), 48% preferem Dilma, contra 37% que preferem Serra.

Rio de Janeiro

Dilma: 46%
Serra: 27%

Espírito Santo, há um empate, por enquanto

Serra: 38%
Dilma: 36%

Quando os capixabas se derem conta de que José Serra foi o carrasco deles na Constituinte de 88 para “saquear” o ICMS do Petróleo produzido no Estado …

São Paulo

Serra: 44%
Dilma: 33%

Pernambuco

Dilma: 59%
Serra: 26%

Distrito Federal

Dilma: 36%
Serra: 25%

Amazonas

Dilma: 68%
Serra: 16%

Anúncios

Blogosfera Paulo Teixeira. Comunidade das Lan Houses ganha nova ferramenta

Escrito em 30 de julho de 2010

O Programa Democracia Eletrônica, da Câmara dos Deputados, lançou mais uma ferramenta que promete facilitar ainda mais a ação de quem quer contribuir na consulta pública. Trata-se da Wikilegis, que permite discutir na íntegra ou artigo por artigo a minuta do Projeto de Lei.

Assim, fica muito mais fácil organizar as ideias que comporão o documento final.

Para acessar a nova ferramenta, siga os seguintes passos:

1. clique na comunidade lan houses no Portal e-Democracia (http://www.edemocracia.gov.br);

2. Abaixo do campo dos fóruns, você visualizará o wikilegis;

3. Clique em “Editar”;

4. Em seguida, abaixo do próprio campo do texto terá uma opção de clique na barra cinza “OK”. Clique!;

5. Imediatamente abrir o espaço de edição e contribuição para o texto minuta no Wikilegis, onde terá um sumário para edição do texto integral ou por artigo;

6. Para você postar sua proposta, basta clicar em “EDITAR” no menu do Wikilegis, onde abrirá um tela para edição do texto, igual a um modelo do Word;

7. Abaixo também do campo de edição do seu texto, você também tem um espaço de comentário, bastar clicar em “Adicionar comentários”;

8. Para acompanhar as versões e analisar as propostas sugeridas, bastar clicar em “Histórico” no menu do Wikilegis, onde você poderá visualizar sua ou outra versão clicando em “DIFF”, na tabela de versões que contém as opção de autor, arquivo, última modificação, etc.

Todo debate público é sempre importante. E este, em especial, trata de um elemento fundamental capaz de combater a exclusão digital e social do nosso país. Por isso, contamos com seu apoio e contribuição.

Terceirizações crescem 40% na gestão de Serra em SP

As terceirizações em São Paulo

Enviado por luisnassif, sex, 30/07/2010 – 16:28

Do R7

Crítico do inchaço da máquina, tucano aposta na iniciativa privada para administrar 

Thiago Faria, do R7

Enquanto o candidato José Serra (PSDB) torna a crítica ao inchaço da máquina pública e o loteamento de cargos no governo federal uma das bandeiras de campanha, a administração do tucano em São Paulo teve como uma de suas marcas as terceirizações. De acordo com dados do Sisgeo (sistema de gerenciamento do orçamento paulista), despesas com contratações de serviços que poderiam ser feitos por servidores do governo, mas foram repassados a terceiros, como limpeza, segurança, vigilância, além de repasses a entidades conveniadas, cresceram 40% de 2006 a 2009.

Questionado sobre as tercerizações, em sabatina ao R7, na última quinta-feira, o candidato tucano preferiu dizer que, se eleito, vai combater o inchaço da máquina acabando com “desperdícios”. Ele admitiu que na esfera federal há funcionários demais, mas aponta que o problema está nos cargos comissionados (que não precisam de concursos), e não nos funcionários públicos. Serra afirmou que abriu 110 mil vagas em concursos no Estado, quando governou São Paulo.

Essa marca da administração tucana de optar por repassar a terceiros funções que antes eram exercidas pelo Estado foi sentida logo que Serra sentou na cadeira de governador, em 2007. Em seu segundo dia de mandato, o tucano assinou um decreto determinando o enxugamento em 15% os gastos com funcionários em cargos de comissão ou função de confiança. Atualmente, dos quase 450 mil funcionários do governo, apenas 6.239 (1,4%) são comissionados.

Já o gasto com terceirizações só cresceu. Em 2006 – último ano da gestão de Geraldo Alckmin (PSDB) – o governo gastou R$ 7,95 bilhões. No ano seguinte, primeiro de Serra no Palácio dos Bandeirantes, o valor saltou para R$ 8,53 bilhões, com altas sucessivas nos anos seguintes: R$ 9,61 bilhões em 2008 e R$ 10,26 bilhões em 2009. Serra deixou o governo em abril deste ano para disputar a Presidência. 

Para fazer o cálculo, foram considerados todos os serviços que seriam de responsabilidade do Estado e os que ele paga alguém (empresas) para fazer. Além dos serviços já citados, também entram na conta repasses a organizações sociais, como as que administram hospitais públicos, a entidades de assistência a presos e também as terceirizações de leitos, ou seja, quando o governo paga uma espécie de aluguel a um hospital privado por internações de pacientes.

Solicitado pelo R7, o governo não informou um valor oficial destes gastos, nem quantos empregados terceirizados prestam serviço para o Estado atualmente. A assessoria de imprensa da Secretaria Estadual de Gestão afirma não haver um controle, pois as contratações são referentes a serviços e quem decide se vai usar uma ou cem pessoas para realizá-los são as próprias empresas contratadas.

Governo federal

Em eventual vitória em outubro, Serra não deve encontrar obstáculos caso queira adotar seu modo de administrar no governo federal. De acordo com Jorge Kayano, pesquisador do Instituto Pólis, as terceirizações, embora criticadas, são cada vez mais adotadas como forma de gestão.

– Há toda uma polêmica em cima de modelos de gestão, mas, no fundo, a procura é por modelos que sejam alternativos ao modelo da administração direta, que é considerado ultrapassado, mas ao mesmo tempo ainda é dominante na administração pública.

Professor de gestão pública da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) Carlos Raul Etulain diz que a terceirização da administração pública é uma alternativa viável para suprir demandas sociais que o Estado não dá conta, mas que é preciso tomar cuidado.

– Essas alternativas, desde que sejam transparentes e bem geridas, são viáveis. Mas é importante lembrar que não existe só um modelo, mas vários que vão se adaptando de acordo com as necessidades de cada setor e de cada demanda. Entretanto, em todos devem ser exigidos a transparência, única forma de se evitar a corrupção.

O problema, ressalta Kayano, é que repassar serviços essenciais à população para a iniciativa privada, como o atendimento na saúde, representa um reconhecimento de que o Estado é incapaz de realizar aquele tipo de serviço.

– O autorreconhecimento de falência ou incapacidade de gestão é um problema do ponto de vista da administração publica, porque se alguém reconhece a sua incapacidade, nem deveria estar lá.

Pernambuco: Eduardo Campos do PSB apresenta 60% das intenções de voto.

30/07/2010 19h28

Eduardo Campos lidera pesquisa para governo de PE, diz Ibope

Do G1, em São Paulo

Pesquisa Ibope divulgada nesta sexta-feira (30) sobre a intenção de voto para o governo de Pernambuco mostra o candidato Eduardo Campos (PSB) na frente, seguido por Jarbas Vasconcelos (PMDB). A pesquisa foi encomendada pela TV Globo e pelo jornal O Estado de S. Paulo. Os resultados da pesquisa estimulada são:

CANDIDATO INTENÇÕES DE VOTO
Eduardo Campos (PSB) 60%
Jarbas Vasconcelos (PMDB) 24%
Anselmo Campelo (PRTB) 1%
Edilson Silva (PSOL) 1%
Jair Pedro (PSTU) 0%
Roberto Numeriano (PCB) 0%
Sérgio Xavier (PV) 0%
Branco/ Nulo 5%
Indecisos 8%

 
Senadores

A pesquisa também levantou as preferências dos eleitores entre os candidatos ao Senado. Os resultados são:

CANDIDATOS INTENÇÕES DE VOTO
Humberto Costa (PT) 44%
Marco Maciel (DEM) 43%
Armando Monteiro (PTB) 27%
Raul Jungmann (PPS) 12%
Helio Cabral (PSTU) 2%
Renê Patriota (PV) 2%
Simone Fontana (PSTU) 2%
Jeronimo Ribeiro (PSOL) 1%
Délio Mendes (PCB) 0%
Lairson Lucena (PRTB) 0%
Branco/ Nulo 14%
Indecisos 32%

 A margem de erro máxima estimada é de 2 pontos percentuais para mais ou para menos. A pesquisa foi registrada no TRE/PE sob protocolo número 34524/2010 e no TSE sob número 20803/2010.

Paraíba – Consult: Dilma dispara na frente com 54,1% das intenções; Serra tem 27,9%

30 de julho de 2010

O instituto Consult divulgou na manhã desta sexta-feira, 30, mais uma pesquisa encomendada pelo Sistema Correio, desta vez com as intenções de voto dos paraibanos para a Presidência da República. A candidata petista Dilma Rousseff aparece na frente, seguida de José Serra (PSDB) e Marina Silva (PV).
De acordo com a Consult, Dilma tem hoje 54,15 das intenções de voto. Na pesquisa realizada pelo instituto em junho, ela aparecia com 46,40%, o que representa um crescimento de 7,7 pontos. O segundo candidato mais bem colocado é o tucano José Serra, que tem 27,9% dos votos. Na pesquisa anterior, Serra tinha 33,25% das intenções, calculando-se uma queda de 5,35 pontos. Já a terceira colocada, Marina Silva, tem apenas 4,35%. Ela tinha 7,35% dos votos na Consult de junho.
A pesquisa foi realizada entre os dias 22 e 25 de julho, em 69 municípios paraibanos. Duas mil pessoas foram entrevistadas. Entre elas, 3,45% declaram não votar em nenhum candidato e 9,80 ainda estão indecisos. A margem de erro é de 2% para mais ou para menos, e a confiabilidade da pesquisa é de 90%.
A pesquisa foi registrada no dia 22 de julho no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o número 20464/2010. No Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba (TRE-PB), a data de registro da pesquisa é a mesma, porém o número é 21673/2010Paraiba

Mesmo expurgando votos da militância, Dilma aparecerá 5 pontos na frente de Serra no Ibope

Dilma teria cinco pontos à frente no Ibope, diz Noblat

A coluna de Ricardo Noblat, em O Globo, acaba de dizer que a pesquisa encomendada pela Globo ao Ibope, que deve ser divulgada hoje ou amanhã pelo Jornal Nacional, apontaria uma vantagem de cinco pontos percentuais em favor de Dilma Rousseff. A pesquisa Ibope – que como eu já ressaltei aqui foi realizada de forma simultânea a 12 pesquisas estaduais mas, ao contrário do Datafolha, não misturou as amostras estaduais e nacional, que teve 2506 entrevistas. A margem de erro é de 2%, o que elimina a hipótese de empate técnico.

O Datafolha,assim, ficaria sozinho como último bastião do serrismo estatístico.

Petroleiros criam Comitê Nacional Pró-Dilma e participam de ato em defesa das estatais

Imprensa da FUP

Em todo o país, trabalhadores das mais diversas categorias intensificaram a militância pela eleição de Dilma Rousseff. A candidata do PT tem o apoio das seis centrais sindicais brasileiras: CUT, CTB, Força Sindical, NCST, CGTB e UGT. É a primeira vez na história do país que o movimento sindical se unifica em torno de uma candidatura à Presidência da República.

Os petroleiros, que sempre se posicionaram em defesa da democracia e da soberania popular, também estão com Dilma. Na II Plenária Nacional da FUP, os delegados aprovaram por unanimidade o apoio à candidata. No último dia 16, os petroleiros inauguraram no Rio de Janeiro o Comitê Nacional Pró-Dilma, que hoje já conta com a participação de trabalhadores de várias estatais, servidores públicos, eletricitários, bancários, professores, metalúrgicos, portuários, moedeiros, entre outras categorias.

O Comitê tem organizado várias atividades e já se tornou referência da militância, que tem utilizado o espaço para promover debates e divulgar propostas. Na quinta-feira, 29, o presidente nacional do PT, José Eduardo Dutra, participou de um bate papo com os trabalhadores. Nesta sexta(30/07), o Comitê tembém realizou um ato público em defesa das estatais, reunindo centenas de manifestantes em frente à Petrobrás.

O espaço é aberto a todos que queiram somar-se à campanha pela eleição de Dilma e contra o retrocesso. Quem quiser participar é só comparecer ao Largo da Carioca, onde o Comitê está localizado (Edifício Avenida Central, loja C). Os petroleiros, que em 2002 e em 2006 foram fundamentais na eleição de Lula, mais uma vez vão à luta por um país soberano e com justiça social.

http://www.fup.org.br/noticias.php?id=4174

%d blogueiros gostam disto: