Primeira colocada do Paulista, Macaca treina às 16 horas desta quarta e Ferron destaca: temos que aprimorar o que está bom e não esperar uma crise

PontePress/GuilhermeDorigatti        

De olho no confronto com o vice-líder Santos, com quem dividiu a primeira posição nas últimas rodadas, o elenco da Ponte Preta treina às 16 horas desta quarta no Estádio Moisés Lucarelli. O foco dos atletas alvinegros é na vitória e, já na reapresentação de ontem, o técnico Guto Ferreira fez resenha aos jogadores enfatizando a importância de não se perder a concentração, fazendo uma referência ao último jogo da Macaca, quando o time vencia por 3 a 1 e acabou vendo o Ituano empatar nos minutos finais da partida. Para o zagueiro Ferron, a conversa veio no momento exato.

“Muitas vezes um treinador acaba fazendo esse tipo de conversa com o grupo em um momento de crise, mas o que o Guto fez ontem foi excelente: tem que chamar a atenção também quando a gente está bem, somos líderes, justamente para não se acomodar. Temos muito campeonato pela frente, mas estamos no caminho certo, então a conversa foi para focar ainda mais, acertar alguns pontos que precisamos de ajustes”, pontua o defensor.

Ele relembra que o treinador elogiou o grupo nos 45 minutos de preleção, especificando que a equipe conseguiu cumprir suas metas com louvor nos jogos que antecederam o Carnaval e se manter entre os oito, mas enfatizou a necessidade de se manter atento e focado nas partidas que virão. “Não foi um sermão e sim uma conversa necessária para nos mantermos mesmo caminho, com a mesma pegada que vínhamos tendo”, diz.

Ferron acrescenta que o jogo deste domingo será extremamente complicado e que todo o elenco conta com o apoio da massa alvinegra nas arquibancadas do Majestoso. “Será um jogo difícil, contra um time técnico e altamente qualificado. E eles vêm de derrota, então vão querer os três pontos, assim como nós queremos. E é aí que nossa torcida, que vem fazendo a diferença nesse início de competição, pode nos ajudar mais uma vez: espero que tenhamos casa cheia, para os torcedores nos incentivarem a fazer grande jogo e sairmos com a vitória.”

O jogador fala ainda sobre o fato de a defesa alvinegra, a menos vazada do Paulistão até o momento, ter tomado três gols no último jogo. “Pensamos em termos de time, quem está atuando bem e não tomando gols não é só defesa, é o ataque, é o meio, todo mundo está marcando, assim como todos vencem quando a Ponte vence. Mas não criar uma pressão em torno de termos que ser os menos vazados, pois uma hora tomamos gols. O que precisamos é manter atenção o tempo todo e já no domingo atuarmos com precisão para neutralizarmos o ataque do Santos e vencermos em casa novamente”, finaliza.

Melhores Momentos – Ponte Preta 3×3 Ituano

Anúncios

Ponte Preta empata com São Paulo e permanece invicta e dividindo a liderança do Paulistão

Com o resultado de 0 a 0, a Macaca segue na vice-liderança da competição, empatada em número de pontos com o líder Santos

A equipe da Ponte Preta foi até o Morumbi enfrentar o São Paulo e conseguiu somar mais um ponto na classificação, ao empatar com o time da casa por 0 a 0. Com o resultado, o time campineiro permanece invicto e na vice-liderança do Campeonato Paulista 2013, com 14 pontos, mesma pontuação do líder Santos, que está à frente da Ponte pelo saldo de gols.

A próxima partida da Macaca será no sábado (09), às 19h30, em Itu, contra o Ituano, pela 7ª rodada da competição. Para esse jogo, o técnico Guto Ferreira já pode contar com os meio-campistas Bruno Silva e Ramirez, que não estavam à disposição desse jogo por causa de suspensão e convocação para seleção peruana respectivamente.

O Jogo

Debaixo de muita chuva, a partida começou bem disputada entre as equipes, mas sem lances de perigo. Com o início marcado por muitas faltas o jogo ficou truncado. E foi atráves de uma falta que a Ponte teve seu primeiro lance de perigo no jogo.

Aos 20 minutos, Artur desviou de cabeça e quase abriu o marcador para a Ponte Preta, após cobrança de Chiquinho. O jogo permaneceu com muita marcação e sem lances de perigo entre as equipes.

Os donos da casa só chegaram de forma mais forte aos 40 minutos, após bola de Jadson para Osvaldo, que finalizou para fora, sem levar perigo ao gol de Edson Bastos. Quatro minutos depois, a Ponte teve um bom contra-ataque com o atacante William, que recebeu lançamento em profundidade. O atacante chutou cruzado para defesa de Denis. Sem mais chances o primeiro tempo terminou em 0 a 0.

O segundo tempo começa e logo aos 4 minutos a Ponte teve uma grande chance de gol, em chute forte de Chiquinho. O goleiro Denis espalmou para escanteio. O técnico Guto Ferreira decidiu alguns minutos depois modificar a equipe com duas alterações: Alemão no lugar de William e Diego Rosa na vaga de Wellington Bruno.

Aos 18 minutos foi a vez do São Paulo criar uma boa jogada. Osvaldo apareceu livre pelo lado esquerdo e chutou. A zaga da Ponte afastou a bola para escanteio. Aos 25 minutos foi a vez de Aloísio dominar dentro da área e concluir para fora do gol de Edson Bastos.

Três minutos depois a Ponte teve mais um contra-ataque. Chiquinho recebeu passe, mas concluiu para fora. Aos 38 minutos o volante Denilson chtuou de longa distância, sem perigos ao gol de Edson Bastos. Seis minutos depois o atacante Osvaldo pegou de primeira e o arqueiro da Ponte Preta jogou para escanteio novamente. O último lance de perigo do jogo foi da Ponte Preta. Diego Rosa ajeitou de peito e Chiquinhochutou de fora da área. A bola bateu no travessão e saiu. Sem mais lances de perigo entre os times, o placar final foi 0 a 0.

Ficha Técnica:

São Paulo: Denis; Douglas, Lúcio, Rodolfo (Rafael Toloi) e Cortez; Denilson, Wellington (Paulo Henrique Ganso), Jadson (Paulo Miranda) e Cañete; Osvaldo e Aloísio. Técnico: Ney Franco.

Ponte Preta: Edson Bastos; Artur, Cleber, Ferron e Uendel; Baraka, Memo (Xaves), Wellington Bruno (Diego Rosa) e Cicinho; Chiquinho e William (Alemão). Técnico: Guto Ferreira.

Data: 06/02/2013, quarta-feira – 22h00

Local: Estádio Cícero Pompeu de Toledo (Morumbi), São Paulo-SP.

Árbitro: José Cláudio Rocha Filho (SP).

Auxiliar: Gustavo Rodrigues de Oliveira (SP) e Edson Rodrigues dos Santos (SP).

Cartões Amarelos: Osvaldo e Rafael Toloi (São Paulo); Chiquinho (Ponte Preta).

Público: 5.685;

Renda: R$152.795,00.

Ponte vence o dérbi por 3 a 1 na casa do adversário e dorme na liderança do Paulistão: veja os gols alvinegros

William, Ramirez e Bruno Silva marcaram para a Macaca

Na tarde desse sábado (26) a Ponte Preta disputou o dérbi campineiro na casa do adversário e venceu o clássico pelo placar de 3 a 1. Os gols da Ponte foram marcados por William, Ramirez e Bruno Silva, o meia Fumagalli fez para o Guarani. Com o resultado, a Macaca chega a  sete pontos e dorme na liderança do Paulistão.

O próximo compromisso da equipe alvinegra será na quarta-feira (30) às 19h30 diante do Oeste no estádio Moisés Lucarelli, na primeira partida da Ponte no Majestoso na temporada 2013. A partida será válida pela 4º rodada do Campeonato Paulista.

O Jogo:

O primeiro lance de perigo da partida aconteceu aos 16 minutos quando Chiquinho, de dentro da área, chutou para a defesa de Emerson. No lance seguinte, Siloé invadiu a área e Edson Bastos saiu bem do gol para fazer a defesa nos pés do atacante. Três minutos depois, Chiquinho invadiu a área pela direita, deixou o marcador no chão e cruzou rasteiro para William, mas o zagueiro Leandro Sousa chegou para afastar antes do domínio do camisa 9 pontepretano.

Aos 25 minutos, Dener recebeu na área e Cleber chegou em cima do lance para travar o chute. Três minutos depois, Wellington Bruno fez jogada pela esquerda e cruzou na área, o atacante William subiu mais alto do que a defesa e cabeceou para o fundo do gol. 1 a 0 para a Ponte, o segundo gol de William no Paulistão.

Aos 31 minutos a Ponte chegou em contra ataque pela direita, Chiquinho tocou para Wellington Bruno cruzar na área e Cicinho cabeceou a bola no travessão. Um minuto depois, Fumagalli chutou da entrada da área e mandou por cima do gol. Aos 36, Chiquinho fez a finta pela esquerda e chutou forte, o goleiro Emerson espalmou e, no rebote, William não alcançou a bola por pouco.

A Macaca dominava a partida. Aos 38, William fez jogada pela direita e tocou para Baraka chutar de fora da área e mandar à direita do gol adversário. Aos 41 minutos Eusébio recebeu na área pela esquerda e chutou forte, mas Edson Bastos fez uma grande defesa para impedir o empate. Um minuto depois, Oziel cruzou da direita, Siloé desviou de peito e Fumagalli chutou para o gol. 1 a 1 no placar. Sem tempo para mais nada, o primeiro tempo foi encerrado após 1 minuto de acréscimo.

O primeiro lance da segunda etapa foi da Ponte. Aos 6 minutos William recebeu na área e chutou rasteiro para a defesa de Emerson. Aos 14 minutos, as duas primeiras alterações da Ponte, Wellington Bruno saiu para a entrada do estreante Ramirez e Chiquinho saiu para a entrada de Ferrugem. Aos 19, Fumagalli cobrou escanteio da direita, Leandro Sousa cabeceou e Edson Bastos espalmou. Três minutos depois, Ramirez cobrou falta da intermediária direto para o gol, surpreendeu Emerson que estava adiantado e marcou o segundo da Ponte. 2 a 1, o primeiro do peruano com a camisa alvinegra.

Aos 24 minutos Cicinho fez bela jogada pela direita e tocou para Ramirez pelo meio, o peruano carregou e tocou para Bruno Silva chutar forte da entrada da área e mandar a bola para dentro da rede. 3 a 1 para a Macaca, o primeiro do volante pela Ponte.

Aos 30 minutos Ramirez cobrou falta da entrada da área pela direita e mandou um pouco a cima do travessão. Seis minutos depois, a Ponte saiu em contra ataque rápido pelo meio com Ferrugem, mas o goleiro Emerson saiu do gol e cortou a bola de carrinho na intermediária. A terceira e última substituição promovida pelo treinador Guto Ferreira aconteceu aos 38, Memo entrou no lugar de Bruno Silva.

Aos 45, Dudu entrou na área pela direita e chutou cruzado pela linha de fundo. Sem mais lances de perigo, o jogo foi encerrado após 3 minutos de acréscimos. Vitória da Ponte Preta por 3 a 1 no 190º dérbi da história.

Ficha Técnica:

Ponte Preta: Edson Bastos; Artur, Cleber, Ferron e Uendel; Baraka, Bruno Silva (Memo), Cicinho e Wellington Bruno (Ramirez); Chiquinho (Ferrugem) e William. Treinador: Guto Ferreira.

Guarani: Emerson; Oziel, Montoya, Leandro Sousa e Bruno Recife; Ademir Sopa (Michel Elói), Eusébio, Lusmar (Dudu), Dener (Weslley) e Fumagalli; Siloé. Treinador: Zé Teodoro.

Data: 26/01/2013, sábado – 17 horas

Local: Estádio Brinco de Ouro da Princesa, Campinas-SP.

Árbitro: Wilson Luiz Seneme (SP).

Auxiliar: Danilo Ricardo Simon Manis (SP) e Paulo de Souza Amaral (SP).

Cartões Amarelos: Bruno Silva (Ponte Preta); Lusmar (Guarani).

Gols: William, Ramirez e Bruno Silva (Ponte Preta); Fumagalli (Guarani).

Após ‘rodada perfeita’, Ponte Preta se reapresenta nesta segunda já pensando no Grêmio

Vitória sobre o Cruzeiro e 'ajuda' dos rivais praticamente garantiu a Ponte na eliteVitória sobre o Cruzeiro e ‘ajuda’ dos rivais praticamente garantiu a Ponte na elite

Do UOL, em São Paulo

A rodada foi praticamente perfeita para a Ponte Preta. Depois de superar o Cruzeiro por 1 a 0 na quinta-feira, no Moisés Lucarelli, restou ao time alvinegro secar seus rivais diretos na luta contra o rebaixamento nos jogos de sábado. E deu certo. Nenhum deles venceu e com isso a vaga na Série A de 2013 foi praticamente garantida.

O Palmeiras, por exemplo, foi derrotado por 1 a 0 pelo Internacional e seguiu na 18ª colocação, enquanto o Sport acabou goleado pelo São Paulo e manteve o 17º lugar. Já Figueirense e Portuguesa somaram apenas um ponto cada após empate sem gols no Orlando Scarpelli, enquanto o Bahia ficou no 1 a 1 com o Grêmio em pleno Pituaçu e chegou só aos 37 pontos.

Com os resultados deste sábado, a Ponte Preta terminou a 33ª rodada a dez pontos do Sport, que soma 33 e é a equipe que abre a zona de rebaixamento da Série A do Campeonato Brasileiro.

Mais tranquilo, o elenco alvinegro se reapresenta nesta segunda-feira, às 16h30, no Moisés Lucarelli, para iniciar os preparativos para o próximo compromisso, que acontece neste sábado, diante do Grêmio, no estádio Olímpico.

“É importante conquistar mais pontos. Sabemos que é difícil jogar contra o Grêmio lá, mas se entrarmos como estamos entrando nos jogos dentro de casa, até o empate é um bom resultado. Vamos para lá para tentar sair de lá pontuando”, disse o zagueiro Cléber.

Hino da Ponte Preta,

Ponte vence por 3 a 2, cala o Pacaembu e está na Semifinal do Paulistão

William Magrão, Roger e Rodrigo Pimpão fizeram os gols da vitória em cima do Corinthians

Na tarde desse domingo (22) a Ponte Preta venceu o Corinthians jogando no Pacaembu e se classificou para a Semifinal do Paulistão. Os gols da Ponte foram marcados por William Magrão, Roger e Rodrigo Pimpão; os donos da casa fizeram com Willian e Alex. Com o resultado, a Macaca espera o vencedor de Guarani e Palmeiras para saber seu próximo adversário.

O próximo compromisso da equipe alvinegra será na quinta-feira (26) diante do São Paulo, às 21h50, no estádio Moisés Lucarelli. A partida será a primeira das Oitavas de Final da Copa do Brasil. Pelo Campeonato Paulista, a Ponte volta a jogar no próximo final de semana contra o vencedor de Guarani e Palmeiras pela Semifinal.

O Jogo:
Com o gramado do Pacaembu molhado, os donos da casa atacaram primeiro. Aos 7 minutos Emerson recebeu lançamento pela esquerda, foi à linha de fundo e cruzou para trás, mas João Paulo chegou em cima para cortar. Aos 11, Jorge Henrique recebeu na ponta esquerda da área e arriscou o chute, o goleiro Bruno estava ligado e segurou firme. Um minuto depois, João Paulo cobrou falta tocando para Uendel, o lateral pisou na bola, William Magrão veio de trás e chutou forte, no cantinho, Júlio Cesar foi na bola, mas não conseguiu segurar. 1 a 0 para a Macaca, o segundo de William Magrão no campeonato.
Aos 23 minutos Emerson tocou para Fábio Santos pela esquerda chutar forte e mandar por cima do gol. Três minutos depois, a primeira mudança na Ponte, Gerson estava sentido dores e teve que sair para a entrada de Xaves. Aos 27, Cicinho chegou em velocidade pela direita e cruzou na área, João Paulo veio de trás e chutou por cima. Aos 34 minutos Uendel fez um cruzamento preciso da esquerda e Roger apareceu na área para desviar para o gol. 2 a 0 para a Ponte, o quarto do camisa 9 no Paulistão.
Ralf arriscou de fora da área aos 35 minutos, mas a zaga da Ponte travou o chute e a bola saiu para escanteio. Aos 40, Danilo lançou para Liédson na área, o atacante bateu, mas mandou pela linha de fundo. Dois minutos depois, Roger invadiu a área e chutou para a defesa de Júlio Cesar, no rebote, William Magrão acertou a rede pelo lado de fora. Sem mais lances de perigo, o primeiro tempo foi encerrado. 2 a 0 para a Ponte no Pacaembu.
Na volta do intervalo, os donos da casa atacaram primeiro. Aos 4 minutos Edenílson tocou para Emerson na área, o atacante girou e chutou para a defesa de Bruno. Aos 8, João Paulo arriscou de longe e Júlio Cesar fez a defesa em dois tempos. Três minutos depois, Alex tentou de fora da área e mandou por cima do travessão. Aos 17, Renato Cajá cobrou falta rasteira e o goleiro corinthiano defendeu.
Aos 20 minutos Emerson fez jogada pela esquerda e cruzou rasteiro na área, Liédson tentou de carrinho, mas a bola passou pelo atacante e saiu. Cinco minutos depois, a segunda alteração na Ponte, Rodrigo Pimpão entrou no lugar de Caio. Aos 27 minutos Willian tentou da entrada da área e mandou para fora. Aos 29, Willian recebeu na linha da área e chutou na saída de Bruno para diminuir o placar, 2 a 1. Durante o lance, Renato Cajá estava caído no gramado e os jogadores do Corinthians não pararam o lance. Na sequência, o técnico Gilson Kleina protestou com o árbitro sobre a falta em cima de Renato Cajá e a falta de fair-play dos corintianos e foi expulso de campo.
Com a expulsão de Kleina, a Ponte passou a ser comandada pelo auxiliar Fábio Moreno. A última substituição da Macaca foi aos 37, Roger saiu para a entrada de Leandrão. Aos 41 minutos Paulinho recebeu em profundidade e tocou por cima de Bruno, Willian cabeceou em baixo da trave por cima do gol. Aos 44, Júlio Cesar cobrou tiro de meta errado, Renato Cajá lançou para Rodrigo Pimpão pela esquerda, e atacante invadiu a área e tocou na saída do goleiro, a zaga ainda afastou a bola, mas ela já havia entrado. 3 a 1 para a Macaca, o quinto gol de Pimpão na competição.
Logo na sequência o Corinthians foi ao ataque com tudo. Alex recebeu na meia lua da grande área e chutou forte, a bola desviou na zaga e tirou as chances de Bruno. 3 a 2 no Pacaembu.
Aos 48 minutos Paulinho recebeu na marca do pênalti e chutou para mais uma defesa de Bruno. Logo depois Cicinho recebeu pela direita, carregou e chutou, a bola desviou na zaga e saiu para escanteio. Aos 49, Emerson ainda arriscou da esquerda, mas mandou para fora. Sem tempo para mais nada, o jogo foi encerrado com o placar de 3 a 2, Ponte Preta classificada para a Semifinal do Campeonato Paulista.
Ficha Técnica:
Ponte Preta: Bruno; Guilherme, William Magrão, Ferron e Uendel; João Paulo Silva, Gerson (Xaves), Caio (Rodrigo Pimpão) e Renato Cajá; Enrico e Roger (Leandrão). Técnico: Gilson Kleina.
 
Corinthians: Júlio César; Edenílson, Marquinhos (Willian), Leandro Castán e Fábio Santos; Ralf, Paulinho e Danilo (Douglas); Jorge Henrique (Alex), Emerson e Liédson. Técnico: Tite.
Data: 22/04/2012, domingo – 16h00.
Local: Estádio Pacaembu, em São Paulo–SP.
Árbitro: Rodrigo Braghetto.
Assistentes: Marcelo Carvalho Van Gasse e Carlos Augusto Nogueira Júnior.
Cartões Amarelos: Roger, Renato Cajá, Guilherme, Cicinho, William Magrão e Bruno (Ponte Preta); Ralf e Liédson (Corinthians).
Gols: William Magrão, Roger e Rodrigo Pimpão (Ponte Preta); Willian e Alex (Corinthians).

Em artigo mentiroso, Luiz Ceará calunia Ponte Preta e presidentes Carnielli e Della Volpe

Em artigo publicado no “Blog do Ceará” em 11 de abril, o senhor Luiz Ceará distorce informações, mente, calunia a Ponte Preta e o presidente afastado Sérgio Carnielli, bem como o presidente em exercício Márcio Della Volpe. Ceará também omite uma série de informações e, ao fazê-lo, ilude o leitor que desconhece o contexto político da Ponte Preta. Em respeito ao torcedor pontepretano e à opinião pública, a Ponte Preta vem a público para dirimir as inverdades do citado artigo.

Antes de mais nada é preciso destacar o que Ceará não fala, para jogar luz sobre fatos citados pela metade por ele. O articulista se esquece de dizer, por exemplo, que a tal reunião da qual “uma fonte” dele participou foi realizada na última segunda e era um encontro da oposição ao presidente Sérgio Carnielli, realizado justamente porque na noite desta sexta-feira (13) o Conselho Deliberativo da Ponte Preta votará as contas do ano de 2011 do clube.

Ceará também menciona Lauro de Moraes como ex-presidente sem citar que ele concorreu contra Carnielli nas últimas eleições e perdeu. Não cita ainda que Carnielli está afastado da presidência porque um integrante da chapa de Moraes, André Carelli, está acusando Carnielli e a Ponte Preta de não terem seguido a Lei Pelé e que o mandatário alvinegro ficará fora do cargo até que a Justiça – que por sinal já recebeu pareceres de três especialistas comprovando tecnicamente que não ocorreu nenhuma irregularidade – julgue o mérito da questão.

Agora vamos às inúmeras mentiras e calúnias:

– Já no título, Ceará afirma que a Ponte deve 120 milhões a Carnielli, quando na verdade a dívida com Carnielli é de cerca de R$ 83 milhões, praticamente um terço a menos. Por sinal, a dívida é constituída porque Carnielli constantemente colocou aportes de verbas no clube não só para assumir dívidas já existentes e assim impedir que a Ponte perdesse seu patrimônio em ações, como também para manter a AAPP, que disputava competições deficitárias e não tinha verbas para se sustentar graças a inúmeras dívidas anteriores (nunca é demais lembrar que quando Carnielli assumiu, o clube estava prestes a ser desfiliado pela Fifa e tinha até sofá penhorado). Graças ao planejamento da diretoria alvinegra, que garantiu o acesso à série no ano passado, cortou custos e vem conseguindo conquistar verbas para o clube, a Ponte não realizou empréstimos nem junto a Carnielli nem a nenhum terceiro neste ano de 2012;

– Ceará dá a entender no título que Carnielli quer vender o estádio da Ponte por desejo próprio, para sanar a dívida consigo mesmo, o que é totalmente mentiroso. A venda do estádio foi aprovada em assembleia geral por todos os sócios –não sendo portanto “desejo” de dirigente e sim proposta aprovada legalmente pelos associados – para gerar verbas para a construção de uma Arena Multiuso. Se a venda for confirmada, os valores irão direto para a construção da Arena, de maneira absolutamente transparente;

– A venda do estádio também não significa que a Ponte vai jogar em Jaguariúna daqui para frente, informação exclusiva da cabeça do senhor Ceará e que seria impossível de ser verdade, até porque o estádio em Jaguariúna não está autorizado a receber jogos de determinados campeonatos;

– Ceará afirma que Carnielli “quer pegar o boné e sair do negócio da bola”, mais uma mentira. O presidente só não está exercendo suas funções porque foi afastado temporariamente graças a uma ação da oposição, mas tanto ele quanto a Ponte estão trabalhando na Justiça para comprovar que as acusações são falsas e para que ele reassuma o posto. Carnielli também continua informado sobre tudo que se passa na Ponte e participa de todas as reuniões de diretoria como convidado, o que não é impedido pela ação da oposição. O que é fato é que o presidente não fez nenhum aporte de dinheiro na Ponte neste ano – justamente porque o time está tentando começar a caminhar com as próprias pernas – e que ele vendeu sua fábrica, o que inclusive possibilitará mais tempo dedicado à Ponte Preta assim que ele voltar ao cargo;

– Ceará afirma que os membros da oposição que se reuniram tem provas, segundo a tal”fonte” dele, que a dívida com Carnielli é imaginária. As tais provas não são mostradas, o que não impede o articulista de afirmar que Carnielli quer dar “uma espécie de golpe” na Macaca. Ou seja, Ceará está acusando a Ponte Preta – que teve suas contas aprovadas e auditadas em todos estes anos –, seu conselho e sua diretoria de serem coniventes com um golpe e, mais ainda, acusa Carnielli de ser golpista. Com isso, difama o clube em todo o Brasil e ainda acusa a todos de crime, sem mostrar uma única prova. A dívida, porém, está provada e comprovada inclusive perante à Justiça (que recentemente analisou as contas e auditorias e declarou que estão em ordem). O clube sempre foi transparente a este respeito e as contas estão à disposição inclusive do senhor Luiz Ceará, que nunca se importou em vê-las, mas agora alardeia supostas provas de uma oposição política sem mostrá-las, e às vésperas de reunião de análise do balanço do clube;

– O senhor Ceará diz ainda que as tais provas “podem cair” nas mãos do MP. Se existisse qualquer prova, as pessoas que as têm teriam obrigação de apresentá-las, há tempos. Como não existem, Ceará propaga uma ameaça ouvida em reunião política. Os jornalistas que cobriram a eleição da Ponte, inclusive, hão de se lembrar que na ocasião integrantes da chapa de oposição soltaram boatos de que o MP e o Gaeco iriam interromper o pleito porque “tinham documentos” contra Carnielli. “Coincidentemente”a mesma difamação reaparece às vésperas de uma reunião importante, agora por outro meio;

– Ceará vai além e encampa a denúncia de sua “fonte” sem provas: diz que tem “lama grossa” na Ponte e conclama MP e Gaeco a investigar. Não diz qual é a “lama” nem apresenta qualquer embasamento para sua afirmação. Se o MP e o Gaeco quiserem investigar qualquer coisa na Ponte, as portas estão abertas como sempre estiveram: a AAPP tem todas as contas aprovadas e auditadas em um processo transparente, tudo publicado e à disposição de quem quer ver. Já o senhor Ceará deve se lembrar que falar sem provar é fácil e é também crime de calúnia, quando se acusa outros de desrespeitarem a lei;

– Não feliz com a mentira inicial sobre Carnielli querer deixar a Ponte Preta, Ceará vai além e a incrementa: diz que o dirigente quer entregar a chave da Ponte a Lauro Moraes em um acordo! Como assim? Quem disse? Carnielli é presidente eleito legitimamente e só não está exercendo seu posto por uma contingência que tenta reverter na Justiça. Lauro de Moraes foi seu opositor derrotado nas urnas. Se o presidente quisesse que Moraes ficasse com a Ponte, bastaria abandonar a eleição. E mais; que estatuto permite que um presidente eleito “entregue” o clube a quem quer que seja? A afirmação é um absurdo tão grande que nem a lógica compreende. Que fique claro: Carnielli é presidente eleito legitimamente e quer exercer seu mandato. Mais ainda: Carnielli não apóia Lauro de Moraes nem suas idéias para a Ponte Preta e nunca daria a “chave” a ninguém que não tenha sido legitimamente eleito pela vontade dos pontepretanos;

– Ceará diz ainda que o presidente em exercício Márcio Della Volpe não quer entregar o chamado “ouro”. A frase é dúbia e pode ser interpretada de diversas formas, então cabe perguntar: o que é o “chamado ouro”? E entregar a quem? Se for entregar a Ponte Preta a Lauro de Moraes, o articulista tem razão: Della Volpe não quer nem pode fazer isso, pois pelo estatuto tem que assumir a presidência em caso de ausência de Carnielli e é isso que fez. Se o “chamado ouro” for devolver a presidência a Carnielli, é o que Della Volpe quer, tanto que tanto ele como toda a diretoria lutam na Justiça pela volta do presidente afastado, na opinião de todos, injustamente. Se o “ouro” é insinuação de que Della Volpe ganha dinheiro com a Ponte, vale lembrar que nenhum diretor ou presidente da Ponte recebe salário ou outro benefício qualquer. Agora, se o “ouro” tem a ver com as insinuações de “lama” que o senhor Ceará fez, então cabe a ele se explicar e ser interpelado. Inclusive, na Justiça;

É lamentável que um jornalista formado se dê ao trabalho de escrever um artigo cheio de mentiras, calúnias e acusações falsas, sem apresentar nenhuma prova. Pena que não tenha sequer se dado ao trabalho de ouvir o outro lado, de informar seu leitor sobre de onde e com quais possíveis intenções vieram os fatos distorcidos que expõe. De tudo o que diz o senhor Ceará, apenas uma afirmação é de uma verdade incontestável: Carnielli realmente foi correto com ele. Pena que o contrário não seja verdade.

Assinam este manifesto:

Sérgio Carnielli, presidente afastado e conselheiro da Ponte Preta

Márcio Eduardo Della Volpe, presidente em exercício, diretor de Marketiing e primeiro vice-presidente

Hélio Kazuo Ono Mariuyama, segundo vice-presidente

João Marcos Fantinatti, primeiro secretário e diretor administrativo

Carlos Antonio Vilar Matheus, diretor administrativo

Vanderlei Aparecido Pereira, primeiro diretor financeiro

Hamilton Cesar Carias , segundo diretor financeiro

João Augusto Cavedini , diretor de patrimônio:

Giovanni Dimarzio, diretor social

Eurico Vergueiro Leite, diretor de futebol profissional

Francisco Carlos Marques, diretor de futebol amador

Tagino Alves Dos Santos, diretor jurídico

Jose Archimedes Pedroso Meloni, diretor médico

(o manifesto acima foi enviado pela manhã ao UOL, que reencaminhou ao blog de Luiz Ceará, e está sendo enviado às principais mídias do Brasil).

Em péssima fase, com 3 expulsos, Ponte toma vareio do Santos por 6 X 1

Fora de casa, Ponte é superada pelo Santos, mas se mantém no G8

Ponte Preta jogou maior parte do segundo tempo com 9 jogadores e terminou o jogo com 8

Na noite desse sábado (25) a Ponte Preta foi superada pelo Santos na Arena Barueri pelo placar de 6 a 1. O gol da Ponte foi marcado por Uendel. Os donos da casa foram as redes com Neymar [2], Ganso, Guilherme (contra) e Edu Dracena [2]. Na segunda etapa do jogo a Ponte ficou com 8 jogadores em campo após as expulsões de Cicinho, Guilherme e Renato Cajá. Com o resultado, a Macaca ficou com 15 pontos, e manteve a 7º colocação, dentro do G8. A rodada termina no domingo.

O próximo compromisso da equipe alvinegra será na quinta-feira (01) contra Botafogo, às 21h, na cidade de Ribeirão Preto. A partida será válida pela 11º rodada do Campeonato Paulista 2012. A equipe adversária está atualmente na 18º colocação, com 6 pontos ganhos.

O Jogo:
Mesmo jogando fora de casa foi a Ponte quem atacou primeiro. Aos 2 minutos Cicinho carregou a bola pela direita, entrou na área e chutou da linha de fundo, acertando a rede pelo lado de fora. O Santos chegou aos 11, Neymar lançou para Ibson cara a cara com Lauro, mas o goleiro da Ponte saiu muito bem para fechar o ângulo e fazer a defesa. No lance seguinte, a Macaca saiu em contra ataque rápido, Cicinho cruzou da direita e Leandrão desviou por cima do gol.
Aos 17 minutos Borges recebeu na entrada da área e chutou desequilibrado para a defesa de Lauro. Aos 27, o Santos tocava bola no meio campo, Neymar recebeu o chutou forte, com curva, para abrir o placar para os donos da casa. 1 a 0 para o Santos.
Aos 34 minutos Neymar fez jogada pela esquerda e tocou para Borges, o atacante brigou com a zaga e conseguiu dar o toque para Ganso, dentro da pequena área empurrar para o gol. 2 a 0 para o Santos.
Aos 36, Neymar carregou em velocidade pelo meio e lançou para Borges pela direita, o atacante entrou na área e chutou para fora. Três minutos depois Neymar carregou pelo meio e arriscou de fora da área, mas a bola subiu de mais e passou por cima do travessão. Aos 41 minutos Rodrigo Pimpão recebeu pela esquerda, fez um belo drible em Fucile e chutou para fora. Sem mais lances de perigo, o primeiro tempo foi encerrado após 2 minutos de acréscimos.
Na volta do intervalo a Ponte voltou com uma alteração, William Magrão entrou no lugar de Xaves. Aos 6 minutos Renato Cajá fez um lançamento na medida para Uendel entrar na área e chutar na saída de Rafael e diminuir o placar. 2 a 1.
No lance seguinte, Ganso cruzou para Neymar chutar de dentro da área para a defesa de Lauro. Aos 9 minutos o técnico Gilson Kleina promoveu a segunda mudança na Ponte, Enrico entrou no lugar de Rodrigo Pimpão. Aos 11, Neymar cobrou escanteio da direita, Borges subiu e cabeceou forte, mas Lauro fez uma grande defesa no reflexo, na sobra, Guilherme tentou afastar, mas a bola explodiu em Ferron e entrou. 3 a 1 para o Santos.
Aos 13 minutos Neymar cobrou falta da esquerda levantando a bola para a área, o zagueiro Edu Dracena subiu mais alto do que a zaga pontepretana e desviou para o fundo do gol. 4 a 1 para o Santos.
Aos 16, Cicinho recebeu o segundo cartão amarelo e foi expulso de campo, deixando a Ponte com 10 jogadores. Dois minutos depois Juan cruzou da esquerda e Neymar tentou de bicicleta para fora. Aos 21 minutos João Paulo cobrou falta com perigo e Rafael fez uma boa defesa. Um minuto depois Neymar ergueu a bola na área e Edu Dracena desviou de cabeça para o fundo do gol. 5 a 1 para o Santos.
Aos 24 minutos o lateral Guilherme também recebeu o segundo cartão amarelo e também foi expulso, Ponte com 9 em campo. Logo após o lance, a Ponte Preta mudou pela última vez, Gerson entrou no lugar de Leandrão. Aos 30, Ganso recebeu na área e tentou por cobertura, mas mandou por cima do gol. Dois minutos depois, Ganso arriscou de fora da área e Lauro fez uma grande defesa. No lance seguinte Ganso lançou para Neymar tocar na saída de Lauro para ampliar o placar. 6 a 1 para o Santos.
Aos 36 minutos Renato Cajá fez falta em Juan e também foi expulso de campo, deixando a equipe pontepretana com 8 jogadores. Aos 40, Ganso cobrou falta da entrada da área e Lauro fez a defesa. Na jogada seguinte Elano chutou de fora da área e Lauro fez mais uma grande defesa. Sem mais lances de perigo, o jogo foi encerrado sem acréscimos. 6 a 1 para o Santos.
Ficha Técnica:
Ponte Preta: Lauro; Guilherme, Ferron, Gian e Uendel; Xaves (William Magrão), João Paulo, Cicinho e Renato Cajá; Rodrigo Pimpão (Enrico) e Leandrão (Gerson). Técnico: Gilson Kleina.
Santos: Rafael; Fucile (Crystian), Durval, Edu Dracena e Juan; Henrique (Alan Kardec), Arouca, Ibson (Elano) e Ganso; Neymar e Borges. Técnico: Muricy Ramalho.
Data: 25/02/2012, sábado – 18h30.
Local: estádio Arena Barueri, em Barueri–SP.
Árbitro: Marcelo Rogério.
Assistentes: Marcelo Carvalho Van Gasse e Tatiane Sacilotti dos Santos Camargo.
Cartões Amarelos: Xaves, Cicinho [2] e Guilherme [2] (Ponte Preta); Durval e Neymar (Santos).
Cartões Vermelhos: Cicinho, Guilherme e Renato Cajá (Ponte Preta).

Gols: Uendel (Ponte Preta); Neymar [2], Ganso, Guilherme (contra) e Edu Dracena [2] (Santos

%d blogueiros gostam disto: