Noroeste Paulista – CIDO SÉRIO DO PT LIDERA PESQUISA IBOPE AM ARAÇATUBA COM 35%

Vania Grossi

A primeira rodada de pesquisa feita pelo Ibope Inteligência nas eleições 2012 em Araçatuba mostra a liderança do candidato Cido Sério (PT), que busca a reeleição, tanto no cenário pesquisa estimulada como espontânea (CLIQUE AQUI E CONFIRA O GRÁFICO COM AS INTENÇÕES DE VOTO DE CADA CANDIDATO). O candidato Dilador Borges (PSDB), aparece e
m segundo nas duas situações. Em terceiro aparece o candidato do PSOL, Marcos Boer e em quarto, Sidney Cinti, do PTC.

“Se a eleição para Prefeito fosse hoje, em quem o(a) sr(a) votaria para Prefeito de Araçatuba?”. Cido Sério lidera com 35%, seguido de Dilador Borges com 29%, professor Boer com 3% e Sidney Cinti com 1%.

xupado de: O Liberal

Anúncios

Noroeste Paulista ARAÇATUBA: GOVERNO DO PREFEITO CIDO SÉRIO É APROVADO PELA MAIORIA DA POPULAÇÃO.

VAMOS CIMENTAR NOSSA POSIÇÃO POR QUE ONDE O PT GOVERNA, DÁ CERTO. E OS TUCANOS DESESPERADOS E FORA DE CONTROLE…PREPAREM-SE MILITANTES…A COISA VAI FICAR CINZENTA….

A pesquisa realizada pelo Instituto UP nos dias 5 e 6 deste mês, sob encomenda da Folha da Região , também mostra que a avaliação da administração do atual prefeito, Cido Sério (PT), que concorre à reeleição, melhorou em comparação com sondagem realizada no início de agosto. De acordo com o novo levantamento, 56,1% dos araçatubenses aprovam a administração do petista. Um crescimento correspondente a 12,6% no período de um mês. Em agosto, quando técnicos do instituto foram às ruas de Araçatuba para ouvir a população, 43,5% aprovavam o jeito de governar de Cido Sério. O percentual de pessoas que classificavam a gestão como regular caiu 7,5%, passando de 17,9% para 10,4%

.

REJEIÇÃO

No que diz respeito à rejei ção, o governo encabeçado pelo petista, que concorre à reeleição, sofreu queda de 6% no quesito reprovação. Num período médio de 30 dias, reduziu de 38,2% para 32,2%. Entre as pessoas que não souberam avaliar a administração municipal, o percentual subiu de 0,4% para 1,3%. Ainda de acordo com o resultado de estudo feito na última semana, 10,6% dos moradores classificam como ótimo o governo do representante do PT nas eleições municipais deste ano. Em agosto, eram 8,3%, um aumento percentual de 2,6%. No atual estudo, para 30,7%, Cido Sério faz uma boa gestão, enquanto 14,8% a classificam como regular positiva. Para 10,4% dos araçatubenses, a administração do petista é apenas regular. Um mês atrás, a gestão petista era avaliada como boa para 22,7%; como regular positiva, para 12,5% e regular por 17,9%.

REGULAR

Outros 13,5% consideram regular negativa a forma como o candidato do PT governa a cidade, enquanto 11,3% a classificam como ruim. Para 7,5% das pessoas que vivem na cidade, Cido Sério tem um jeito péssimo de governar Araçatuba. Em agosto, 9,9% da população avaliavam a atual gestão como regular negativa, 8,9% como ruim e 19,3% a colocavam na condição de péssima. A quantidade de moradores que não sabem responder oscilou de 0,4% para 1,3%.

FEITOS

“Esta alteração de percen tuais reflete a forma como os araçatubenses estão enxergando a atual administração, com seus feitos, e a comparando com as propostas que estão sendo mostradas nos programas eleitorais de rádio e televisão”, diz Sidney Kuntz, diretor do Instituto UP. “Pela experiência que temos, a realização de obras no último ano de mandato, como vem acontecendo em Araçatuba neste momento, influencia na avaliação dos moradores sobre a administração municipal”.

ISSO É SÓ O COMEÇO…É PRECISO MENOS CIMENTO E MAIS CONHECIMENTO!

CANDIDATO DA OPOSIÇÃO DESQUALIFICA CONSELHOS DELIBERATIVOS E CONSIDERA-OS INGERENTES NOS PLANOS DO GOVERNO MUNICIPAL MONSTRANTO TOTAL DESCONHECIMENTO DA LEGISLAÇÃO FEDERAL.

COMEÇOU PELA CULTURA E VAI SE ALASTRAR PARA OS DEMAIS CONSELHOS COMO O DE SAÚDE, DE AÇÃO SOCIAL, DE EDUCAÇÃO, ETC.

Tanto o candidato a prefeito, Dilador Borges, como a candidata a vice, Clarisse Andorfato, declinaram a última hora do comparecimento ao Fórum Municipal de Cultura (FMC). O convite com pedido de confirmação pela coordenação deste Fórum, feito a pelo menos 30 dias. Vale lembrar, que o convite foi feito a mesma data para todos os candidatos. Poucos minutos antes da abertura dos trabalhos, duas assessoras de campanha dos candidatos acima referidos, levaram a coordenação do FMC uma carta de pedido de desculpas pelo não comparecimento, posicionamento quanto as propostas da Carta da Cultura aos Candidatos 2012, a declaração de sua propostas e por fim, a afirmação da não assinatura do Termo de Compromisso com a Carta da Cultura aos Candidatos 2012 e assim, da não concordância com as propostas elencadas por esta coordenação.

Segue digitalizada em anexo e em sua integra, a carta do candidato Dilador Borges. Ela será disponibilizada na página do Fórum Municipal de Cultura. www.facebook.com/CartaDaCulturaAosCandidatos2012
Peço a todos que disponibilizem este e-mail em seus meios de comunicação. Lista de contatos de e-mails, blogs, redes sociais, etc..

O candidato Dilador Borges demonstrou seu descaso total com o debate cultural e não compareceu reunião do fórum cultural. Mandou uma carta resposta desqualificando um documento feito por interesses de vários segmentos culturais. Em sua resposta ele deu ênfase que a proposta dele é “SOBERANA” e que se eleito for vai fazer o seu jeito e não pela vontade do povo!!!!!

Triste realidade é a de quem acha que pode se abster ao debate e ainda por cima achar que é um REI. Um REI arrogante, isso sim!

A CULTURA É PÚBLICA!!! Assim como saúde, educação, asfalto, saneamento. Não é do governo X ou Y. Não cabe panfletagem política. Cabe sim, a quem interessa, articular suas reinvindicações e mais ainda, articular suas práticas. Se há dolo ou incompetência, protestar através de boicote não me parece a melhor ação. Pra falar a verdade, me lembra duas coisas. Uma das lembranças é de criança birrenta que quando as regras não seguem o jeito dela, se ele estiver perdendo ou em desvantagem no jogo, faz bico e vai pra casa chorar no banheiro. A outra é dos pequenos ditadores que na mais tenra idade manipulam seus pais, chegando até seus pares, no pátio do colégio, para serem os “Reis do Pedaço”.

Por vezes, em sua carta, o candidato se contradiz, já que no último parágrafo da página dois, diz: “Para nós, o respeito ao Sistema Municipal de Cultura, com especial ênfase ao Plano Municipal de Cultura, é a mola mestra para promover o atendimento aos reclamos de nossos artistas, produtores, técnicos e demais agentes culturais”, e no parágrafo final da carta, diz: “Por isso, reiteramos nossas propostas e pedimos que os cidadãos participantes deste Fórum Cultural entendam nossa firme posição em não assinar tal documento, por entender que o Plano Municipal de Cultura (ainda não enviado à Câmara dos Vereadores, apesar de estar nas mãos do executivo há mais de um ano, desde o dia 12 de agosto de 2011) é soberano sobre todas as propostas, devendo apenas ser acrescido por novos pedidos oriundos das esferas legais, em especial o Conselho Municipal de Políticas Culturais (CMPCA).”.

Gente, vamos seguir o raciocínio e pra deixar claro alguns pontos. O CMPCA instituiu a coordenação do Fórum Municipal de Cultura em assembleia com membros da gestão pública, representantes dos segmentos culturais, assim como cidadãos sem vínculos partidários, sem vínculos com segmentos culturais ou sem vínculos com a gestão pública. A coordenação do FMC fez a apreciação da Carta da Cultura aos Candidatos 2008, depois através de simpósio, o chamamento público a sociedade civil e representantes dos segmentos culturais para formulação da Carta da Cultura aos Candidatos 2012. Independente do Plano Municipal de Cultura ter sido enviado ou não. Todo esse processo seguido pelo FMC num é a mesma mola mestra citada no último parágrafo da página dois? Então por que não assinar o Termo de Compromisso, na integra ou em parte, se entre as esferas legais para seguir ou acrescer o Plano Municipal de Cultura está o Conselho Municipal de Políticas Culturais? Pensei que o Plano Municipal de Cultura, talvez o Plano Nacional de Cultura indicasse o processo dessa forma. Talvez esteja enganada, talvez o candidato e sua assessoria. Nunca saberemos, não houve debate sobre o assunto.

Noroeste Paulista – Araçatuba é Cido Sério Prefeito

O PT lançou tambem as candidaturas ao Poder Legislativo:

Arlete Aparecida Garcia Machado – 13333;
Durvalina Gomes da Silva Garcia – 13456;
Beatriz Soares Nogueira – 13310;
Alex Lapenta – 13000;
Gilmar Biu de Farias – 13013;
Willian Sancler Lopes Chaves – 13123;
José Ivan de Souza – 13789;
Josué de Souza Justino- 13190.

Noroeste Paulista, Araçaruba – Inauguração da Havan está prevista para 26 de maio

Vania Grossi

O diretor-presidente do grupo Havan, com sede em Brusque, Santa Catarina, Luciano Hang, esteve ontem em Araçatuba para apresentar ao prefeito Cido Sério (PT) e à comunidade empresarial local o projeto da unidade da Havan que está sendo construída na cidade. As obras tiveram início em fevereiro e, segundo Hang, devem ser concluídas no dia 26 de maio, quando será inaugurada. A loja de Araçatuba é a segunda da rede no Estado de São Paulo. A primeira filial foi inaugurada em janeiro deste ano na cidade de Presidente Prudente.”Procuramos investir em cidades que estão de braços abertos para o desenvolvimento. Por isso optamos por Araçatuba para receber a segunda loja”, afirmou o diretor-presidente do grupo Havan. A unidade de Araçatuba está sendo construída em uma área de mais de 10 mil metros quadrados, às margens da avenida dos Araçás, região central da cidade.

No começo do mês passado, a empresa NB Terraplenagem deu início ao trabalho de limpeza e terraplenagem do local. Nesta semana, começaram a ser instaladas as primeiras estacas do prédio de dois andares. O investimento da rede na cidade deve ser superior a R$ 20 milhões. “Nós não viemos para Araçatuba para dividir, viemos para somar. Queremos atrair para a cidade a população de toda a região”, emendou Luciano Hang.

Durante a construção do prédio deverão ser gerados 300 empregos indiretos. Após a conclusão da obra, Hang acredita que inicialmente outros 200 empregos diretos serão gerados.

A Havan abriu um banco de talentos para que os interessados em trabalhar na unidade local possam encaminhar currículos. Atualmente a rede de lojas de departamentos possui 36 filiais e pretende inaugurar mais 14 durante o ano de 2012, finalizando o ano com 50 lojas em diversos estados do Brasil.

O secretário de Desenvolvimento Econômico, Carlos Farias disse que a Havan chega a Araçatuba num dos melhores momentos econômicos da cidade dos últimos anos. “Araçatuba ganha um presente marcante para sua história”, disse Farias se referindo à vinda da Havan para o município.

ESTRUTURA
Segundo Luciano Hang a Havan de Araçatuba terá dois pavimentos. O primeiro será exclusivo para o estacionamento, todo coberto, e o segundo andar reservado somente para a área de compras, totalizando aproximadamente 10 mil metros quadrados de área construída. A ligação entre um andar e outro será feito por meio de escada rolante. A fachada do prédio será toda de vidro, com visão para a avenida dos Araçás. O mesmo prédio irá abrigar uma cafeteria. Serão comercializados aproximadamente 100 mil itens nacionais e importados. Hoje, a Havan possui 20 lojas em Santa Catarina e 17 no Paraná. A previsão do grupo é fechar o ano de 2012 com 50 lojas em funcionamento.

DEPARTAMENTOS
Conforme material divulgado pela assessoria de imprensa do grupo, a Havan é apontada como a maior rede de lojas de departamentos do Brasil, com matriz na cidade de Brusque/SC . As 38 lojas juntas geram cerca de 6 mil empregos.

Noroeste Paulista – Araçatuba. Vereador Dr. Nava deu aula de Direito a Edna Flor

Dr.  Nava (PSD), em primeiro plano, ao  lado  do
prefeito  Cido  Sério  (PT)

O vereador  Dr.  Nava (PSD), promotor aposentado,  na sessão da Câmara  Municipal  de Araçatuba,  de  segunda-feira,  05/03/2012, deu aula de Direito  à vereadora Edna Flor, que é advogada. Na sessão, o secretário Hélio  Consolaro  explicava o  quão importante era Araçatuba aderir  ao Consórcio  Intermunicipal Culturando (CIC).

Dr. Nava, usando a sua experiência didática, explicou direitinho aos presentes aquilo que a vereadora manipulava. Não dá para  entender, como uma advogada de renome põe  a  sua reputação profissional em jogo por questões políticas. O vereador  promotor explicou o que era o rateio  e  quais eram as  relações entre o o consórcio  e  o município  associado.

Vereador  Nava me lembra a atuação de Synésio de Oliveira Borges, médico,  que foi vereador em Araçatuba de 1982 a 1988. Synésio pesquisava a fundo os projetos em votação. Assim fez  Dr.  Nava,  telefonou às  cidades que já estavam no consórcio e obteve informações positivas a favor do CIC.

No final da sessão,  a  vereadora  estava cabisbaixa.

Conselho Municipal de Políticas Culturais…Governo Petista: sou mais Araçatuba.

 

Hélio Consolaro*

 
Posse do Conselho Municipal de Políticas Culturais de Araçatuba
em 26/10/2011 no auditório do gabinete do prefeito Cido Sério

Na última terça-feira, 8/11, houve eleição da presidência do Conselho Municipal de Políticas Culturais de Araçatuba (CMPCA), da qual, como secretário municipal de Cultura, saí presidente, acumulando funções.
O CMPCA é diferenciado em relação aos demais (dezenas deles) conselhos. Posso dizer que é o mais consciente e mais político deles, possui 41 membros. Não é paritário, embora nele os segmentos culturais estejam proporcionalmente contemplados.
É bom dizer, para que tenhamos a dimensão de tais instâncias, que eles fazem parte do Poder Executivo. Quanto mais aberto e deliberativo for, significa que o prefeito está abrindo mão de seus poderes, dividindo-os com um coletivo. Nenhum conselho tem CNPJ próprio, não se trata de uma entidade. Eles participam do organograma de suas respectivas secretarias.
No biênio 2007-2008, participei do antigo “conselhinho” da Cultura. Ele tinha em torno de 10 membros. E não era deliberativo, como o atual. O prefeito da época não dava importância a tais instâncias. O maior feito dele foi montar a Conferência Municipal de Cultura, uma instância de discussão da cultura de Araçatuba, cujo maior feito foi a elaboração da “Carta aos candidatos a prefeito de 2008”, que foi adotada pelo prefeito Cido Sério (PT), inclusive me chamando para ser seu secretário e aplicá-la como havíamos planejado.
Se o CMPCA tem todo esse gás, trata-se de uma cidadania cultural que vem sendo formada desde 2004, quando eu era presidente da Academia Araçatubense de Letras, e montamos o Fórum Cultural, que começou a fazer o Barracão Cultural na Expô, e também fez uma carta aos candidatos. Conseguimos, naquela época, que a antiga Secretaria Municipal de Cultura, que tinha sido rebaixada a departamento pelo prefeito Maluly Neto no seu primeiro mandato fosse transformado novamente em secretaria.
Podemos dizer que boa parte do conteúdo da “Carta aos candidatos” foi adotada pelo prefeito Cido Sério (PT). Estamos num momento em que a Câmara Municipal de Araçatuba discute em suas comissões quatro projetos de leis importantíssimos: criação do Fundo Municipal de Apoio à Cultura (600 mil para projetos culturais de artistas e entidades), da lei de incentivo fiscal (a nossa Rouanet municipal), a lei do tombo e, por último, o projeto que cria o sistema municipal de cultura. Atravessamos um momento bom na cultura de Araçatuba. O foco deve ser esse e não se perder em futricas e pichações nas redes sociais, fazendo tempestade em copo d’água.
Diante disso, troquei idéias com o prefeito Cido Sério (PT), para formar uma coordenação partidariamente neutra para atravessar o pleito eleitoral que se avizinha. Ele me disse: “A criatura é sua, eu apenas dei o sopro de vida a ela, mandando para a Câmara Municipal projeto de lei elaborado por vocês”.
Não consegui, porque os neutros perceberam quão difícil seria conduzir o CMPCA diante do clima de guerra que fora instalado. A partidarização ficou evidente.
Então, combinamos: caso não conseguíssemos essa coordenação mais neutra, eu seria presidente, nem que fosse provisoriamente, mas também foi tratado que a vice-presidente Margareth Martins teria (como terá) uma função muito importante, representando a presidência em situações em que o acúmulo de funções fosse gerar excesso de poder.
E assim ocorreu. Nunca desejei isso. É um desafio da função que ocupo posto pela realidade. Espero levar o barco para zonas menos turbulentas.

*Hélio Consolaro é professor, jornalista, escritor. Atualmente é secretário municipal de Cultura de Araçatuba-SP

%d blogueiros gostam disto: