Ponte vence fora de casa por 3 a 2 e mantém a vice liderança

Macaca volta para Campinas com a segunda vitória fora de casa e Ricardo Jesus chega a 9 gols

Na noite dessa terça-feira (28) a Ponte Preta venceu o Salgueiro no estádio Ademir Cunha, na cidade de Paulista-PE pelo placar de 3 a 2. Os gols da partida foram marcados por Guilherme e Ricardo Jesus (2), para a Ponte, e Marcos Tamandaré e Joza para o Salgueiro. Clique aqui para ver os gols e nelhores momentos. Com o resultado, a Macaca chegou a 17 pontos e manteve a vice liderança do campeonato, atrás da Portuguesa nos critérios de desempate.

Essa foi a segunda vitória da Ponte fora de casa na competição. Com os dois gols na partida, o atacante Ricardo Jesus ampliou a vantagem na artilharia da Série B, agora são nove gols em oito jogos. O próximo compromisso da Ponte será sexta-feira (01) no Majestoso, quando a equipe recebe o Goiás às 21h50, em jogo válido pela nona rodada do Campeonato Brasileiro da Série B 2011.
O Jogo
Mesmo jogando fora de casa a Ponte começou pressionando. Logo aos trinta segundos Gerson recebeu na intermediária e chutou forte, mas a bola passou por cima do gol adversário. Os donos da casa mantiveram a bola no campo de ataque e a resposta veio aos 5 minutos, Clebison carregou pelo meio e bateu de fora da área, a bola acertou a rede pelo lado de fora.
Aos 12, Renatinho fez fila dentro da área e rolou para Gerson, ele chutou de primeira, mas a bola saiu pela linha de fundo. Dois minutos depois o Salgueiro saiu em contra ataque, Edimar tocou para Clebison chutar da entrada da área, mas Xaves estava em cima do lance para travar a bola.  A Ponte voltou a levar perigo aos 21 minutos, Uendel ficou com o rebote da defesa e chutou cruzado da entrada da área, a bola passou muito perto da trave esquerda do goleiro Marcelo.
Aos 32, Ricardo Jesus chutou de fora da área, o goleiro Marcelo espalmou nos pés de Renatinho que carregou e foi derrubado na área, mas o árbitro paralisou o lance para marcar o impedimento do meia pontepretano que foi assinalado pelo bandeirinha. Aos 45 minutos Gerson puxou o contra ataque e tocou para Renatinho, o meia fez a finta no marcador e chutou por cima do gol. Sem tempo para mais nada o árbitro encerrou o primeiro tempo de jogo.
Na volta do intervalo foram os donos da casa que atacaram primeiro. Com 1 minuto de jogo Marcos Tamandaré cruzou na área e Fernando cabeceou para fora. Dois minutos depois a Ponte saiu em contra ataque rápido pela direita, Guilherme saiu do meio campo e foi levando a marcação, tabelou com Ricardo Jesus, continuou a arrancada até entrar na área e chutar forte para abrir o placar na cidade de Paulista. 1 a 0 para a Ponte Preta.
Aos 13 minutos o Salgueiro fez jogada pela direita com Juninho Cearense, o atacante cruzou rasteiro, a bola atravessou a área da Ponte e o lateral Marcos Tamandaré chegou para empurrar para dentro do gol e empatar a partida. 1 a 1 no placar. Aos 19, Ricardo Jesus dominou a bola na área a cruzou rasteiro para Uendel, o zagueiro Alemão derrubou o lateral da Ponte e o árbitro marcou o pênalti. Na cobrança o artilheiro Ricardo Jesus bateu no canto superior direito de Marcelo, sem chances para o goleiro do Salgueiro. 2 a 1 para a Macaca, o oitavo gol de Ricardo Jesus na Série B.
Aos 24, o zagueiro Eridon arriscou o chute de dentro do circulo central e encontrou o goleiro Júlio César bem colocado para fazer a defesa. Quatro minutos depois Ricardo Jesus carregou pelo meio e bateu da intermediária, mas a bola saiu por cima do gol. A primeira alteração na Macaca aconteceu aos 31 minutos, Válber entrou no lugar de Gerson. Um minuto depois Renatinho tocou para Ricardo Jesus pela direita, o atacante dominou e chutou cruzado para ampliar o para a Macaca. 3 a 1 para Ponte, o nono gol do artilheiro do campeonato.
Aos 33, Gilson Kleina fez a segunda mudança na Ponte Preta, Renatinho saiu para dar lugar à Soares. Três minutos depois João Paulo Silva chutou forte da intermediária, a bola passou muito perto do travessão e saiu pela linha de fundo. Aos 38 minutos Joza cobrou lateral forte na área da Ponte, a bola quicou no gramado molhado, enganou o goleiro Júlio César e foi parar dentro do gol. 3 a 2 no placar.
Aos 42, Fernando foi lançado dentro da área, mas Júlio César saiu bem para pegar a bola nos pés do atacante do Salgueiro. A terceira substituição da Ponte aconteceu aos 45 minutos, Welington entrou no lugar de Ricardo Jesus. O Salgueiro seguiu o resto do jogo pressionando a Ponte, mas sem nenhuma chance real de gol. Após 5 minutos de acréscimos, a partida foi encerrada com vitória para a Ponte Preta por 3 a 2.

Ficha Técnica:

Ponte Preta: Júlio César; Guilherme, Leandro Silva, Ferron e Uendel; Xaves, Gerson (Válber), João Paulo Silva e Renatinho (Soares); Ricardinho e Ricardo Jesus (Welington). Técnico: Gilson Kleina

Salgueiro: Marcelo; Marcos Tamandaré (Fabrício Ceará), Alemão, Alexandre (Eridon) e Joza; Pil, Diego Paulista, Mateus e Clebison; Fernando e Edimar (Juninho Cearense). Técnico: Neco

Data: 28/06/2011, terça-feira

Local: estádio Ademir Cunha, Paulista-PE

Árbitro: Ítalo Medeiros de Azevedo

Assistentes: José da Silva Sobrinho e Valdomiro Antônio de Araújo Jr.

Cartões amarelos: Ricardinho (Ponte Preta); Alemão, Diego Paulista e Joza (Salgueiro)

Gols: Guilherme e Ricardo Jesus (2) (Ponte Preta); Marcos Tamandaré e Joza (Salgueir

UM INCRÍVEL EXEMPLO DE VIDA…

NA MISSA DAS SEIS HORAS DO DOMINGO PASSADO, NA IGREJA DE S. PAULO

APÓSTOLO, EM COPACABANA, O PADRE EUSÉBIO PERGUNTOU AOS FIÉIS, AO FINAL

DA HOMILIA:

 

– “QUANTOS DE VOCÊS JÁ CONSEGUIRAM PERDOAR SEUS INIMIGOS?”

 

A MAIORIA LEVANTOU A MÃO. PARA REFORÇAR A VISÃO DO GRUPO, ELE VOLTOU A

REPETIR A MESMA PERGUNTA E ENTÃO TODOS LEVANTARAM A MÃO, MENOS UMA

PEQUENA E FRÁGIL VELHINHA QUE ESTAVA NA SEGUNDA FILEIRA, APOIADA NUMA

ENFERMEIRA PARTICULAR.

 

– “DONA MARIAZINHA? A SENHORA NÃO ESTÁ DISPOSTA A PERDOAR SEUS

INIMIGOS OU SUAS INIMIGAS?”

 

– “EU NÃO TENHO INIMIGOS!” RESPONDEU ELA, DOCEMENTE.

 

– “SENHORA MARIAZINHA, ISTO É MUITO RARO!” DISSE O SACERDOTE. E

PERGUNTOU: “QUANTOS ANOS TEM A SENHORA?

 

E ELA RESPONDEU: – “98 ANOS!”

 

A TURMA PRESENTE NA IGREJA SE LEVANTOU E APLAUDIU A IDOSA, ENTUSIASTICAMENTE.

 

– “DOCE SENHORA MARIAZINHA, SERÁ QUE PODERIA VIR CONTAR PARA TODOS NÓS COMO SE VIVE 98 ANOS E NÃO SE TEM INIMIGOS?”

 

– “COM PRAZER”, DISSE ELA.

 

AÍ AQUELA GRACINHA DE VELHINHA SE DIRIGIU LENTAMENTE AO ALTAR,

AMPARADA PELA SUA ACOMPANHANTE E OCUPOU O PÚLPITO. VIROU-SE DE FRENTE PARA OS FIÉIS, AJUSTOU O MICROFONE COM SUAS MÃOZINHAS TRÊMULAS E ENTÃO DISSE EM TOM SOLENE , OLHANDO PARA OS PRESENTES, TODOS VISIVELMENTE EMOCIONADOS:

 

– “PORQUE JÁ MORRERAM TODOS, AQUELES FILHOS DA PUTA!”

Juiz de Direito sofre grave acidente, com dois mortos, no trevo de Urania – SP

 

O Dr. José Gilberto Alves Braga Junior, Juiz de Direito da 1a Vara Judicial da comarca de Santa Fé do Sul, sofreu um grave acidente por volta das 10h00min desta manhã no trevo de Urânia, quando o veiculo Corcel I placas BLR 4197, da cor branca, que saia da cidade de Urania atravessou a pista sem observar o transito vindo a colidir violentamente com a Montana placas EMP2012, da cor branca, dirigida pelo Dr. Braga, que trafegava no sentido Santa Fé do Sul a Jales.

Na colisão dois ocupantes do Corcel I, o casal Valentim Gasquez e Carla Gasquez não resistiram e foram a óbito, havia também uma criança no carro do casal que foi socorrida pelo SAMU, assim como o Dr. Braga e encaminhados a Santa Casa.

De acordo com as informações o Br. Braga teve ferimentos em uma das pernas, mas sem gravidade, quanto à criança ainda não temos maiores informações quanto a seu estado de saúde.

Valentim e Carla eram moradores da cidade de Urania, informações dão conta que ele era caminhoneiro e estava indo para Santa Clara D’Oeste fazer um acerto com o patrão, o casal tinha dois filhos.

 

Publicado originalmente no Correio de Santa Fé

Beijing, China: Trabalhadores usam os ferros para passar uma bandeira chinesa na fábrica Jingong Red Flag.

David GrayReuters

Concentração de Renda. por Vladimir Safatle (via @esquerdopata)

Ricos pagam pouco 
Vladimir Safatle, na Falha de S. Paulo
Há alguns dias, uma pesquisa veio mostrar o que todos aqueles que realmente se preocupam com reforma tributária no Brasil sabem: os ricos pagam pouco imposto.
Quem recebe R$ 3.300 por mês, leva para casa, descontados Imposto de Renda e Previdência, 84% do seu salário. Já alguém que ganha R$ 26.600 por mês, leva 74%.
Um profissional holandês, por exemplo, pode contar apenas com 55% de seu salário, e mesmo um norte-americano traz para casa menos que um brasileiro: 70%.
Ao mesmo tempo em que descobríamos a vida tranquila dos ricos brasileiros, chega a notícia de que a quantidade de milionários no Brasil aumentou 5,9% em 2010, atingindo a marca de 115,4 mil pessoas com fortuna de, ao menos, US$ 1 milhão.
O que não deveria nos surpreender. Afinal, vivemos em um país onde o processo de concentração de renda está tão institucionalizado que as classes mais abastadas têm um sistema de defesa de seus rendimentos sem par em outros países industrializados.
Dentro de alguns anos, a chamada nova classe média descobrirá que não conseguirá mais continuar sua ascensão social. Entre outras coisas, ela tomará consciência de como seu orçamento é brutalmente corroído por despesas com educação e saúde.
Um Estado preocupado com seu povo taxaria os ricos e as grandes fortunas a fim de ter dinheiro suficiente para criar um verdadeiro sistema público de educação e saúde.
Por que não criar, por exemplo, um imposto sobre grandes fortunas vinculado exclusivamente à educação? Isto permitiria que essa nova classe média continuasse sua ascensão social.
Tal ascensão seria ainda mais facilitada se a carga tributária brasileira parasse de privilegiar o consumo, e focasse a renda. Uma carga focada no consumo, ou seja, embutida em produtos, é mais sentida por quem ganha menos.
Há pouco, um estudo mostrou como o 0,1% mais bem pago no Reino Unido recebia, em 1979, 1,3% dos salários.
Hoje, recebe 5% e, em 2030, deve receber 14%.
Costuma-se dizer que uma das maiores astúcias do Diabo é nos convencer de que ele não existe.
Uma das maiores astúcias do discurso conservador é nos convencer, diante de dados dessa natureza, de que conflito de classe é um delírio de esquerdista centenário.
Mesmo que vejamos um processo brutal de concentração de renda institucionalizado e intocado por qualquer partido que esteja no poder, mesmo que vejamos a tendência de espoliação dos recursos de países industrializados por camadas mais ricas da população, tudo deve ser um complô dos incompetentes contra aqueles que bravamente venceram na vida graças apenas a seu entusiasmo e capacidade visionária, não é mesmo?

Leia mais em: O Esquerdopata
Under Creative Commons License: Attribution

Nova descoberta no pré-sal da Bacia de Campos

Enviado por luisnassif

Da Petrobras

O consórcio Petrobras, Repsol Sinopec e Statoil anunciam a descoberta de dois níveis de petróleo de boa qualidade no poço exploratório 1-REPF-11A-RJS, informalmente conhecido como Gávea. Esta descoberta é a principal realizada no pré-sal da Bacia de Campos.

O poço, localizado a 190 quilômetros da costa do Rio de Janeiro, foi perfurado pelo navio sonda de última geração Stena Drillmax I, em águas de 2.708 metros e atingiu a profundidade final de 6.851 metros. O consórcio está analisando os resultados obtidos no poço, antes de continuar o processo de exploração e a avaliação da área.

A Repsol Sinopec é a operadora do consórcio, com 35% de participação, tendo como parceiras a Statoil, com 35% e a Petrobras, com 30%.

A Companhia e suas parceiras informaram às autoridades brasileiras a existência de indícios de hidrocarbonetos no poço exploratório Gávea em março de 2011, para o primeiro nível, e em abril do mesmo ano, para o segundo nível.

A Repsol Sinopec é a companhia estrangeira líder em direitos de exploração nas Bacias de Santos, Campos e Espírito Santo, participando em 16 blocos, dos quais é operadora em seis.

Servidor exonerado por denunciar corrupção em SP consegue readmissão na Justiça

 Jair Stangler, do estadão.com.br

Exonerado após denunciar esquema de corrupção, o servidor João Ribeiro, da Secretaria da Fazenda no interior de São Paulo, obteve na Justiça sua readmissão. Ribeiro fora exonerado em julho de 2007 e, desde fevereiro de 2008, trabalhava por decisão de caráter liminar. Agora, o Tribunal de Justiça de São Paulo decidiu pela readmissão definitiva do servidor.

Em 2003, fez uma denuncia, enviando e-mail a partir de seu e-mail funcional ao Ministério Público – que deveria tê-la mantido anônima. Sua denúncia deflagrou uma ampla investigação envolvendo peças chave na Fazenda estadual.

Seu gesto, no entanto, fez com que sofresse um administrativo, levando a sua exoneração em julho de 2007. A decisão amparava-se na Lei 10.261/68 – conhecida como Lei da Mordaça, que previa em seus artigos 241 e 242 punição a servidores que se manifestassem ‘depreciativamente’ sobre autoridades ou atos da Administração. Dispositivos que foram revogados em 2009.

Em 2007 ainda, Ribeiro conseguiu uma liminar permitindo que voltasse ao trabalho, o que efetivamente se deu em fevereiro de 2008.

O acórdão do Tribunal de Justiça publicado em 16 de maio deste ano confirma a decisão da liminar, determinando à Secretaria da Fazenda “anular a decisão final e devolver o processo à autoridade competente, para que outra seja proferida”.

Segundo sustentou em seu voto o desembargador Torres de Carvalho, relator do caso, houve “absoluta desproporção entre a conduta e a sanção.” Ainda de acordo com o magistrado, a conduta de Ribeiro “pode ser analisada sob dois ângulos: sob o ângulo administrativo, cabia ao impetrante levar o fato aos seus superiores e há séria dúvida se, sem outras provas e baseado em notícias de jornal, podia envolver na conduta dita irregular outros servidores da Secretaria da Fazenda”, argumenta. “Sob o ângulo da cidadania, não se pode negar ao cidadão o direito de levar à autoridade competente as denúncias que tiver, como forma  quando menos  da liberdade de expressão e do direito de petição”, conclui.

Lembra ainda o desembargador ao encerrar seu voto que “a prestação de contas e a justificação dos atos são inerentes ao serviço público, um dever da administração perante os órgãos de fiscalização e perante a opinião pública”.

Ribeiro deve agora tentar anular as faltas do período que ficou sem trabalhar na secretaria.

%d blogueiros gostam disto: