Procópio Mineiro e Paulo Henrique Amorim derrotaram a Proconsult

Pedro do Coutto

Procópio Mineiro, que na sexta-feira morreu antes do tempo, foi noticiado de forma simples e singela na seção de obituários de O Globo de sábado. Jornalista profissional, dirigia a Radio JB em 82, quando foi tentada no Rio a fraude colossal da Proconsult. Com o apoio de Armando Nogueira, na Rede Globo, e, pelo menos, o silêncio de Evandro Carlos de Andrade, no Globo, tentava transformar a vitória de Leonel Brizola nas urnas em vitória de Moreira Franco. Escândalo que ressoa até hoje.

Mas o Jornal do Brasil, com Paulo Henrique Amorim à frente da redação e a Rádio, com Procópio Mineiro, impediram o alucinado golpe contra a decisão popular. Naquela ocasião fiz parte da equipe de Paulo Henrique, formada também em primeiro plano por Hedil Rodrigues do Vale Junior, Ronald de Carvalho, Ricardo Noblat. Na Rádio Jornal do Brasil, a segunda pessoa era o Jornalista Pery Cotta, hoje presidente do Conselho Deliberativo da ABI.

A tempestade foi intensa, relâmpagos e trovões de orquestra (frase de Nelson Rodrigues), pode-se calcular face aos interesses envolvidos. Mas Paulo Henrique tivera aprovado por M.F. Nascimento Brito um projeto extraordinário de acompanhamento da apuração de votos. O cérebro eletrônico da organização foi mobilizado e preparado para computar as eleições urna por urna, voto a voto. Estabelecido tal controle, o trabalho não poderia apresentar falhas: era uma simples questão de matemática.

Paulo Henrique me escalou para fazer as projeções, já que a apuração demandava uma semana e era fácil identificar o desempenho dos candidatos por região. Este o meu trabalho.

Hoje em dia a computação é muito mais veloz, o resultado final sai em doze horas. Fazer projeções, agora, só tem valor se a disputa estiver duríssima. Mas estamos falando de ontem. O Globo, de Evandro, claro, não contestava os números da Rede Globo. Não eram falsos, a forma de sua utilização sim. Brizola vencia no Rio e na Baixada Fluminense. Moreira Franco na região serrana e no interior do estado. Na Zona Sul carioca também. O jornalismo comandado por Armando Nogueira dava preferência à computação parcial das áreas em que Moreira vencia. Um absurdo.

O ritmo da apuração transcorria por igual. Portanto, de plano, desencadeou-se a divergência entre o Jornal do Brasil e a Radio JB, de um lado, e a Rede Globo de outro. Paulo Henrique, inclusive, lançou um livro sobre o acontecimento. Um duelo vencido pelo JB. Mas com esforço. Surgiram obstáculos, não por parte de Nascimento Brito ou de sua filha Teresa, que também participava do comando geral.

Mas por parte de dirigentes do cérebro eletrônico. O Jornal todos os dias apontava Brizola absoluto na frente. A Rádio todas as horas. A cidade do Rio pesava 47% do eleitorado. Brizola, aqui, alcançava – lembro-me bem – 41 a 26 pontos. A Baixada Fluminense pesava 25%. Nela, a vantagem de Brizola era ainda maior. A  região serrana e o norte fluminense tinham expressão de 28% do eleitorado. A disputa incluía Miro Teixeira, Sandra Cavalcanti, Lisâneas Maciel. O quadro final estava definido computados 10% dos votos. Era só fazer as projeções. Cabia a mim. Procópio Mineiro e Pery Cotta seguiam na mesma direção, a única legítima.

Mas eis que na madrugada de sexta para sábado, as eleições tinham sido na terça ou quarta, dirigentes do sistema de computação dormiram na sede da avenida Brasil. A Proconsult atacava antes do alvorecer. Minhas projeções foram colocadas em dúvida. A Proconsult chegou aqui, me disse Paulo Henrique. Mas não se preocupe, você está certo. E sustentou meu trabalho. Nascimento Brito também. Esta é a história que conto e que teve a participação ativa de Procópio Mineiro. Com este registro, dou adeus a ele. Ele viveu um momento alto do jornalismo brasileiro.

Anúncios

Câmara aprova anistia criminal a bombeiros e PMs do Rio

Proposta, que segue para o Senado após a aprovação da redação final na CCJ, inclui bombeiros e PMs de Sergipe e de Rondônia.

Gustavo Lima
Comissão de Constituição e Justiça aprovou proposta que concede anistia criminal a cerca de 400 bombeiros e dois policiais militares do Rio de Janeiro, que estão sendo processados sob acusação de depredar o quartel da corporação
Bombeiros e PMs acompanham reunião da CCJ.

A Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania aprovou nesta quinta-feira, em caráter conclusivo, a proposta de anistia criminal a 429 bombeiros e dois policiais militares do Rio de Janeiro que estão sendo processados sob acusação de motim e de depredação do quartel da corporação, durante movimento por reajuste salarial. A proposta segue para o Senado após a aprovação da redação final na CCJ.

O texto aprovado é um substitutivo do deputado Mendonça Filho  (DEM-PE) a seis projetos sobre o assunto – três sobre o Rio, dois sobre anistia a PMs e bombeiros de Rondônia e um sobre anistia a PMs e bombeiros de Sergipe, que também estão sendo processados por participação em movimento por reajuste salarial.

Segundo o presidente da Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado e autor de uma das propostas aprovadas, deputado Mendonça Prado (DEM-SE), a anistia dos bombeiros mostrou a capacidade da Câmara de reunir todos os partidos políticos para fazer justiça. “É uma vitória e uma demonstração de que não podem existir excessos nem dos servidores nem gestores”, afirmou.

O deputado Alessandro Molon (PT-RJ), autor de uma das propostas aprovadas, elogiou a união dos parlamentares. “Esse projeto foi aprovado por unanimidade, por isso ele tramitou tão rapidamente. Não há quem discorde dessa anistia.”

A votação da proposta foi uma estratégia elaborada ontem à noite por deputados do Rio, líderes partidários e pelo presidente da Câmara, Marco Maia.

Como houve acordo de todos os partidos para a aprovação da proposta, o presidente da CCJ, deputado João Paulo Cunha (PT-SP), abriu mão do prazo de cinco sessões do Plenário para apresentação de emendas.

Assista aqui à entrevista completa concedida pelo deputado Alessandro Molon à TV Câmara.

Ação penal
De acordo com o Tribunal de Justiça do Rio, 429 bombeiros e dois policiais militares presos no dia 4 de junho pela invasão do quartel da corporação respondem a ação penal militar pelos crimes de motim, dano em material ou aparelhamento de guerra, dano em aparelhos e instalações de aviação e navais e em estabelecimentos militares.

A juíza Ana Paula Monte Figueiredo Pena Barros, da Justiça Militar, recebeu na segunda-feira (13) a denúncia oferecida pelo Ministério Público estadual contra eles.

A Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro já aprovou anistia administrativa aos bombeiros.

PEC 300
“Enquanto a PEC 300 não for aprovada, não podemos punir policiais e bombeiros que lutam por melhores condições de vida”, afirmou o deputado Anthony Garotinho (PR-RJ), autor de outra proposta aprovada.

Gustavo Lima
Comissão de Constituição e Justiça aprovou proposta que concede anistia criminal a cerca de 400 bombeiros e dois policiais militares do Rio de Janeiro, que estão sendo processados sob acusação de depredar o quartel da corporação
Na reunião, deputados de todos os partidos criticaram o governo do Rio.

Mendonça Prado acredita que a articulação em favor dos bombeiros possa favorecer a votação da PEC 300. “Tenho certeza que a PEC 300 será aprovada. Ela servirá para que não haja mais esse tipo de desentendimento entre gestores e servidores públicos”, disse.

Deputados de todos os partidos presentes à reunião fizeram discursos em apoio aos bombeiros e criticaram o governo do Rio de Janeiro. O deputado Chico Alencar (Psol-RJ), autor de outra proposta aprovada, lembrou que o governador Sérgio Cabral admitiu publicamente que cometeu excessos.

O texto aprovado inclui os PMs e bombeiros do Rio de Janeiro, de Rondônia e Sergipe na anistia concedida pela Lei 12.191/10. Essa lei, por sua vez, anistia policiais e bombeiros militares de nove estados punidos por participar de movimentos reivindicatórios por melhorias de vencimentos e de condições de trabalho ocorridos de 1997 até o início de 2010. A proposta estende a anistia até a data de publicação da lei.

Os projetos aprovados foram: 6882/10, 7712/10, 1524/11, 1531/11, 1555/11 e 1602/11. Todos estão apensados ao mais antigo (6882).

Veja a íntegra do texto aprovado.

* Matéria atualizada no dia 1º/07

Íntegra da proposta:

Reportagem – Tiago Miranda
Edição – Wilson Silveira

CICLO DE DEBATES SOBRE A REALIDADE CUBANA – São Paulo, 24 de junho.

CICLO DE DEBATES SOBRE A REALIDADE CUBANA

Atualização do Modelo Econômico Cubano

A Revolução Cubana inspirou várias gerações pelo mundo. São 52 anos vivendo, não apenas uma utopia, mas uma prática política e social que pode ser lida, compartilhada, estudada e debatida a partir das conquistas da Revolução, como a eliminação da miséria absoluta e do analfabetismo e os altos índices de qualidade da saúde e educação, em benefício dos 11 milhões de cubanos.

Durante este período, foram produzidos permanentes avanços em diferentes áreas. Cuba, em sua atual conjuntura, assume o desafio de promover inovações e transformações destinadas a aperfeiçoar seu modelo econômico-social socialista, em um contexto de profundas modificações e predomínio de novos governos comprometidos com a justiça social na América Latina e no Caribe.

Com o intuito de contribuir para compreensão objetiva da realidade do país e sua atual conjuntura, a Fundação Mauricio Grabois em conjunto com a Fundação Perseu Abramo, organizam em São Paulo, no dia 24 de junho o debate – A atualização do Modelo Econômico Cubano – atividade que compõem o ciclo de debates sobre a realidade cubana realizado nas cidades de São Paulo, Brasilia e Rio de Janeiro.

O debate contará com a presença de uma delegação cubana composta por intelectuais, jornalistas, parlamentares e um familiar dos cinco prisioneiros cubanos, além de estudiosos e ativistas da solidariedade com Cuba no Brasil.

DEBATEDORES

Parte cubana

Zueleica Romay – Presidente do Instituto Cubano do Livro

Rosa Mirian Elizarde
Jornalista – Editora do portal CubaDebate

Magalys Llort
Deputada – Familiar dos Cinco Priosioneiros

Parte Brasileira

Jamil Murad
Vereador e líder da bancada do PCdoB na Câmara Municipal de São Paulo

Renato Simões
Secretário Nacional de Movimentos Populares do PT

Antônia Mara Vieira Loguercio
Presidente Nacional do Opinio Iuris

Sistematizadores:
Iole Ilíada – Secretaria de Relações Internacionais do PT e Diretora do Núcleo de Cooperação Internacional da Fundação Perseu Abramo

Ricardo Abreu de Melo (Alemão) – Secretário de Relações Internacionais do PCdoB e Presidente do Conselho Curador da Fundação Maurício Grabois

Coordenação:
Adalberto Monteiro – Presidente da Fundação Maurício Grabois e editor da Revista Princípios

Local: Clube Homs – Avenida Paulista, 735,  São Paulo – Próx. ao Metrô Brigadeiro

Horário: 14h30

Realização: Fundação Mauricio Grabois e Fundação Perseu Abramo

Bom em exemplo. PT de Teresópolis rompe com o prefeito em defesa dos princípios partidários.

Nota oficial do Partido dos Trabalhadores – Teresópolis (RJ) (19/04/11)
O Partido dos Trabalhadores de Teresópolis, em reunião do Diretório Municipal, na última sexta (15), decidiu romper formalmente com o Governo Jorge Mário Sedlacek e entregar todos os cargos comissionados na Prefeitura. Os filiados do partido, que ocupam funções de confiança no executivo, têm até o dia 30 deste mês para pedirem exoneração, ou desligarem-se da legenda . A decisão foi tomada por unanimidade pelos 20 membros do Diretório presentes na reunião.

Nas últimas duas semanas, cinco secretários municipais do PT já haviam pedido exoneração em função da grave crise política instaurada na cidade e pela falta de confiança no prefeito. Agravada pelo fato de Jorge Mario estar sendo investigado por uma Comissão Parlamentar de Inquérito – CPI – na Câmara Municipal por suspeita de improbidade administrativa e enriquecimento ilícito.

Na reunião do dia 1 de abril, o Diretório já havia aprovado uma Representação contra Jorge Mário na Comissão de Ética do partido. A qual, após ter concluído a admissibilidade do pedido, notificará o Prefeito na próxima segunda-feira, 18 de Abril, encaminhando a Representação que aponta para a infidelidade aos princípios do PT, quebra de confiança, falta de compromisso com o programa de campanha e graves danos à imagem do partido. O filiado terá o prazo de dez dias para apresentar sua ampla defesa.

Cumprido o prazo e o devido processo legal, a Comissão de Ética apresentará seu relatório final, que será submetido a apreciação e votação da instância máxima do Partido, o Diretório Municipal.

Teresópolis, 15 de abril de 2011.

Diretório Municipal do Partido dos Trabalhadores de Teresópolis – RJ

Extra: Porre é Soprar o Danado do Bafômetro

 by mariafro

Impressão minha ou o Extra acompanhou atentamente a tag aeciodevassa? Se eu fosse o
Para saber da história leia E as redes sociais se esbaldaram com Aécio e Aécio Neves: Casa de ferreiro, espeto de pau

Agradeço a Silvana Marques (SilMarq) pelo envio do link.

Aécio Neves se recusa a bafômetro e tem habilitação apreendida em blitz no Rio

Por: Redação da Rede Brasil Atual

Aécio Neves se recusa a bafômetro e tem habilitação apreendida em blitz no Rio Assíduo frequentador da capital fluminense, Aécio Neves sofreu multa e teve a habilitação apreendida (Foto: Geraldo Magela. Agência Senado)

São Paulo – O senador Aécio Neves (PSDB-MG) teve a carteira de habilitação apreendida neste domingo (17) no Rio de Janeiro por se recusar a fazer o teste do bafômetro. Além disso, o documento do parlamentar estava com o prazo de validade vencido.

Segundo informou a Secretaria de Estado de Governo do Rio ao portal G1, o carro de Aécio Neves não foi apreendido porque ele apresentou um condutor em condições de dirigir, no caso um taxista, mas uma multa foi aplicada.

A assessoria de imprensa do parlamentar disse ao mesmo site que ele não sabia que a carteira de habilitação estava vencida.  O ex-governador havia saído da casa de amigos e voltava para sua residência no Leblon, na zona sul carioca, quando foi parado pela blitz policial.

A recusa do teste do bafômetro é considerada uma infração gravíssima, com custo de R$ 957 e sete pontos na carteira. É a mesma punição aplicada para quem é pego com documento de habilitação vencido.

Parado em blitz, Aécio vira piada no Twitter

Na Rede

O senador Aécio Neves (PSDB-MG) virou motivo de piada nas redes sociais desde domingo (17), quando teve sua carteira de habilitação apreendida e se recusou a passar pelo teste do bafômetro, no Rio de Janeiro. A maior parte das manifestações associam o ex-governador de Minas Gerais ao consumo de bebidas alcóolicas e criticam a indisposição a comprovar que não estava embriagado ao dirigir.

O blog Esquerdopata publicou uma fotomontagem que identificaria o policial responsável pela blitz que flagrou Aécio com carteira de motorista vencida. A imagem ironiza duas das figuras de maior projeção do PSDB. O ex-governador de São Paulo e candidato segundo colocado na eleição presidencial de 2010, José Serra (PSDB-SP), aparece como policial militar aplicando uma chave de pescoço em Aécio. Em maio, os tucanos têm convenção nacional para definir a presidência e a direção da legenda.

A disputa interna foi motivo de outras piadas. MariaFrô fez uma seleção das manifestações, sugerindo que o partido de oposição estaria sem rumo

Um perfil no Twitter foi criado para surfar na onda da #AécioDevassa. A hashtag – usada no sistema de microblogue para delimitar o assunto da mensagem publicada – seguiu por toda a tarde de domingo e pela manhã de segunda-feira (18).

Vale lembrar que a assessoria de imprensa do parlamentar disse ao mesmo site que ele não sabia que a carteira de habilitação estava vencida.  O ex-governador havia saído da casa de amigos e voltava para um apartamento de sua propriedade no Leblon, na zona sul carioca, quando foi parado pela blitz policial.

%d blogueiros gostam disto: