Santo André (SP) instaura CPI para investigar contratação de palhaços

Do UOL Notícias
Em São Paulo

Após uma ordem judicial, a Câmara Municipal de Santo André (ABC paulista) instaurou na quinta-feira (15) uma CPI para investigar a contratação de palhaços para a realização de 80 apresentações nas escolas municipais da cidade, ao custo de R$ 165 mil.

A sentença, do juiz Carlos Aleksander Romano Goldman, determinando a instauração imediata da “CPI dos Palhaços” na Casa, foi dada após vereadores entrarem com uma ação contra o arquivamento da comissão. O pedido foi feito pelas bancadas do PT e do DEM, que fazem oposição à gestão do prefeito Aidan Ravin (PTB).

Segundo o grupo de vereadores, a contratação da Produz Eventos e Representação Artística é irregular, já que foi feita sem licitação. Segundo a prefeitura, a empresa teria notória especialização na área.

Com a decisão, o presidente da Câmara, José de Araújo (PMDB), instaurou a CPI ontem. Um acordo entre as lideranças dos principais partidos da Casa decidiu que dos cinco integrantes da comissão, quatros são governistas: Israel Zekcer (PTB), Sargento Juliano (PMDB), Evilázio Santana, o Bahia (DEM) e Marcos Cortez (PSDB). O quinto integrante é Tiago Nogueira (PT).

A definição sobre a presidência e a relatoria da CPI deve ocorrer na próxima sessão da Câmara, na terça-feira (20).

Sou Mais Araçatuba. Prefeito Cido Sério – PT, destina recursos para a Cultura.

via Ninho da Vespa

No sábado, por  decreto, o prefeito Cido Sério  assinou dois  decretos. O primeiro destina R$ 135  mil para a  realização da Virada  Cultural, já que toda  a infraestrutura é a contrapartida  da prefeitura, como: palco, som de todos os lugares de espetáculo, tendas, geradores, camarins, comida  e  bebida dos  camarins,  funcionários.O governo estadual arca  com  as  despesas dos  cachês, transporte e hospedagem dos  artistas, equipe de supervisão.
No mesmo dia, o prefeito  Cido  Sério,  por decreto, destinou R$ 500 mil para a Secretaria Municipal de Cultura para  que a reforma do teatro  Castro  Alves  seja  terminado.  Com esse  dinheiro serão compradas as  poltronas, colocado o  carpete,  climatização,  toda  a iluminação (palco),  sonorização, cortinas e móveis  do camarim  e outros detalhes. A inauguração será  em breve.
No primeiro  trimestre, houve a recomposição de R$ 80 mil para o Balé Municipal; no segundo, R$ 635  mil. O orçamento da  SMC  já beira  os R$ 2,9  milhões.

Como  administrador  sensível  às questões culturais, Cido  Sério tem cumprido  a promessa  de destinar  mais dinheiro à Secretaria  Municipal de Cultura

%d blogueiros gostam disto: