Resultado do PED 2013 Nacional no Noroeste Paulista

MUNICÍPIO

110 – MARKUS SOKOL

120 – VALTER POMAR

140 – PAULO TEIXEIRA

170 –  RENATO SIMÕES

180 – RUI FALCÃO

190 – SERGE GOULART

210 – CONSTITUINTE POR TERRA, TRABALHO E SOBERANIA

220 – A ESPERANÇA É VERMELHA

240 – MENSAGEM AO PARTIDO

250 – PARTIDO É PARA TODOS, NA LUTA

260 – CONTRAPONTO SOCIALISTA

270 – É PELA ESQUERDA QUE QUEREMOS O BRASIL

280 – O PARTIDO QUE MUDA O BRASIL

VIRAR À ESQUERDA! REATAR COM O SOCIALISMO!

ASPÁSIA

0

0

0

0

45

0

0

0

0

0

0

0

45

0

CARDOSO

0

0

0

1

18

0

0

0

0

1

0

0

17

0

DIRCE REIS

0

0

0

0

51

0

 

 

 

 

 

 

 

 

FERNANDÓPOLIS

1

0

4

3

96

0

1

1

2

9

0

1

89

1

FLOREAL

0

1

4

0

25

0

0

0

0

1

0

0

29

0

GENERAL SALGADO

0

0

0

1

61

0

0

0

0

50

0

12

0

0

GUARANI D OESTE

0

0

0

0

95

0

0

0

0

0

0

0

95

0

INDIAPORÃ

0

0

0

0

34

0

0

0

0

0

0

0

34

0

JALES

0

0

0

0

144

0

0

0

0

0

0

0

144

0

MERIDIANO

0

0

0

0

20

0

0

0

0

0

0

0

20

0

MIRA ESTRELA

0

0

0

0

43

0

0

0

0

0

0

0

43

0

MONÇÕES

0

0

0

0

35

0

0

0

0

0

0

0

35

0

OUROESTE

0

1

0

0

27

0

0

1

0

14

0

0

15

0

PALMEIRA D OESTE

0

0

1

0

23

0

0

0

0

4

0

20

 

0

PARANAPUÃ

0

0

0

0

71

0

0

0

0

0

0

0

71

0

PARISI

0

0

0

0

16

0

0

0

0

0

0

0

16

0

PONTALINDA

0

0

20

0

1

0

0

0

8

0

0

0

13

0

PONTES GESTAL

0

0

0

0

20

0

0

0

0

0

0

0

20

0

POPULINA

0

0

0

0

15

0

0

0

0

0

0

0

15

0

RIOLÂNDIA

0

0

0

0

18

0

0

0

0

0

0

0

18

0

SANTA ALBERTINA

0

0

0

0

265

0

0

0

0

0

0

0

265

0

SANTA CLARA D OESTE

0

0

0

0

22

0

0

0

0

0

0

0

22

0

SANTA FÉ DO SUL

0

0

0

0

90

0

0

0

0

20

0

0

71

0

SÃO FRANCISCO

0

0

15

0

18

0

0

0

8

24

0

0

1

0

SÃO JOÃO DE IRACEMA

0

0

0

0

56

0

0

0

0

2

0

0

54

0

TRÊS FRONTEIRAS

0

0

16

0

87

0

0

0

0

0

0

0

103

0

URÂNIA

0

0

0

0

24

0

0

0

0

0

0

0

24

0

VALENTIM GENTIL

0

0

0

0

69

0

0

0

0

0

0

0

69

0

VITÓRIA BRASIL

0

0

0

0

42

0

0

0

0

0

0

0

41

0

VOTUPORANGA

0

0

19

6

75

0

4

0

0

0

0

0

96

0

TOTAL

1

2

79

11

1606

0

5

2

18

125

0

33

1465

1

Para ver com maiores detalhes clique aqui >>>MUNICÍPIO BRASIL

Resultados do PED 2013 Estadual no Noroeste Paulista

Fonte_ SISPED

CIDADE

310 – MISA BOITO

320 – LICIO LOBO

370 – CARLÃO

380 – EMÍDIO DE SOUZA

390 – MIRANDA

400 – UNIDADE NA LUTA: POR UM PARTIDO MILITANTE

410 – CONSTITUINTE POR TERRA, TRABALHO E SOBERANIA

420 – A ESPERANÇA É VERMELHA

430 – NOVO RUMO

440 – MENSAGEM AO PARTIDO

450 – PARTIDO É PARA TODOS NA LUTA SP

470 – É PELA ESQUERDA QUE QUEREMOS SÃO PAULO

480 – CONSTRUINDO UM NOVO BRASIL

490 – VIRAR À ESQUERDA! REATAR COM O SOCIALISMO!

ASPÁSIA

0

0

0

45

0

45

0

0

0

0

0

0

0

0

CARDOSO

1

0

1

16

0

0

0

0

0

1

0

0

15

0

DIRCE REIS

0

0

0

51

0

51

0

0

0

0

0

0

0

0

FERNANDÓPOLIS

1

2

4

92

1

10

0

0

19

4

6

1

70

0

FLOREAL

0

0

0

30

0

5

0

0

25

0

0

0

0

0

GENERAL SALGADO

0

0

0

61

1

5

0

0

7

0

49

0

0

1

GUARANI D OESTE

0

0

0

95

0

5

0

0

7

0

49

0

0

1

INDIAPORÃ

0

0

0

34

0

34

0

0

0

0

0

0

0

0

JALES

0

0

0

144

0

134

0

0

10

0

0

0

0

0

MERIDIANO

0

0

0

20

0

20

0

0

0

0

0

0

0

0

MIRA ESTRELA

0

0

0

43

0

43

0

0

0

0

0

0

0

0

MONÇÕES

0

0

0

35

0

0

0

0

35

0

0

0

0

0

OUROESTE

0

1

1

27

0

13

0

1

1

0

12

1

2

0

PALMEIRA D OESTE

0

0

0

24

0

20

0

0

0

 

3

0

1

0

PARANAPUÃ

0

0

0

71

0

0

0

0

0

0

0

0

71

0

PARISI

0

0

0

16

0

16

0

0

0

0

0

0

0

0

PONTALINDA

0

3

0

18

0

0

0

0

0

3

18

0

0

0

PONTES GESTAL

0

0

0

20

0

20

0

0

0

0

0

0

0

0

POPULINA

0

0

0

15

0

15

0

0

0

0

0

0

0

0

RIOLÂNDIA

0

0

0

18

0

18

0

0

0

0

0

0

0

0

SANTA ALBERTINA

0

0

0

265

0

10

0

0

255

0

0

0

0

0

SANTA CLARA D OESTE

0

0

0

22

0

22

0

0

0

0

0

0

0

0

SANTA FÉ DO SUL

0

0

0

89

0

60

0

0

8

0

20

0

0

0

SÃO FRANCISCO

0

0

0

33

 

1

0

0

0

8

24

0

0

0

SÃO JOÃO DE IRACEMA

0

0

0

56

0

8

0

0

50

0

2

0

0

0

TRÊS FRONTEIRAS

0

0

0

103

0

84

0

0

19

0

0

0

0

0

URÂNIA

0

0

0

24

0

24

0

0

0

0

0

0

0

0

VALENTIM GENTIL

0

0

0

69

0

59

0

0

10

0

0

0

0

0

VITÓRIA BRASIL

0

0

0

42

0

11

0

0

31

0

0

0

0

0

VOTUPORANGA

1

0

0

98

0

67

0

0

27

0

2

0

3

0

TOTAL

3

6

6

1676

2

800

0

1

504

16

185

2

162

2

Para visualizar com detalhes CLIQUE AQUI >>> CIDADE ESTADO

Conheça a formação da direção estadual do PT-SP com exercício entre 2014 e 2017

O PED 2013 respeitou diretriz que obriga paridade entre homens e mulheres, além de cotas para jovens e negros

Por Portal Linha Direta

COMPOSIÇÃO PT SP

A Executiva Nacional do PT avaliando a reforma política em tramitação decide:

PT DE SP

A Comissão Executiva Nacional do PT, reunida em São Paulo no dia 23 de setembro de 2013, avaliando os resultados da tramitação da reforma política nas duas Casas do Congresso Nacional, decide:

1) Reafirmar a campanha nacional de coleta de assinaturas do Projeto de Iniciativa Popular da Reforma Política organizada pelo Diretório Nacional;

2) Reafirmar o compromisso de votar imediatamente o Projeto de Decreto Legislativo de convocação do plebiscito , de iniciativa das bancadas do PT, PCdoB, PSB e PDT na Câmara dos Deputados;

3) Manifestar-se contrariamente à Reforma Eleitoral já aprovada no Senado e ao conteúdo até então aprovado no Grupo de Trabalho da Reforma Política na Câmara dos Deputados;

4) Orientar nossas bancadas na Câmara dos Deputados e no Senado a apresentarem substitutivos globais às propostas em curso nas duas Casas;

5) Orientar nossas bancadas na Câmara dos Deputados e do Senado à obstrução das propostas de contra-reforma política se levadas ao Plenário;

6) Reafirmar nossa decisão de priorizar, em qualquer cenário dos debates legislativos, nossas propostas de financiamento público exclusivo de campanha, eleição por lista partidária pré-ordenada com paridade de gênero, ampliação dos mecanismos de participação popular e convocação de uma Assembléia Constituinte Exclusiva para a realização de uma ampla reforma política que aprofunde o processo democrático em nosso País.

São Paulo, 23 de setembro de 2013.

Comissão Executiva Nacional do PT

Sobre o PT, a esquerda e as massas…

Por Diogo Costa via luisnassif

SOBRE O PARTIDO DOS TRABALHADORES, A ESQUERDA E AS MASSAS – Volta e meia surgem vozes do senso comum a dizer que o PT se “divorciou” dos movimentos sociais, estudantis, dos sindicatos, das ruas e das massas, etc. É mesmo? Vejamos.

-O PSTU existe há vinte anos, disputou três eleições presidenciais e na última, em 2010, fez 0,08% dos votos.
-O PCO existe há dezoito anos, disputou três eleições presidenciais e na última, em 2010, fez 0,01% dos votos.
-O PSOL existe há oito anos, disputou duas eleições presidenciais e na última, em 2010, fez 0,87% dos votos.
-O PCB existe há noventa e um anos, depois da briga com o oportunista, renegado e quinta-coluna Roberto Freire (PPS), nos anos 90, disputou uma única eleição presidencial, em 2010. Fez 0,04% dos votos.

O PSTU, o PCO e o PCB até hoje não conseguiram eleger um mísero deputado federal sequer. O PSOL hoje conta com a “imensa” bancada de três deputados federais… É o PT que se “divorciou” das ruas ou são os outros partidos de esquerda aqui citados que infelizmente só convencem as paredes de seus próprios quartos?

Quem está dissociado das massas populares, é o PT? Não foi por acaso o PT que fez em 16% dos votos no primeiro turno da disputa em 1989? E 24% em 1994, e 32% em 1998, bem como conseguiu fazer 46% em 2002, 48% em 2006 e 47% em 2010? E uns e outros ainda tem coragem de dizer que o Partido dos Trabalhadores “se afastou das massas”!Quem sabe vamos lutar para eleger o Zé Maria do PSTU, em 2014, e cobrar dele que faça todas as reformas que a esquerda defende desde sempre! Não seria uma beleza? Lembro apenas que o PSTU não tem um único parlamentar no Congresso Nacional, talvez consiga fazer as reformas com uma varinha mágica de condão!

O PT (que alguns pensam equivocadamente ter a força do PSUV), infelizmente não tem sequer 1/6 dos parlamentares no Congresso Nacional! Como não ter um governo de coalizão dentro deste cenário?

Esse é o dilema!

Quando o PSOL, o PSTU, o PCO e o PCB elegerem uns 20 ou 25 deputados federais cada um, aí a correlação de forças no parlamento começará a mudar… Aliás:

-Porque cargas d’água o PSTU, que existe há 20 anos, não consegue eleger um único deputado federal?
-Porque cargas d’água o PCO, que existe há 18 anos, não consegue eleger um único deputado federal?
-Porque cargas d’água o PCB, que existe há 91 anos, não consegue eleger um único deputado federal?
-Porque cargas d’água o PSOL, que existe há 08 anos, não consegue eleger mais do que a “imensa” bancada de 03 deputados federais?
-Porque estes partidos de esquerda não conseguem se aproximar das massas?

Lamentavelmente, urge constatar que tirando o PT, que é um partido de massas, os outros partidos de esquerda no Brasil infelizmente não falam às massas, não alcançam as massas e não tem base social real. Somados, são menores do que o PT era em 1982, há incríveis 31 anos já passados!

Sabendo que o PT tem apenas 1/6 do parlamento, forçosamente isso quer dizer que os outros 5/6 do parlamento estariam, em tese, em disputa para os outros partidos de esquerda. No entanto, esses partidos não conseguem aumentar a sua base social e, somados, elegem apenas 03 deputados federais. Isso é um sintoma incontestável de que a tática e o discurso desses partidos culmina, ao fim e ao cabo, em sectarismo e principismo, logo, não dialogam com a vida real do povo brasileiro.

Na prática, vislumbra-se o quão equivocada é a tática atual do PSOL, do PSTU, do PCO e do PCB. Essa tática de bater violentamente no PT, para tentar ficar com nacos de suas bases, é contraproducente e infantil. Primeiro, porque com essa tática não disputam os já famosos 5/6 dos votos que os brasileiros não conferem ao PT para o parlamento. Segundo, porque obviamente essa tática apenas fraciona (ou tenta fracionar) os já parcos 1/6 de votos parlamentares que o PT tem.

O problema das esquerdas em Pindorama, infelizmente, segue sendo o sectarismo pueril. O PSOL chama o PT de traidor. O PSTU chama o PSOL de pelego. O PCO chama o PSTU de renegado. E o PCB diz que todos esses são burgueses e que somente ele é que representa a vanguarda do proletariado! Enquanto isso, o PT segue sendo o único partido de esquerda de massas no Brasil e os outros continuam brigando entre si, sem base social real e cada vez mais principistas, dogmáticos e sectários!

Enquanto ficarem só na crítica e elegerem, em conjunto, a “imensa” bancada de três deputados federais, pouca coisa vai avançar! Esses partidos não são a ‘vanguarda’ da classe operária no Brasil? Porque em 2010, somados, fizeram somente 01% dos votos na eleição presidencial?

Enfim, lamento ter que repetir isso pela milésima vez. Muitos certamente não irão gostar. Paciência… O Partido dos Trabalhadores é o único partido de massas no Brasil atual, gostem ou não os seus habituais detratores!

Entendem agora o porquê da luta inglória do PT contra as forças que sempre dominaram este país? Onde está a esquerda que “não se divorciou” das massas para ajudar o PT a fazer as transformações sociais? A verdade nua e crua é que temos partidos de esquerda que não alcançam a grande massa da população brasileira, eles é que precisam encontrar e convencer a massa, não o PT!

Quanto ao PT, segue a sua luta desigual, onde tem apenas 1/6 dos parlamentares no Congresso Nacional. Onde é a cabeça de um governo de coalizão, eivado de contradições, justamente porque a esquerda que se pretende revolucionária elege, em conjunto, a “imensa” bancada de três deputados federais…

Finalmente, constata-se que entre o sonho e a realidade vai um longo caminho a ser percorrido. Espero que os protestos do mês de junho de 2013 se traduzam em algo de concreto para 2014, no que tange ao parlamento nacional.

As ruas são importantíssimas, mas, para desespero de alguns, ainda continuam sendo necessários os votos de 50% dos deputados e senadores para se aprovar um simples projeto de lei. E 60% de votos no Congresso Nacional para se aprovar Emendas Constitucionais

PARA DISPUTAR, NAS RUAS, A ENERGIA POSITIVA DAS MOBILIZAÇÕES

(uma contribuição ao debate)

À medida que ficam evidentes os impulsos das manifestações de ruas no Brasil, torna-se necessária a atualizações de posições. É com tal espírito que a Comissão Executiva da Coordenação Nacional da EPS emite mais esse comunicado.

Essa atmosfera de insatisfações é geral no mundo. Tudo isso é resultado do fracasso do neoliberalismo e dos limites do “pós-neoliberalismo”. Entretanto, como toda explicação genérica, esta também tem seus limites. Há que se analisar “concretamente, a situação concreta”, já nos ensinou Lenin. Tudo isso que vivemos no Brasil, ou no mundo, é também manifestação das especificidades das lutas de classes contemporâneas. Portanto, afirmações do tipo “eu já sabia” ou “eu bem que avisei” nada contribuem para a compreensão do fenômeno que representam tais lutas.

Aqui nos comportamos como Hippolythe Prosper-Olivier Lissagaray, testemunha viva e autor do clássico “A Comuna de 1817”:

“Aquele que oferece ao povo falsas lendas revolucionárias, que o diverte com histórias sedutoras, é tão criminoso quanto o cartógrafo que traçasse mapas falsos para os navegadores”.

Luta política, lutas de classes

Fica claro que diminuem, gradativamente, os traços difusos, inicialmente identificados nas manifestações recentes no Brasil. A racionalidade das pautas é claramente antineoliberal, ainda que a massa de manifestantes não tenha consciência disso. Porém, é bem mais complexo o processo que pode levar à compreensão de que a crise do capitalismo e a ausência de respostas estruturais estão na base disso tudo.

A direita joga pesado para canalizar todas as energias liberadas pelos protestos, para um rumo político conservador, cuja finalidade é a desestabilização do governo Dilma Rousseff. Sem ilusões: ao afirmar o caráter progressista e antineoliberal dos protestos, também devemos permanecer na vigilância quanto às suas tensões regressivas.

Assim, é preciso continuar na construção das condições para a disputa da hegemonia e a canalização de suas energias; até  para fazer avançar as pautas de reivindicações mais qualificadas que emergem no cenário de reaglutinação recente da esquerda partidária e social no país.

Acreditamos que, para além dessa postura defensiva, que foi a aglutinação da esquerda numa espécie de “frente única antifascista”, isso já está evoluindo para algo mais propositivo e ofensivo, na perspectiva de que as ruas são o espaço privilegiado para fazer avançar o próprio governo Dilma. Desenvolver ações de unidade, em meio a diversidade dessa esquerda, é a trilha que devemos seguir.

Nesse sentido, a consolidação da pauta de reivindicações tem como referência principal os 11 pontos avançados pela recente reunião ampliada da esquerda partidária e social, que servirá como base à paralisação nacional do dia 11 de julho:

  1. Educação; (10% do PIB para educação, melhoria da qualidade)

  2. Saúde; (garantia de investimentos conforme a constituição, melhoria do SUS, apoio a vinda dos médicos estrangeiros, etc)

  3. Redução da jornada de trabalho para 40 horas;

  4. Transporte público de qualidade; (tarifa zero em todas as grandes cidades)

  5. Contra a PEC 4330 (terceirização);

  6. Contra os leilões do petróleo;

  7. Pela Reforma Agrária (com solução dos problemas dos acampados, desapropriações, recursos para produção de alimentos sadios, legalização das áreas de quilombolas, demarcação imediata das áreas indígenas, etc)

  8. Pelo fim do fator previdenciário;

  9. Reforma política e realização de plebiscito popular;

  10. Reforma urbana;

  11. Democratização dos meios de comunicação.

Ainda na consolidação da pauta cumpre destacar a urgente retomada da trajetória da defesa dos direitos humanos, aí entendidos amplamente: direitos das populações vulneráveis, ante a truculência policial; combate ao machismo, à homofobia, ao racismo e a todas as demais formas de discriminação e preconceito!

Devemos nos conduzir no caminho respeitoso de legitimar tal pauta junto aos grupos e massas de manifestantes sem referência orgânica e política nessa esquerda partidária e social. Esse deve ser o duto privilegiado para disputar o rumo dos protestos, considerando que toda luta de classes se manifesta também pela luta política.

Cumpre sugerir que o PT tenha um relacionado privilegiado com lutadores e lutadoras sociais do MST, do Movimento do Atingidos por Barragens (MAB) e de correntes como a Consulta Popular, Levante Popular da Juventude etc., respeitando a autonomia de todos esses sujeitos coletivos, mas, com eles interagindo sempre.

O PT se reencontra com fortes elementos de sua própria origem

Depois de 33 anos o PT se viu diante de um fato inusitado: lutas sociais estão sendo realizadas, no Brasil, sem algum nível de participação expressiva do petismo.

Nesse sentido, cabe às instâncias partidárias orientar os militantes sobre como “recuperar a autoridade, relativamente, perdida”. Isso deve combinar capacidade de mediação política e sensibilidade com a recente crítica aos partidos em geral. E, principalmente, evitar a postura arrogante de achar que jovens de 20 e poucos anos teriam a obrigação de reconhecer e aplaudir automaticamente nossas contribuições dadas ao Brasil, nessas mais de três décadas de existência. Nem mesmo adianta ficar brandindo estatísticas de nossos governos municipais, estaduais e federais, como se a maioria do povo tivesse a obrigação de reconhecê-las. A aceleração das mudanças, que só o PT pode liderar, é um dos recados das ruas.

Defender o legado positivo dos governos Lula/Dilma é indispensável. Tanto quanto rechaçar, com vigor, a sobrevalorização de eventuais erros nossos que tenta se impor, pela direita.

Consideramos muito positiva a iniciativa da presidenta Dilma Rousseff de assumir, com determinação, o diálogo com as ruas em movimento. Notadamente a pauta da reforma política, com ampla consulta popular e, até mesmo com a Constituinte Exclusiva. Pelo rechaço que esta sofreu da direita, logo de início, nota-se o acerto da iniciativa de nossa presidenta. Os que faziam apologia oportunista “ao povo nas ruas” imediatamente se colocaram contra esse mesmo povo sendo sujeito ativo na reforma política.

Parafraseando Ricardo Gebrim, em texto que circula pela internet: “o cavalo passa selado diante das forças de esquerda”. Dentre outras coisas, o que está em xeque é o arcaísmo de instituições herdadas da República Velha. Eis porque o aceno à participação popular, que enterre – de vez – essa herança deve unificar o conjunto da esquerda.

O PT deve se manifestar também, em todas suas frentes de atuação, pela desmilitarização das PMs. A truculência da repressão às manifestações deve ensejar iniciativas, seja ao nível do parlamento, seja do judiciário e do executivo, com a clara marca petista!

Guararema, 27 de junho de 2013

A Comissão Executiva da Coordenação Nacional da EPS/PT

Veja mais em:  http://esquerdapopularsocialista.com.br/314/#sthash.UD7xSzSW.dpuf

“NÃO foi o GIGANTE que ACORDOU, foram Vocês que estavam DORMINDO!!!”

O GiGANTE ACORDOU desde quando o governo Lula colocou outros tantos bilhões na classe média!!!

O GiGANTE ACORDOU desde quando o Brasil começou a bater recordes de exportação!!!

O GiGANTE ACORDOU desde quando o Brasil passou a ser a 5ª nação mais rica do planeta.

O GiGANTE ACORDOU desde quando os governos Lula/Dilma criaram mais de 18 milhões de empregos com carteiras assinadas.

O GIGANTE ACORDOU desde quando o governo Lula criou 214 novas escolas técnicas federais.

O GIGANTE ACORDOU desde quando o governo Lula criou 14 novas universidades federais e o de Dilma 4.

O GIGANTE ACORDOU desde quando o orçamento da Educação passou de 33,1 bilhões de reais para 86,2 bilhões de reais.

O GIGANTE ACORDOU desde quando foram criadas 1,1 milhão de bolsas para estudantes de baixa renda nas faculdades particulares (PROUNI)

O GIGANTE ACORDOU desde quando passou a ter 6,7 milhões de universitários – eram 3,5 milhões em 2002.

O GIGANTE ACORDOU desde quando o PRONATEC registrou – 2 milhões de alunos matriculados. (Programa Nac. De Ensino Técnico)

O GIGANTE ACORDOU desde quando foram destinados em 2013 (este ano) – 116 bilhões de reais para Fundeb – (Ensino Básico).

O GIGANTE ACORDOU desde quando a Evasão escolar nos primeiros anos do ensino fundamental caiu de 8,2% para 1,6!!!

SINTONIA FINA – @riltonsp

%d blogueiros gostam disto: