São Francisco, Câmara dá posse a novo vereador em razão da cassação do Tucano Horacio Nakano

Desde o dia 10 de agosto a Justiça Eleitoral determinou a cassação do mandato do ex-vereador Tucano Horácio Nakano de São Francisco por infidelidade partidária. As formalidades legais, prazos para publicação, notificação, etc. fizeram com que apenas na ultima quinta feira, dia 13 de setembro fosse dada posse ao então suplente e agora vereador…

Visão parcial do público presente a posse

A solenidade de posse foi uma das sessões camarárias com maior presença de público da atual legislatura. Mais de 30 candidatos à Vereador ligados à oposição ao atual governo municipal foram acompanhar a posse de mais um Vereador de oposição ao Grupo Demonotucano de São Francisco.

Candidatos da oposição compareceram em peso à posse

O Presidente da Camara Municipal cumpriu as formalidades legais e deu as boas vindas em nome do Poder Legislativo Municipal ao, agora Vereador, Nercio Sanga – PSB, para seu quarto mandato.

Presidente da Câmara Declara Aberta a Sessão

Após o Juramento protocolar o Vereador Socialista foi declarado empossado. Fez um breve discurso de agradecimento a todos e especialmente a sua familia que tambem se fez presente.

Na Sessão Plenária desta semana, o público pode sentir a ausência de uma única vereadora…

Vereadora Marlene Ausente de Nôvo

Anúncios

Noroeste Paulista – Palmeira D’Oeste: PT lança Maurão candidato à Prefeito na disputa com DemoTucanos

Encabeçando a coligação  Trabalho e Transparência, formada por PT/PTB/PMDB/PSC/PPS/PSB e PV o candidato Mauro Pires – PT tem como vice Sergio Romanenghi na disputa pela Prefeitura de Palmeira D’Oeste.

Maurão da Elektro Prefeito 13
Serginho Vice

Adriano Lopes, o Adriano da APAE, é candidato do PT a Vereador e concorre com o nº 13456

Vereador Adriano 13456
c/ Maurão da Elektro para Prefeito 13
Segio – Vice

Veja tambem os demais candidatos à vereador da coligação Trabalho e Transparência.

Antonio Ponce Soler PMDB nº 15.000

Vereador Tunico Ponce nº 15000
com Maurão Prefeito 13
Seginho Vice

Assis Aparecido Farinasse – PTB nº 14.444

Vereador Tidão Farinasse nº 14444
com Maurão Prefeito 13
Seginho Vice

Carlos Cesar Cortes Brighente PPS nº 23.555

Vereador Carlos Cesar Eletrecista nº 23.555
com Maurão Prefeito 13
e Serginho Vice

Claudisnei Alves Garcia PMDB nº 15.555

Vereador Pavão nº 15.555
com Maurão Prefeito 13
Serginho Vice

Francisco Cordeiro Silveira PSC nº 20.123

Vereador Chico Cordeiro nº 20.123
com Maurão Prefeito 13
Serginho Vice

Gilberto de Melo PV nº 43.000

Vereador Gago Melo nº 43000
com Maurão Prefeito 13
e Serginho vice

Silvana Botini de Almeida Hashimoto PT nº 13647

Vereadora Giovana nº 13647
com Maurão Prefeito 13
e Serginho vice

Iracildo Martins PT nº 13.150

Vereador Iracildão nº 13.150
com Maurão Prefeito 13
Serginho vice

Joaquim Nilson Toledo PPS nº 23.456

Vereador Nilson Toledo nº 23456
com Maurão Prefeito 13
Serginho vice

João da Silva PSB nº 40.650

Vereador João da Farmácia nº 40.650
com Maurão Prefeito 13
Serginho vice

Lucia Candida Pereira PPS 23.333

Vereadora Lucinha nº 23.333
com Maurão Prefeito 13
Serginho vice

Maria Luiza Mestrello Gomes PSC nº 20234

Vereadora Maria Luiza nº 20234
com Maurão Prefeito 13
Serginho vice

Milene Cristina Simões de Andrade Gabaldi PSC nº 20345

Vereadora Milene nº 20345
com Maurão Prefeito 13
Serginho vice

Pedrina Aparecida Arcanjo Brambila PPS 23123

Vereadora Patty Brambila nº 23123
com Maurão Prefeito 13
Serginho vice

Tereza dos Santos Almeida PT nº 13000

Vereadora Tereza de Dalas nº 13000
com Maurão Prefeito 13
Serginho Vice

Vilson Pereira Reis PTB Nº 14.000

Vereador Vilson de Dalas nº 14000
com Maurão Prefeito 13
Serginho Vice

Wilson Barbieri PSC nº 20.000

Vereador Colorido nº 20.000
com Maurão Prefeito 13
Serginho vice

Noroeste Paulista – Pontalinda. Coligação Petista lança a dobrada Dito/Horácio para eleição 2012

Publicado em 08/07/2012 por murilopohl

Definidos os candidatos populares que vão enfrentar a elite Demonotucanalha na cidade de Pontalinda.

Após amplo debate foi formada a coligação Trabalho e Compromisso com Pontalinda integrada pelo PT,  PSD e PRB que vai disputar com os Demonotucanos as eleições municipais.

Dito Tonholo – PSD candidato à Prefeito de Pontalinda nº 55

Horacio dos Reis Marques Ferreira, o Horacinho do PT é o candidato à Vice Prefeito em Pontalinda

Veja alguns d@s candidat@s ao Legislativo que apoiam a chapa Dito e Horácio na Prefeitura:

Marcos Davi Guerra – PT

Marquinho do PT é candidato à vereador. Marcos Davi Guerra disputa a eleição como Marquinhos  Guerra nº 13000 – Juventude Petista apoia Dito e Horácio na Prefeitura.

Marcelo Lima Rodrigues – PT

O advogado Marcelo, candidato à reeleição como Marcelo do Baltazar nº 13456
apoia Dito e Horácio para a Prefeitura

Adriana Claus Barrientos Calderon – PT

A Assistente Social Adriana da Saúde concorre com o nº 13123,
candidatada à Vereadora pelo PT, afirma: lugar de Mulher é na Política

Carlos Aparecido Medeiros – PT

O popular Galera concorre à vereança com o nº 13300 e apoia Dito e Horácio na Prefeitura

 

Manuel Alves – PRB

Vereador do PRB Mané concorre à reeleição com o nº 10123 apoiando Dito e Horácio na Prefeitura

Edileuza Delmondes Rosa – PT

Edileuza concorre com o nº 13999 a Vereadora e apoio Dito e Horácio na Prefeitura

 

Fernando Donizeth França – PSD

O contador Fernandão nº 55555 é candidato a Vereador
Juventude apoiando Dito e Horácio para a Prefeitura

 

Luiz Henrique Cardoso de Melo – PT

Rick Motó nº 13010 juventude de Pontalinda apoia Dito e Horácio na Prefeitura

 

Rosangela Batista Batista do Santos PT

ROSANGELA DO BOY nº 13.333 apoia Dito e Horácio na Prefeitura
Mulher bonita é a mulher que luta !

Deneval Amaro da Silva – PT

Ex-diretor Municipal de Educação Denê nº 13100
candidato a Vereador, apoia Dito e Horácio

A coligaçãoTrabalho e Compromisso com Pontalinda está agora debatendo o aprofundamento do Programa Participativo de Governo e acompanhando a finalização da fase de registro com suas demais formalidades Legais.

Dep. Fed. Paulo Teixeira PT – SP e Horácio, contribuindo para o fortalecimento de Pontalinda

LEIA MAIS EM >>>> Noroeste Paulista – Pontalinda. 

PT busca acordos para governar Campinas

Partido mobiliza dirigentes para que procurem base e oposição, para constuir sustentação ao Prefeito Demétrio Vilarga e PT afirma candidatura própria para 2012.

Depois de conseguir na Justiça a liminar que impede o afastamento do novo prefeito de Campinas, Demétrio Vilarga, o PT busca articular acordos para dar  sustentação à administração municipal. Dirgentes estaduais do partido e líderes petistas da cidade procuram membros da base e da oposição para construir a governabilidade.


Demétrio Vilarga impediu a tentativa de derruba-lo por meio de liminar Jusdicial.

O discurso que alimenta as negociações passa pelos repasses de recursos federais, de acordo com petistas na cidade. Eles avaliam que, se o novo prefeito conseguir assegurar o fluxo de verbas em projetos que estão em andamento, teria alguma chance de ganhar o apoio de parte dos vereadores que mesmo pertencendo a partidos que integram a aliança que elegeu o prefeito cassado Hélio de Oliveira Santos, o Dr. Hélio (PDT), votaram para o seu impeachment.

A crise que atinge a administração municipal de Campinas teve início em maio deste ano, quando uma operação liderada pelo Ministério Público estadual desmantelou um suposto esquema de fraudes em licitações na Sociedade de Abastecimento de Água e Saneamento S/A (Sanasa). Entre os vários presos na operação estavam a mulher de Doutor Hélio, Rosely Nassim, apontada como suposta mentora do esquema, além do então vice-prefeito, Demétrio Vilarga. O petista estava em viagem ao exterior e só foi detido quando retornou ao Brasil. Prestou depoimentos e foi liberado em seguida.

O desenrolar da crise resultou na cassação de Dr. Hélio, no último dia 20, após 44 horas de deliberação na Câmara Municipal. Vilarga assumiu o cargo, mas teve seu afastamento aprovado pelos vereadores em seguida. Sua permanência no cargo se apoia em uma liminar. No fim da última semana, Dr. Hélio tentou reaver o mandato, pedindo na Justiça a anulação da sessão e do decreto que determinaram sua cassação. O pedido foi negado.

Foto: AE

Edinho Silva trabalha para ‘pacificar’ a situação na cidade.

O clima é de pouco otimismo em relação à capacidade de Vilarga de segurar o posto, já que as conversas ocorrem em meio a uma guerra judicial para definir o controle da cidade.

Ainda assim, o comando estadual do PT entrou em campo no trabalho de convencimento. O presidente do partido em São Paulo, Edinho Silva, tem participado de encontros com o representantes das principais bancadas na Câmara Municipal. A ordem é conversar com todas as legendas, sem exceção.

“Estamos fazendo um esforço para pacificar a situação, pois estamos falando de uma cidade estratégica, que pode continuar se beneficiando de um momento positivo, favorável ao desenvolvimento e ao crescimento”, diz Edinho Silva.

O líder do partido na Câmara Municipal, Angelo Barreto, diz que as negociações têm avançado, apesar da pressão trazida pela aproximação das eleições municipais. Segundo ele, o PT deve lançar candidato próprio na cidade. “É muito difícil neste momento qualquer discussão que não passe pela candidatura própria”, afirma o vereador.

Justiça derruba golpe: Demétrio – PT volta à Prefeitura de Campinas – SP

Mesmo sem provas da ligação de Demétrio às denúncias de desvio de verba em contratos da Sanasa, os vereadores aprovaram uma Comissão Processante e o afastamento do prefeito por 90 dias, apenas 36h depois de assumir o comando da prefeitura. Defesa consegue liminar e Demétrio retorna ao cargo


O prefeito Demétrio Vilagra (PT) conseguiu na Justiça anular a decisão da Câmara de afastá-lo do cargo. O advogado de Demétrio, Hélio Silveira, impetrou ação com mandado de segurança para impedir o afastamento e instalação da Comissão Processante contra o petista. A posse de Pedro Serafim (PDT), presidente da Câmara Municipal, que havia assumido na manhã de hoje (25) como prefeito provisório por 90 dias, será cancelada.

Silveira pediu a anulação da decisão tomada pelos vereadores na noite da última quarta-feira (24). Segundo ele, nenhuma lei prevê o afastamento de um prefeito somente com base em uma acusação e sem direito à defesa antes de tomar alguma atitude. “Demétrio não teve chance de defesa e os requerimentos da Câmara são ilegais”, defende.

Golpe Político

Três dias após a cassação do ex-prefeito Helio de Oliveira Santos (PDT), no último sábado (20), o vice Demétrio Vilagra tomou posse como chefe do Executivo.
Mesmo sem provas da ligação de Demétrio às denúncias de desvio de verba em contratos da Sociedade Abastecimento de Água e Saneamento S/A (Sanasa), os vereadores aprovaram uma Comissão Processante e o afastamento do então prefeito por 90 dias, apenas 36h depois de assumir o comando da prefeitura.

Segundo o presidente do PT em Campinas, Ari Fernandes, Demétrio foi empossado às 10 horas e às 11h15 o vereador peessedebista Valdir Terrazan procotolou o pedido de Comissão Processante, que afastaria o petista durante os 90 dias – período no qual a investigação estiver em andamento. “Ontem mesmo entrou na pauta e já foi votado”, complementou Fernandes.

Em meio a acusações não-comprovadas e uma busca exaustiva de execração pública sem provas materiais, Vilagra segue confiante na comprovação de sua inocência ante à Justiça. Como presidente da Ceasa, cargo do qual se afastou assim que começaram as investigações envolvendo seu nome, Demétrio não tinha contato com a empresa cujos contratos são alvos de apuração.

Entenda o caso:

O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) investiga as denúncias há um ano. São 11 prefeituras e três governos estaduais: São Paulo, Minas e Tocantins. Em Campinas, as denúncias são sobre o possível envolvimento de empresários e dirigentes públicos em contratos da Sanasa. Em São Paulo, a empresa investigada é a Sabesp.

Segundo relatório do MP, há fraudes em licitações que seriam comandadas pela primeira-dama de Campinas, Rosely Nassim Jorge Santos, esposa do Dr. Hélio. Segundo o relatório, em conversa telefônica, o empresário Gregório Cerveira, da Hydrax, e o ex-presidente da Sanasa, Luiz Augusto Castrillon de Aquino, confirmaram o esquema.

Aquino fez acordo de delação premiada e pessoas mencionadas por ele – a exceção da primeira-dama, que tinha um habeas-corpus preventivo – foram presas e depois soltas por habeas-corpus ou revogação de prisão.

Em 20 de maio, quando foram expedidos 20 mandados de prisão, incluindo o nome de Demétrio, o então vice-prefeito estava na Espanha, em férias com a família, viagem comprada há meses. Mesmo com o comunicado oficial de suas férias – documentadas pela Ceasa e divulgadas amplamente na semana anterior em jornais da cidade e região – a Justiça de Campinas decretou a prisão preventiva de Demétrio a pedido do MP e o considerou foragido. Apesar de não ter nenhum contato com a Sanasa, o vice-prefeito teve seu nome envolvido porque um dos empresários ouvidos pelo MP disse que teria dado R$ 20 mil para que o petista pagasse despesas eleitorais, além de “duas garrafas de vinho”.

Demétrio nega ter recebido dinheiro do empresário. “Tudo o que recebi para campanha foi declarado e tenho evolução patrimonial condizente com meus rendimentos. Não há nenhuma prova ou evidência contra mim, apenas suspeitos citando meu nome com interesses próprios”, contesta.

Sobre as férias, o petista conta que foi a primeira vez que saiu do País e que havia comprado a viagem há meses. “Todos sabiam. Mesmo assim, fui considerado foragido. Apesar de eu ter avisado via Twitter que estava voltando e confirmado isso por meu advogado – e de fato voltei na data anunciada -, cartazes com fotos minhas foram colados nos aeroportos. Foi muito constrangimento. Já nesse início não tive direito de defesa”, explica.

No dia do mandado de prisão contra Demétrio, a Polícia encontrou em sua casa R$ 60 mil e a mídia levantou suspeitas. “Deixo dinheiro em casa desde que fui tesoureiro do sindicato, na ditadura militar. Fui perseguido, preso e tive minha conta bancária bloqueada. Passei a deixar sempre uma quantia de dinheiro em casa para urgências. Tenho receitas para isso”, justifica.

A diferença entre Demétrio e os outros acusados é que seu nome não foi citado durante as investigações, que acontecem há quase um ano, e ele não havia sido convocado nenhuma vez para depor. Também não havia – nem há – nenhum documento ou prova que envolva o nome do petista. “Foi um susto. Fiz de tudo para antecipar minha volta ao Brasil. E, assim que cheguei me apresentei à Justiça”, conta Demétrio, que também se desligou da presidência da Ceasa antes de chegar ao País.

Preso no mesmo dia em que retornou de viagem, prestou depoimento e teve a prisão revogada. Também entregou voluntariamente sua declaração de bens assim que retornou à Campinas. “Não tinha nem tenho nada a temer. Meu nome foi envolvido por pessoas suspeitas que têm interesses próprios. Não existe nada contra mim”, diz.

Sem apoio, prefeito de Campinas deve ser cassado por ampla maioria

Dr. Hélio está muito próximo de perder o mandato, envolvido em denúncias de esquemas de corrupção. Decisão pode ser neste sábado

Por: Raoni Scandiuzzi, Rede Brasil Atual

São Paulo – Se no começo da semana o clima era de indecisão sobre o futuro do prefeito de Campinas, Dr. Hélio (PDT), após a divulgação, na quarta-feira (17), de uma gravação que comprovaria a tentativa de compra de votos para impedir seu impeachment, os oito vereadores pedetistas debandaram de vez e decidiram apoiar a troca no executivo.

O caso teve início em maio desse ano, com a denúncia de um esquema de corrupção envolvendo pagamento de propina em licitações da prefeitura com a empresa mista de saneamento, Sanasa. Diversos secretários, além do vice-prefeito de Campinas, Demétrio Villagra (PT), foram acusados de participação no esquema supostamente chefiado pela primeira dama, Rosely Nassim.

Informações obtidas pela Rede Brasil Atual apontam o resultado previsto para a cassação de Dr. Hélio. Na situação atual, a expectativa é de um placar com 32 votos a favor (do impeachment), e apenas 1 contra, do vereador Benasse (PcdoB). Ele justificou a decisão pelo fato de o Ministério Público não ter citado o prefeito nas acusações.

O também pedetista e deputado federal, Paulinho da Força, visitou o município na terça-feira (16) e realizou uma reunião com o prefeito e com os vereadores do partido. A presença do deputado teria irritado a bancada do PDT, que além de não cultivarem relacionamento político próximo com Paulinho, se sentiram enquadrados pelo sindicalista.

A votação ocorrerá após a conclusão de leitura do processo, iniciada na manhã de quinta-feira (18), e a fala dos vereadores que solicitarem. A previsão é que a votação ocorra no início da tarde de sábado, dependendo da quantidade de vereadores que se pronunciarem. Antes disso, manifestações de populares à favor e contra o impeachment se concentram do lado de fora da Câmara. Um forte contingente policial faz plantão no local para evitar tumultos.

Caso se confirme a expectativa de cassação, na segunda-feira (22), o vice-prefeito Demétrio Villagra (PT) irá ocupar o lugar deixado por Dr. Hélio. Segundo informações do Executivo municipal, a prefeitura está em situação financeira precária, com dificuldades até mesmo para pagar os funcionários, o que pode vir a ser o maior problema do início do mandato do sucessor.

Câmara Municipal aprova o afastamento do prefeito de Teresópolis

Jorge Mário Sedlacek é investigado por uma denúncia de desvio de verba para a reconstrução do município após tragédia natural de janeiro

iG Rio de Janeiro

A Câmara Municipal de Teresópolis, na Região Serrana do Estado do Rio de Janeiro, aprovou por unanimidade (12 votos a zero) na noite desta terça-feira (2) o afastamento do prefeito da cidade, Jorge Mário Sedlacek (sem partido), por 90 dias.

De acordo com o vereador Carlos César Gomes (PMDB), o motivo para o afastamento foi a recusa do prefeito de comparecer a uma CPI da Casa que investiga uma denúncia de desvio de verba para reconstrução do município, após a tragédia que atingiu vários municípios da serra, em janeiro deste ano, deixando 903 mortos contabilizados.

Segundo o relator da comissão parlamentar de inquérito (CPI) da Câmara, Marcelo Oliveira, Sedlacek também é investigado pela aquisição de bens. Ele comprou um imóvel na cidade no valor de R$ 450 mil e um carro de valor não declarado.

“Já temos em mãos o contrato de financiamento do imóvel pela Caixa Econômica Federal”, informou Oliveira. Segundo ele, o comentário na cidade é que o imóvel custou R$ 1 milhão. A Câmara vai investigar isso, acrescentou o vereador.

Outra razão para o afastamento foi a contratação, por cerca de R$ 500 mil, de um advogado para cuidar de precatórios da Prefeitura de Teresópolis. O pagamento, segundo os vereadores, foi feito de forma irregular e condenado também pelo TCE (Tribunal de Contas do Estado).

Durante o afastamento do prefeito, a Câmara terá uma Comissão Processante que continuará investigando as irregularidades na administração municipal. Ainda cabe recurso da decisão da Câmara de Vereadores. O prefeito poderá entrar com mandado de segurança no Tribunal de Justiça do Estado contra a decisão do Legislativo do município.

Sedlacek deve receber nesta quarta-feira (3) o ofício sobre o seu afastamento, após a publicação no Diário Oficial do município. Procurado pelo iG, o advogado Luis Paulo Viveiros de Castro, que representa o prefeito, disse que o cliente continuará trabalhando normalmente.

“A Câmara pagou um mico que não tem tamanho. Ela não tem condição jurídica, competência ou legitimidade para fazer isso”, reclamou. O afastamento poderá ser renovado por mais 30 dias, por duas vezes. Durante a investigação, Sedlacek continuará a receber o salário. Nesse período, o vice-prefeito José Roberto Pereira Pinto assumirá a administração do município.

*com informações da Agência Brasil

Voce tambem poderá gostar de ler:

Bom em exemplo. PT de Teresópolis rompe com o prefeito em defesa dos princípios partidários.

Posted on 24/04/2011 by murilopohl

Nota oficial do Partido dos Trabalhadores – Teresópolis (RJ) (19/04/11) O Partido dos Trabalhadores de Teresópolis, em reunião do Diretório Municipal, na última sexta (15), decidiu romper formalmente com o Governo Jorge Mário Sedlacek e entregar todos os cargos comissionados na Prefeitura. Os filiados do partido, que ocupam funções de confiança no executivo, têm até […]

 

PT de Teresópolis expulsa Jorge Mario

Em 8 de julho de 2011 às 19 horas reuniu-se o diretório municipal do PT em Teresópolis, RJ, para analisar o parecer da Comissão de Ética instaurada contra o filiado, o prefeito municipal Jorge Mário Sedlacek e tomar as medidas pertinentes.
Lido e debatido o parecer, o diretório, por unanimidade dos presentes de votos como consta da ata da referida reunião, deliberou pela expulsão do filiado com base principalmente nos seguintes fatos graves:
  • Abandono pelo prefeito  do programa construído com os partidos da base aliada e com o qual foi eleito: orçamento participativo, gestão democrática e participativa em todos os ógãos da administração, prioridade à agricultura familiar, licitação dos transportes públicos, entre outras questões.
  • Estabelecimento de relacionamento fisiológico e pouco republicano com setores tradicionais de oposição no legislativo em detrimento da participação popular,da transparência das ações administrativas e das articulações da base aliada, procedimento incompatível com a ética petista.
  • Desprezo à posições e opiniões da base aliada e do secretariado fazendo com que quase a totalidade dos secretários e secretárias do início do governo, companheiros e companheiras respeitados pela população,  tenham se demitido por se sentirem desrespeitados e desautorizados.
  • Consolidação junto à população de uma péssima imagem de homem público que envergonha não apenas as melhores tradições petistas como os setores da sociedade que contribuiram decisivamente para a sua eleição, fato comprovado pelas inúmeras manifestações populares contra a sua administração.
  • Imagem pública negativa construida graças aos erros políticos e administrativos cometidos por ele causados pela arrogância, prepotência e incapacidade de ouvir o partido e a base aliada. Tal imagem causa enormes prejuízos à sigla partidária e fortalece os setores nefastos ansiosos por retomarem o poder político em nossa cidade.
Solicitado como segundo ponto de pauta, foi apreciado o comportamento político e a atuação dos vereadores Ademir Enfermeiro e Cleiton Valentim. Também neste caso este diretório municipal posiciona-se pela expulsão de ambos dos quadros partidários por práticas políticas incompatíveis com as boas tradições petistas, muito mais próximas das tradições fisiológicas e das trocas de favores com o Executivo, além de terem descumprido deliberação deste diretório quanto à não assinatura da 1ª CPI proposta para apurar desvios na administração municipal.

Ratificamos a decisão do Diretório Municipal, tomada no dia 15 de abril, onde deliberou pela saída de todos os petistas do goveno municipal. Os membros do PT de Teresópolis se sentem desrespeitados com a presença de petistas de outros municípios no governo municipal, mesmo após a decisão do rompimento do partido com o governo Jorge Mario.

%d blogueiros gostam disto: