Megaoperação desmonta esquema de R$ 1 bilhão

diario na web logo

Heitor Mazzoco e Allan Abreu

Agentes federais chegam na sede do Gaeco em Rio Preto

Guilherme Baffi 

No dia de Combate à Corrupção, 77 prefeituras do Estado de São Paulo – a maioria na região de Rio Preto – ficaram de portas fechadas durante a manhã de ontem enquanto Ministério Público, Polícia Federal (PF) e Ministério Público Federal realizavam a operação “Fratelli” (irmãos em italiano) para o cumprimento de 160 mandados de busca para a apreensão de dinheiro, armas e efetuar prisões.

A investigação aponta tentativa de fraude em licitações que terminaria com rombo de R$ 1 bilhão em municípios paulistas. (veja mapa ao lado). As prefeituras recebiam verba por meio de emendas parlamentares da Assembleia Legislativa e dos ministérios do Turismo e Cidades. A empreiteira de Votuporanga Demop Participações e a empresa Scamatti & Seller são alvos de investigação em suposto esquema de fraude em licitações em obras vencidas em todo Estado de São Paulo, principalmente na região de Rio Preto, por meio de empresas fantasmas.

Durante o dia, 13 pessoas foram presas, documentos, computadores, licitações e contratados foram apreendidos em Prefeituras da região. Entre elas Votuporanga, Olímpia, Jales, Fernandópolis e Catanduva. À noite, 16 pessoas pessoas prestaram depoimento na sede do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) de Rio Preto, entre eles funcionários da Caixa Econômica Federal, banco estatal acusado de ter funcionários envolvidos na fraude. Durante a operação foi apreendido ainda R$ 460 mil em dinheiro.

Ex-prefeitos da região também foram alvo da operação. Em Cardoso, por exemplo, o ex-prefeito João da Brahma de Oliveira da Silva (DEM) foi preso depois de busca e apreensão na casa em que ele mora. Agentes da PF encontraram arma irregular na casa do prefeito. À noite, ele deixou a prisão depois de pagar fiança. Ele, em entrevista à uma emissora de TV, negou as acusações de contrato irregulares enquanto era prefeito.

Prisões

Os cinco irmãos, que são proprietários da Demop, foram presos ontem. Dorival, Edson, Mauro, Olívio e Pedro foram levados para a Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Rio Preto. Eles devem ficar presos até o dia 19 deste mês. A prisão é preventiva com validade de cinco dias, prorrogáveis pelo mesmo período. As prisões ocorreram para que nenhum dos suspeitos possam atrapalhar o andamento final das investigações. O empresário Luis Carlos Seller, sócio dos irmãos Scamatti, também foi preso. outros sete funcionários públicos também estão presos.

Esquema

As investigações apontam que empresas em nome de laranjas participavam de licitações com valores oferecidos já preparados antes. Em uma licitação para conseguir contratos de recuperação asfáltica, por exemplo, três empresas apresentavam propostas. Apenas uma, a Demop Participações existia. As outras quatro eram de fachada, que serviam para ludibriar a licitação e deixar a obra nas mãos da Demop.

“É uma simulação de concorrência. São três empresas do mesmo grupo que simplesmente simulam, inclusive uma empresa produzia planilha das três empresas concorrentes”, afirmou o delegado da Polícia Federal, Cristiano de Pádua Silva. Pelo menos 40 empresas têm envolvimento com suposta fraude em licitações, segundo investigações. A maioria, empresas de fachada. “São empresas que a princípio não há relações entre elas (empresas), mas a fraude foi descortinada porque utilizavam mesmo telefone, mesmo endereço.

Em suma eram empresas de fachada”, afirmou o procurador da República Thiago Lacerda Nobre.Desde 2008, as licitações vencidas pelo grupo chegam ao valor de R$ 1 bilhão, o que é considerado “uma das maiores tentativas de fraude da história do País”, segundo Nobre. “É uma quadrilha altamente articulada que se servia da máquina pública e tinha livre trânsito em todas as esferas de poder do País, seja em nível estadual, municipal e federal.
“Para se ter uma ideia o grupo empresarial tem 40 empresas pelo menos. Digo, sem medo de errar, que é uma das maiores fraudes da história do País”, disse Lacerda Nobre. Os lucros de uma das empresa envolvida no esquema cresceu 600% em cinco anos, segundo as investigações.

Pierre Duarte

Representantes da Polícia Federal, Gaeco e Ministério Público Federal falam sobre operação

Suspeita de irregularidade ocorreu em 2011

As primeiras suspeitas sobre a atuação da Demop Participações na região datam de 2011, quando a empreiteira passou a ser acusada de ser uma das maiores beneficiárias de obras com dinheiro de emendas parlamentares da Assembleia Legislativa.Foi a empresa quem realizou as obras de asfalto na maioria das cidades da região beneficiadas com emendas do deputado Gilmaci Santos (PRB), que teve poucos votos no Noroeste paulista em 2010.

Na época, a empresa passou a ser alvo de diversos inquéritos do Ministério Público. Três deles se tornaram ações civis públicas, em que a Demop é ré sob a acusação de praticar improbidade administrativa nas prefeituras de Votuporanga, Mirassol e Planalto. Nenhum dos processos foi julgado em primeira instância. A Demop Participações e a construtora Scamatti e Seller Participações, alvos do Ministério Público e Polícia Federal, são as maiores empresas do Grupo Scamatti, de Votuporanga.

Ao todo, o grupo é formado por oito empresas, que somam capital social de R$ 31,8 milhões (R$ 25 milhões da Demop e R$ 1 milhão da Scamatti & Seller). O conglomerado surgiu em 1998, quando a família Scamatti fundou a Mineradora Noroeste Paulista, em Monções, e logo em seguida a Mineração Grandes Lagos, de Três Fronteiras.

No ano seguinte, o grupo criou a empreiteira Demop, sigla dos quatro irmãos proprietários: Dorival, Edson, Mauro, Olivio e Pedro. Ao longo da última década, o grupo diversificou os ramos de atuação, ao comprar pedreiras e portos de areia na região, além de uma fábrica de concreto, a Noromix, com nove filiais.

Embora Rio Preto não tenha sido alvo da operação de ontem, o prefeito Valdomiro Lopes (PSB) contratou a empresa desde o primeiro ano de mandato. De 2009 até o momento, a Demop Participações recebeu R$ 13,1 milhões. Um dos contratos foi firmado em março do ano passado, por meio de licitação, para recuperar 250 mil metros quadrados de asfalto, ao custo de R$ 9,4 milhões. O contrato foi julgado regular pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE).

Este ano, a empresa recebeu R$ 87, 8 mil para restauração de da pista de caminhada da Represa Municipal. Os valores estão disponíveis no Portal da Transparência de Rio Preto. Em 2012, o grupo abriu sua última empresa, a Scamatti e Seller. Neste ano, a Justiça Federal bloqueou os bens da Mineração Noroeste Paulista, de Votuporanga, em ação civil pública em que a União pede o ressarcimento de R$ 10,8 milhões à empresa por extrair basalto de área não permitida.

“Com trabalho sério, honesto e a dedicação de todos os seus colaboradores, o Grupo Scamatti constrói a sua história e busca a cada novo dia ampliar seus horizontes e alcançar novos mercados, aumentando sua área de atuação para todo o território nacional, mas sempre com o compromisso de atender os prazos e orçamentos de suas obras e com a satisfação total de seus clientes”, informa o grupo Scamatti no site da empresa.

Operação contra a corrupção é no País

O Ministério Público (MP), por meio do Grupo Nacional de Combate às Organizações Criminosas (GNCOC), em parceria com diversos outros órgãos, iniciou ontem a Operação Nacional contra a corrupção. O principal objetivo da operação é acabar com esquemas de corrupção que atuam em 12 Estados: Bahia, Ceará, Espírito Santo, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pernambuco, Paraná, Rio Grande do Norte, Rio de Janeiro, Rondônia e São Paulo.

As verbas públicas sob investigação, somadas, passam de R$ 1,140 bilhão, envolvendo desvios em órgãos municipais e estaduais, pagamento de propinas, superfaturamento de produtos e serviços, uso de empresas-fantasmas, lavagem de dinheiro, sonegação fiscal, enriquecimento ilícito de agentes públicos e outros suspeitos, como empresários.

De acordo com o procurador-geral do Ministério Público do Estado de Rondônia e presidente do Conselho Nacional dos Procuradores-Gerais, Everton Aguiar, responsável pelo GNCOC, a operação mostra que a União dos Poderes só tem proporcionado ganhos para a população. “Cada MP, por meio de seus Grupos de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas (Gaecos), está desenvolvendo operações de combate à corrupção de forma integrada.

Isso demonstra, de uma forma muito clara, que é possível que as forças do Estado trabalhem de maneira organizada contra esse mal que assola a sociedade atual. O Ministério Público brasileiro está fazendo sua parte”, disse.

Divulgação/Polícia Federal

Além de R$ 460 mil em dinheiro,armas também foram apreendidas

Demop se cala e políticos negam fraude

A Demop Participações não se pronunciou ontem sobre a Operação “Fratelli”. Na sede da empresa, em Votuporanga, uma secretária que não se identificou disse que o grupo não iria se manifestar a respeito da operação. Os advogados Pedro Luiz Riva e Lilian Amêndola Scamatti, que defendem a empreiteira em ações na Justiça, não retornaram os recados deixados em seus celulares.

Em nota, a Prefeitura de Votuporanga disse que “está contribuindo plenamente com as investigações”, por determinação do prefeito, Júnior Marão (PSDB). “Todo o material solicitado pelo Gaeco foi prontamente fornecido bem como informações dos setores de licitação e contabilidade.” Na Prefeitura de Olímpia, os policiais e promotores apreenderam três computadores, dos departamentos de contabilidade, financeiro e licitação. De acordo com a assessoria, as contas e processos licitatórios analisados já haviam sido aprovados pelo Tribunal de Contas.

“Sempre que temos dúvidas quanto à lisura de um processo, submetemos a análise do MP local, então creio que não teremos problemas”, informou o secretário de Assuntos Jurídicos, Edilson De Nadai, por meio da assessoria. Também em nota, a Prefeitura de Fernandópolis informou que “a atual administração tem interesse em dar publicidade de todos os atos da municipalidade, seja de que época for, contribuindo para o sucesso das investigações”. O ex-prefeito Luiz Vilar negou as acusações em entrevista à uma emissora de TV.

A assessoria da Prefeitura de Mirassol informou que todos os contratos com a Demop foram feitos por meio de licitações regulares. O advogado do ex-prefeito de Catanduva Afonso Macchione, Ricardo Hummel, disse que os promotores apenas recolheram documentos na prefeitura. “Não há nada contra ele”, disse.

O ex-prefeito de Urupês, Jaime de Mattos, defendeu a legalidade dos contratos com a Demop para recapeamento de ruas na cidade. “Posso garantir que tudo foi regular.” O advogado Orlando de Paula, que defende o ex-prefeito de Mendonça, Odair Milhossi, disse que seu cliente não se lembra se contratou a empreiteira durante sua gestão.

Antonio Carlos Favaleça, que governou Santa Fé do Sul entre 2009 e 2012, negou que tenha contratado a Demop na sua gestão. Os demais prefeitos e ex-prefeitos investigados na operação não foram localizados ontem.

Confira videorreportagem com a coletiva concedida à imprensa

 

Quer ler o jornal na íntegra? Acesse aqui o Diário da Região Digital

Fonte: Agência Estado

MP pede Cassação de Valdomiro Lopes, de 13 Vereadores e Fecha o Ralo da Corrupção com Dinheiro Público Promovido pelo Prefeito


Promotor afirma que lei que criou 240 cargos em agosto de 2011 serviu para ‘abrigar’ 60 apadrinhados

Rede Bom Dia – Rio Preto
 Além da perda de função pública, a ação de improbidade pede a suspensão dos direitos político do prefeito e dos vereadores por até 8 anos. O promotor que ainda quer que os acusados devolvam R$ 1,2 milhão pagos aos 60 apadrinhados no período em que ficaram no governo. O promotor também pediu pagamento de multa de  R$ 2,4 milhões ou de valor equivalente até cem vezes os  salários dos vereadores e do prefeito, de  R$ 4,8 mil e R$ 9 mil, respectivamente.
Os 13 vereadores são os que aprovaram a lei em agosto.  São eles:  Jorge Abdanur (PSDB), Manoel Conceição (PPS), Nelson Ohno (PSB), Walter Farath (PSB), Carlão dos Santos (PTB), Maurin Alves Ribeiro (PC do B), Alessandra Trigo (PSDB) e Eduardo Piacenti (PPS). O suplentes Jabis Busqueti (PTB), Irineu Tadeu (PSDB), Emanuel Pedro Tauyr (DEM), Márcio Sansão (DEM) e Gerson Furquim (PP), que exerciam mandato à época e também votaram a favor a lei, também foram acusados pelo MP
Estadão
Promotor pede cassação do prefeito de Rio Preto
Em São José do Rio Preto Executivo e Legislativo uniram-se para burlar decisão do TJ e permitir criação de 230 cargos
O Ministério Público Estadual pede a cassação do prefeito Valdomiro Lopes (PSB) e de 13 vereadores de São José do Rio Preto (SP). A ação civil pública, ajuizada pelo promotor Sérgio Clementino na 2.ª Vara da Fazenda Pública, vai contra a decisão do prefeito e vereadores da base governista, que aprovaram, em agosto de 2011, lei que criou 230 cargos em comissão, de livre nomeação do Executivo
Repercussões do pedido de cassação:

Aliança: Edinho Araújo – PMDB vai apoiar João Paulo Rillo – PT em São José do Rio Preto – SP

Deputado Federal atende pedido do vice-presidente Michel Temer e abre mão da candidatura em favor de petista; vice será do PMDB

 

O ex-prefeito de São José do Rio Preto, o deputado federal, Edinho Araújo (PMDB), abriu mão da candidatura à sucessão municipal e vai apoiar a chapa encabeçada por João Paulo Rilo (PT). Mauren Curi, vice de Edinho Araújo em seu primeiro mandato, foi indicada pelo PMDB como pré-candidata a vice-prefeita. A decisão foi tomada em reunião na noite dessa quinta-feira (03/05), da qual participaram o vice-presidente da República, Michel Temer, o presidente nacional do PT, Rui Falcão, o presidente do PT de São Paulo, deputado estadual Edinho Silva, e o presidente do PMDB paulista, deputado Baleia Rossi.

O diálogo entre as duas lideranças foi incentivada por Edinho Silva, que tem trabalhado para fortalecer no estado de São Paulo a aliança nacional PT-PMDB. “Esse é um dia histórico para quem acredita na política como instrumento para transformar a vida das pessoas. É o reencontro de uma história que começou lá atrás, quando o PT apoiou a candidatura do Edinho Araújo a prefeito pela primeira vez. Esse gesto do Edinho Araújo é de uma liderança que entende seu tamanho, seu papel e que vai irradiar para o Brasil porque coloca os interesses da comunidade à frente de quaisquer outros interesses”, disse. Ele acrescentou que Rio Preto terá muito a ganhar com a eleição de João Paulo Rilo. “O deputado é uma liderança que hoje ocupa papel de destaque na Assembleia Legislativa, ele é fundamental no debate de rumos da nossa bancada”, afirmou.

O presidente do PT ressaltou que a aliança com o PMDB na cidade não é conjuntural. “É um esforço para governar Rio Preto, para se pensar num projeto político para desenvolver a cidade, assim como está ocorrendo com o Brasil. Se estamos aqui hoje é porque PT e PMDB têm uma tarefa histórica de transformar a vida do povo brasileiro. Lula deu início ao maior processo de inclusão, colocou o Brasil de pé no mundo. Dilma dá continuidade e aprofunda esse projeto. Hoje o PMDB ocupa o centro, é o equilíbrio na correlação de forças políticas que tem feito o Brasil avançar. E o vice-presidente Michel Temer simboliza esse equilíbrio, essa ponderação nos momento mais difíceis”, salientou Edinho Silva.

O presidente do PMBD paulista, Baleia Rossi, destacou que a aliança com o PT na cidade traz um novo olhar para São José do Rio Preto. Segundo ele, o deputado Edinho Araújo recebeu um chamado de Michel Temer, que o convidou para participar ativamente das campanhas do PMDB em todo o Brasil. “Edinho, com toda sua ponderação, atendeu a esse chamado. Poderá se doar ao partido, à causa nacional”, pontuou.

Baleia acrescentou que o PMDB está feliz e confiante com aliança com o PT também em Rio Preto. “Queremos repetir aqui a mesma aliança vitoriosa que governa o Brasil e tenho convicção de que o resultado será plenamente positivo para a cidade”, ressaltou.

O deputado Edinho Araújo lembrou que em 2012 completa 40 anos de vida pública e agradeceu o PT pelo acolhimento nas eleições que disputou para a prefeitura. “Estamos juntos novamente pelo sentimento democrático de nos indignar diante da injustiça, pela vontade de acabar com a miséria e fazer de Rio Preto uma cidade onde a riqueza seja distribuída à toda a população”, comentou.

Segundo ele, João Paulo tem todas as condições para fazer uma gestão democrática, aberta ao diálogo com a comunidade em busca do desenvolvimento da cidade. “Quero estar ao lado dele. Vamos juntos reeditar aqui em Rio Preto a aliança nacional que deu certo com Dilma e Temer. Rio Preto fará história”, destacou.

João Paulo Rilo disse que o mais importante é a formatação de um projeto para o desenvolvimento democrático e sustentável de São José do Rio Preto. “Faremos campanha proativa, uma campanha de propostas que vai linkar Rio Preto com o desenvolvimento nacional. Não tem eleição ganha e nem perdida. O que tem é processo democrático e não vamos perder um único segundo de debate franco e direto com a população, assim como com os outros partidos para juntos definirmos um projeto de democracia e de futuro para Rio Preto”, afirmou.

Noroeste Paulista. Encontro Regional Grandes Lagos de Pontos de Cultura do interior do Estado de São Paulo

EM JALES, DIA 9 DE FEVEREIRO, DEBATE SOBRE A POLITICA CULTURAL E SEU FINANCIAMENTO

 

Os Pontos de Cultura das macros Grandes Lagos e Araçatuba se reunirão no próximo dia 09/02, das 13:30h às 17:00, no Centro Cultural Dr. Edílio Ridolfo. Na ocasião os “ponteiros”, como são conhecidos os agentes culturais que fazem parte desse programa, irão debater temas como as prioridades dos Pontos de Cultura das regiões de São José do Rio Preto e Araçatuba, a Sustentabilidade, entre outros assuntos.

Os Pontos de Cultura fazem parte de uma ação prioritária do Programa Mais Cultura, do MinC. A iniciativa visa firmar convênios, por meio da seleção por editais públicos, nos quais as entidades são responsáveis por articular e impulsionar as ações já existentes nas suas comunidades.

Existem três Pontos de Cultura conveniados hoje, aqui em Jales: o Ponto de Cultura Criança Feliz, a Escola Livre de Teatro e o Grupo Taikô, do Nipo Jalesense. E, como foi divulgado recentemente, em breve a cidade poderá ter mais cinco novos Pontos de Cultura, o que só faz fortalecer ainda mais a Rede e, conseqüentemente, trará muito mais conquistas para Jales e região.

Agenda Presidencial. Entrevista a rádio, entrega de unidades habitacionais e executivos do Grupo Isoluxe e Toshiba Corporation

Todos sabemos a agenda da Presidenta Dilma. Voce sabe a agenda de seu governador, de seu prefeito?
Agenda presidencial Nesta sexta-feira (19/8), a agenda de trabalho da presidenta Dilma Rousseff tem início com viagem a São José do Rio Preto (SP). O primeiro compromisso na cidade paulista é entrevista à rádio Metrópole AM.

Em seguida, a presidenta se desloca para o Parque Residencial Nova Esperança, onde participa da cerimônia de entrega de unidades habitacionais do programa Minha Casa, Minha Vida.

No início da tarde, a presidenta vai para Brasília (DF). Já no Palácio do Planalto, Dilma Rousseff recebe o presidente do Conselho de Administração do Grupo Isolux, Luis Antonio Delso Heras, e, em seguida, o presidente mundial da Toshiba Corporation, Norio Sasaki.

Artigos relacionados

Dilma estará em São José do Rio Preto dia 19/8. Você é nosso convidado.

 

Companheiros e Companheiras

 

Sexta-feira próxima, dia 19, nossa presidenta Dilma estará em São José do Rio Preto para participar da entrega das chaves das 2.500 casas do Parque Nova Esperança, empreendimento financiado com recursos do “Minha Casa, Minha Vida”. Todos nós sabemos da importância deste programa e do impacto que ele vem causando na distribuição de renda e na conquista da casa própria por setores da população mais necessitada.

 

É muito importante a presença das lideranças e dirigentes petistas do estado neste evento que, não temos dúvidas, vai ser um marco no desenvolvimento da região e transformar as condições de vida da população.

 

19 de agosto de 2011

 

10 horas

 

RESIDENCIAL NOVA ESPERANÇA

Região Norte – Após o Parque da Cidadania

 

São José do Rio Preto – SP

 

 

Saudações Petistas

Dep. Est. Edinho Silva
Presidente do PT/SP

Noroeste Paulista: Alckmin visita Araçatuba apenas para relembrar investimentos já anunciados

Na manhã de ontem (29), o governador Geraldo Alckmin esteve por algumas horas em Araçatuba, mais precisamente no aeroporto Dario Guarita, onde concedeu uma breve entrevista coletiva à imprensa. Foi a terceira passagem do governador por Araçatuba somente neste ano. Durante a passagem, o governador apenas relembrou investimentos já anunciados em abril deste ano. Entre os assuntos discutidos com o jornalista estava a destinação do Hospital Modelo, prédio abandonado há mais de 40 anos no município. Questionado sobre a necessidade de definir o que será feito com o prédio, Alckmin afirmou que a Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania aguarda apenas um laudo que está sendo feito pela Companhia Paulista de Obras e Serviços (CPOS), órgão ligado ao governo. Segundo Alckmin, o laudo vai garantir que seja dada uma destinação correta ao prédio. “É um prédio antigo, então a estrutura precisa ser avaliada”, afirmou o governador. Foi a única novidade anunciada pelo governador.

“PROMETHEUS”      E O PREFEITO CIDO SÉRIO

Porém, o governador não esteve em Araçatuba para falar sobre o Hospital Modelo. Na chegada ao aeroporto, a assessoria de imprensa de Alckmin já informou aos jornalistas que o principal assunto a ser debatido era os investimentos nos aeroportos, incluindo o Dario Guarita. O problema é que o governador já havia anunciado investimentos no aeroporto local quando esteve em Araçatuba em abril para entregar o helicóptero Águia da Polícia Militar.
Ontem, Alckmin ‘lembrou’ dos investimentos e informou que serão aplicados R$ 21 milhões só no Dario Guarita. Entre os investimentos está a adequação das vias de acesso (R$ 2 milhões) e reforma da pista (R$ 10 milhões), além de terraplenagem, implantação de esteiras de raio-x e reforma do terminal de passageiros. “A aviação nacional cresceu muito neste ano e o governo viu a necessidade em investir nos aeroportos”, disse. Segundo Alckmin, além do aeroporto de Araçatuba, serão investidos R$ 5 milhões no aeroporto de Votuporanga e R$ 10 milhões no de São José do Rio Preto.
Conforme o governador, o Dario Guarita vai receber ainda uma rede de tratamento de esgoto, dois veículos de combate de incêndios e também a construção de um novo prédio para a brigada de incêndio, além de taxiway, uma faixa de pista em um aeródromo em que a aeronave pode rolar (taxiar) de ou para um hangar, terminal ou pista. De acordo com o governador, a obra da taxiway deve começar já em agosto e as demais estão em processo de licitação.

ELYESER MONTENEGRO MAGALHÃES
Uma das maiores ‘brigas’ das administrações municipais com o governo paulista é com a duplicação da Rodovia Elyeser Montenegro Magalhães. Também anunciada em abril, o governador lembrou novamente que serão duplicados aproximadamente 8,5 quilômetros da pista. Segundo ele, a licitação da obra está marcada para o dia 30 de agosto.

FACULDADE DE MEDICINA

Alckmin informou ontem aos jornalistas que o governo não tem poder para interferir na escolha de uma cidade para que a Universidade Estadual Paulista (Unesp) instale cursos. “É uma decisão da própria universidade”, disse o governador.
Segundo ele, as faculdades têm autonomia para definir em quais cidades vão instalar novos cursos e campus. No entanto, Bauru é que deve receber uma faculdade de medicina nos próximos anos. “Araçatuba não está descartada, porém não compete ao governo e sim à faculdade. Eu apoio a implantação de faculdade de medicina em Araçatuba, Bauru e na zona leste de São Paulo”, disse.

SAÚDE

Ainda durante visita a Araçatuba, antes de seguir para Promissão e Marilia, Alckmin informou que nos próximos meses a Santa Casa de Araçatuba deve receber mais R$ 600 mil para a compra de equipamentos e que pretende implantar, além dos dez que já devem ser construídos, outros dez leitos de UTI neonatal na instituição. Ainda na manhã de ontem, o governador defendeu a regionalização da saúde, implantando centros nas principais cidades do Estado para evitar o deslocamento de pacientes para outros municípios. “A Santa Casa de Araçatuba já é um hospital regional, mas precisa de mais investimentos para continuar atendendo a demanda de pacientes da região”, disse.

No final da entrevista coletiva, o governador disse, também, que caso o Sistema Único de Saúde (SUS) não atualize sua tabela de valores, as Santas Casas poderão ‘quebrar’. “O governo federal deve ao governo paulista na área da saúde e nós estamos com um déficit de R$ 900 milhões”, informou.

Após a entrevista, Alckmin seguiu para Promissão onde inaugurou o Ambulatório Médico de Especialidades (AME) e depois para Marilia, onde também anunciou novidades para o aeroporto local.

by: O Liberal Regional via (ninho da vespa)

Voce também poderá gostar de ler:

>Deputada Analice Fernande PSDB Campeã de Gastos na Alesp culpa falta de aeroporto

>Privatização dos Aerorportos – Aprender com os erros do passado

>Governador Geraldo Alkmin PSDB no Noroeste Paulista

%d blogueiros gostam disto: