Conselho de Ética rejeita representação contra Valdemar Costa Neto

Por 16 votos a 2, o Conselho de Ética e Decoro Parlamentar rejeitou há pouco a admissibilidade do processo contra o deputado Valdemar Costa Neto (PR-SP). Ele era acusado de participar de um suposto esquema de superfaturamento de contratos no Ministério dos Transportes.

O relator, deputado Fernando Francischini (PSDB-PR), havia defendido em seu parecer a abertura das investigações, a partir de uma representação feita por Psol e PPS.

A reunião ocorreu no Plenário 4.

Reportagem – Carolina Pompeu
Edição – Marcelo Oliveira

Conselho de Ética instaura processo contra Valdemar Costa Neto na quarta-feira

O Conselho de Ética e Decoro Parlamentar se reúne na quarta-feira (17) para instaurar o processo contra o deputado Valdemar Costa Neto (PR-SP), atendendo representação do Psol e do PPS. Na reunião, também será feito o sorteio da lista tríplice para escolha do relator desse processo.

Psol e PPS querem investigar a atuação de Costa Neto e de pessoas da confiança do parlamentar no Ministério dos Transportes, alvo de diversas denúncias de irregularidades, e em outros postos do governo federal.

O conselho também realizará a eleição do 1º e do 2º vice-presidentes do colegiado.

A reunião está marcada para as 14h30, no Plenário 11.

Psol e PPS protocolam pedido de investigação contra Valdemar Costa Neto

Gilberto Nascimento
Roberto Freire
O deputado Roberto Freire assina a representação pelo PPS.

O Psol e o PPS apresentaram há pouco uma representação no Conselho de Ética e Decoro Parlamentar contra o deputado Valdemar Costa Neto (PR-SP). Os dois partidos pedem que se investigue a atuação de Valdemar e de pessoas de sua confiança no Ministério dos Transportes e em outros postos do governo federal.

A representação se baseia em reportagens publicadas pelas revistas IstoÉ e Veja com denúncias de corrupção no ministério, cuja gestão é exercida pelo PR.

No texto, os partidos afirmam que as graves denúncias, além de constituírem indícios da prática de atividades ilícitas, caracterizam atitudes que desprestigiariam a Câmara dos Deputados e os seus membros.

A representação é assinada pelos presidentes do Psol, Afrânio Boppré, e do PPS, deputado Roberto Freire (SP).

Defesa

O líder do PR, deputado Lincoln Portela (MG), disse que as denúncias são requentadas: “Não há nenhuma prova e nós estamos em um Estado democrático de Direito, no qual a presunção de inocência é de fundamental importância. Então, lamentavelmente, eles procurarão alguma coisa e, por certo, não encontrarão.”

(*) Matéria atualizada às 18h52.

Da Redação/ JMP

%d blogueiros gostam disto: