Festa de peão… (via blog do poletto)

Festa de peão…

“Rodeios são absolutamente desnecessários e alegram somente pessoas de poucas exigências para se divertir. E a tradição? O rodeio é uma tradição dos Estados Unidos. E a tradição dos canibais? Precisamos copiar o que é ruim?”

(Rita Lee)

Todos os meses muitas cidades deste Brasil entram naquela fase do ópio coletivo, ou seja, todo mundo, digo, quase todo mundo anestesiados com as chamadas festas de peão disfarçadas de Feiras Agropecuárias. Bem, mas elas duram no máximo uma semana e como eu não entendo nada dessas coisas poderia começar este artigo com a seguinte frase: O Ministério da Saúde e Cultura Adverte – Festa de Peão e Musica Sertaneja Fazem Mal a Saúde e a Cultura.

Rodeio faz mal a saúde? Sim e os rodeios são festas que atraem milhares de pessoas – será que os animais também gostam dessas festas? Ainda mais quando é usado o sedém? (espécie de corda amarrada na parte traseira dos animais de forma a comprimir os órgãos genitais).

O sedém causa uma dor intensa que provoca os desesperados corcovos – e o público aplaude! E as éguas pulam tão “engraçadas” porque algum “tradicionalista” colocou cacos de vidro na vagina dela. Nenhum animal volta do rodeio sem traumas!

Apesar da origem norte-americana, até mesmo por lá esta prática não tem sido considerada cultural, havendo, inclusive, várias cidades  já proíbem essas práticas em seu território, entre elas Fort Wayne (Indiana) e Pasadena (Califórnia). Aqui no Brasil, diferentemente do que dito por muitos, a prática do rodeio nada tem de cultural, tratando-se de uma cópia do modelo norte-americano.

Os animais utilizados nas práticas de rodeios sofrem flagrantes maus-tratos, podendo-se rebater facilmente qualquer argumentação contrária, tendo-se em vista que existem diversos laudos oficiais atestando o sofrimento e maus-tratos aos animais utilizados em variadas práticas, destacando-se os laudos emitidos pela Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da USP e do Instituto de Criminalística do Rio de Janeiro.

Temos ainda as argumentações dos organizadores de rodeios:- Sedém não causa dor, apenas cócegas. Como eu adoro ser enganado. O sedém, ao comprimir a região dos vazios do animal, provoca dor, porque nessa região existem órgãos como parte dos intestinos, bem como a região do prepúcio, onde se aloja o pênis do animal. Portanto, o ato do animal corcovear é a comprovação de sua dor e estresse, fazendo com que instintivamente tente se livrar de todos os apetrechos que lhes colocam;

– O animal trabalha apenas por 8 segundos: 8 segundos é o tempo que o peão deve permanecer no dorso do animal, porém deve-se lembrar que o sedém é colocado e comprimido tempos antes do animal ser colocado na arena (ainda no brete) e também tempos depois da montaria. Além disso, há declarações de peões de que treinam de 6 a 8 horas diárias, portanto, todo este tempo o animal estará sendo maltratado.

O rodeio é o resultado desse quase abandono de políticas públicas. Todos nós sabemos que no interior corre a riqueza, a miséria, falta de lazer, cultura, os principais dramas humanos. O Brasil ainda está amadurecendo no o seu processo de industrialização e o que temos é uma mistura próximo do surrealismo, onde não faltam injustiças, trabalho escravo e uma cultura próxima da barbárie.

Não pretendo enveredar pela análise acadêmica, no entanto a questão dos rodeios colocada como aí está merece um estudo mais aprofundado.

A origem dessas festas deve-se a invenção de uma atividade para congregar os peões. Se alguém contestar isso vai ser uma festa, mas contra a historia pouco se pode fazer, a não ser analisá-la. Citei isso só para relacionar o rodeio a um circo romano, dos “bons tempos” de Herodes, é claro.

No rodeio os animais sempre serão maltratados, como maltratados estarão, também, os ouvidos de muitas pessoas com os culturais shows dessas feiras. Pobre cultura essa nossa!

Amém.

Publicado originalmente no blog do poletto

Anúncios

2 Respostas

  1. total ignorancia, va estudar anatomia.

  2. quem escreveu isso ai nem sabe oq está falando, os bois não podem pular mais de uma vez por dia, pois se não “afinam” que na linguagem do rodeio, quer dizer que ele cansa, e depois não quer pular.na hora do rodeio, não existe isso de amarrar os testiculos,passa sim um seden no boi, que causa cócegas no animal, quando se aperta muito, ai sim ele sente dor, mas não pula, apenas deita no chão,e boi deitado não nos interessa,agora quanto a ser maltratado, o tropeiropaulo emilio tem um touro por nome BIPOLAR,foi comprado 50 % do boi por 85 mil reais, então é uma casa boa, é um carro bom…alguém acha mesmo que um bicho desse seria maltratado?? vc nunca vai ver boi magro em rodeios, de 1000 bois 50 pulam, dos 50 , 10 pula bem, talvez de 1000 bois se tira apenas 1 que pule muitooo, então ele será tratado como atleta.pessoas que falam de rodeio, nunca entraram em uma arena pra saber como é, e ficam falando coisas que nem sabem como funciona.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: