Campinas – Tucanos apoiariam candidato do PSB de olho em apoio na capital.

PSDB aprova aliança com o Deputado Federal Jonas Donizete para outubro

Pela primeira vez, tucanos não terão candidato próprio e vão indicar vice

Milene Moreto

Pela primeira em sua história, o PSDB de Campinas não terá candidato próprio a prefeito. Por decisão do diretório municipal, em reunião que avançou a madrugada na última sexta-feira, o partido aprovou o apoio à candidatura do deputado federal Jonas Donizette (PSB) nas eleições de outubro, indicando o vice na futura chapa — o nome ainda será discutido pela sigla e só deverá ser apresentado entre abril e maio. A decisão não foi unânime: integrantes ligados ao Instituto Teotônio Vilela votaram contra a parceria.

Segundo a deputada estadual Célia Leão, presidente do diretório municipal tucano, a aliança com o PSB inclui, além da vaga de vice, a indicação de nomes do partido para compor o eventual governo de Jonas na Prefeitura. “Vou levar agora a decisão do diretório campineiro à executiva estadual, que deverá referendá-la, mas já há orientação para isso (apoio a Jonas)”, afirmou Célia.
A decisão de apoiar Jonas já vinha sendo articulada pelo grupo de Célia e do deputado federal Carlos Sampaio, com o aval do governador Geraldo Alckmin (PSDB), que prefere que o partido apóie nomes do PSB nos principais centros do Interior do Estado em troca da parceria com o partido de Jonas na Capital paulista. A informação foi antecipada pela coluna Xeque-Mate, do Correio, no último dia 27.

Aos poucos, o PSDB retorna ao poder em Campinas. A última ação do partido foi decidir não lançar candidatura própria na eleição para o mandato-tampão na Prefeitura, que até então seria indireta. Em troca, a legenda ganhou espaço na Administração. O primeiro contemplado foi o vereador Valdir Terrazan (PSDB). O tucano assumiu o comando da Secretaria de Serviços Públicos, pasta polêmica e que concentra hoje boa parte da demanda do Executivo.

A decisão — considerada um ato “pessoal” pela direção do PSDB campineiro — de Terrazan de integrar o governo do atual prefeito, Pedro Serafim (PDT), causou um racha no partido. O vereador Artur Orsi (PSDB) disse que não concorda com a participação da legenda na atual gestão e ratificou sua posição de opositor dentro da Câmara. Orsi, inclusive, é o nome mais forte nos bastidores para ser o vice de Jonas. O partido ainda teria outras opções, como a diretora-executiva da Agência Metropolitana de Campinas, Ester Viana, e o pró-reitor da Unicamp Paulo Eduardo Moreira Rodrigues da Silva. Célia, o deputado federal Carlos Sampaio e o secretário de Transportes Metropolitanos, Jurandir Fernandes, já definiram que não colocarão seus nomes a vice.

O nome de Orsi ganhou força no ano passado, quando o vereador foi o responsável pela denúncia que culminou na cassação do então prefeito Hélio de Oliveira Santos (PDT). O tucano ficou em evidência pelo trabalho de investigação e de oposição na Câmara.
Jonas disse que se sente honrado em ter o PSDB como vice na sua chapa. No entanto, evitou palpites sobre o nome que irá integrar a aliança. “Essa é uma decisão interna do PSDB. O partido tem muitos nomes fortes para indicar”, afirmou.

Candidaturas

Fundado em 1988, o PSDB lançou candidato a prefeito em todas as eleições em Campinas. Naquele mesmo ano, Vanderlei Simionato foi o primeiro concorrente ao Palácio dos Jequitibás, sem sucesso. Quatros anos depois, José Roberto Magalhães Teixeira — um dos fundadores do PSDB e até hoje referência maior do partido na cidade, que já havia sido prefeito de Campinas pelo PMDB — disputou e venceu o pleito. Em 1996, Célia foi a candidata, mas perdeu a disputa para Chico Amaral (então PPB, hoje no PMDB). As três eleições seguintes (2000, 2004 e 2008) foram disputadas por Sampaio, que perdeu todas, o que contribuiu para o desgaste do partido em Campinas.

Uma resposta

  1. esse tipo de parceria e fundamental para que os partidos tenha uma visao genuina do problemas sociais do pais, e deixando de lado a religiosidade ideologica que nao traz beneficio para o cidadao comum. Apenas beneficia os corriligionarios ideologicos.

    Os interesses do pais e do cidadao deve estar acima das questoes ideologica que seja de direita ou exquerda.

    Sidney Pires
    Ativista Cristao
    Sempre na luta por um Brasil livre!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: