PT de São Paulo tem uma nova corrente socialista e de massas

 

A nova tendência está presente em onze macrorregiões do estado de São Paulo.
Por Nova corrente socialista e de massas do PT

No sábado, 26 de novembro, aconteceu na sede do PT Nacional, em São Paulo, a etapa estadual do Congresso de fundação da Nova corrente socialista e de massas do Partido dos Trabalhadores.

Em São Paulo, a nova tendência é formada pelos integrantes do movimento Inaugurar um Novo Período e da Tendência Marxista e se propõe a aglutinar e organizar os setores à esquerda no partido para disputar os rumos do PT e, assim, contribuir para posicionar o PT à esquerda e para que ele se estabeleça como um partido capaz de propor novos(as) protagonistas na história do país, de impulsionar as lutas, de constituir massa crítica e de mobilizar a sociedade.

“Nosso compromisso com a fundação da nova tendência é ajudar a construir um novo período no PT, no qual o marxismo não seja tratado como letra morta e no qual mulheres, negros, LGBT, lutadores do campo e da cidade, a juventude sejam compreendidos como setor estratégico da classe e que a participação popular se dê além das campanhas eleitorais”, afirma Angélica Fernandes, membro da nova tendência e do diretório estadual do PT-SP.

Na abertura dos trabalhos, o secretário de Movimentos Populares e Políticas Setoriais do PT-SP, Antonio Storel, fez uma saudação aos presentes em nome do grupo “Garantia de Luta”.

Conjuntura Internacional, Nacional e Estadual

A primeira mesa de trabalhos, formada por integrantes da nova tendência, analisou as conjunturas nacional e internacional. Participaram dessa mesa os companheiros Julian Rodrigues, coordenador nacional do setorial LGBT, Tiago Nogueira, vereador em Santo André e membro da executiva estadual do PT-SP, e a companheira Angélica Fernandes.

Sobre a conjuntura internacional, foi ressaltado que é consenso que há e é grave a crise política, econômica e cultural do sistema capitalista, que existem muitas explicações sobre sua natureza, que as várias manifestações e mobilizações que estão ocorrendo em todo o mundo, mesmo tendo o foco anticapitalista, estão longe de apresentar uma direção e uma proposta alternativa ao capitalismo.

Foi avaliado também que a esquerda socialista tem dificuldades para propor uma alternativa diante da crise do capital. “Falta para a esquerda socialista no mundo acúmulo teórico que faça um balanço da trágica experiência das tentativas socialistas do século XX e prepare o terreno para a elaboração de uma teoria de transição anticapitalista. Há também a necessidade da esquerda ampliar a capilaridade social e reestabelecer laços com os trabalhadores, a pequena burguesia, a intelectualidade progressista, a juventude, os agentes culturais, as mulheres, as etnias discriminadas, enfim, todos aqueles setores que são susceptíveis a integrar um projeto emancipador”, analisa Julian Rodrigues.

Sobre a conjuntura nacional, foi avaliado que ela é marcada por uma situação sem semelhança. O governo é presidido por uma petista que sucedeu a presidência de outro petista, no entanto, no campo institucional e parlamentar, ambos fixaram-se nos limites de um governo de coalizão. Nesse cenário, o PT foi lançado à condição de base sustentadora de um governo complexo, pluriclassista e contraditório, no qual inequívocos avanços se misturam a situações estagnadas e, até mesmo, constrangedoras em relação ao ideário democrático e popular.

“O papel a que nos propomos nesse contexto é o de compreender e impulsionar o PT como oposição de fato aos governos do PSDB e do PSD em São Paulo. É preciso enfrentar a escalada conservadora que Alckmin lidera, com repressão aos movimentos sociais. O PT não pode vacilar”, explica Tiago Nogueira.

Nova tendência está presente em 11 macros de SP

A nova tendência está presente em onze macrorregiões do estado de São Paulo. Participaram do Congresso de fundação companheiros(as) da capital paulista, Guarulhos, Suzano, Arujá, Santo André, São Bernando do Campo, Diadema, Campinas, Hortolândia, Sorocaba, Votorantim, do Noroeste Paulista estavam companheiros(as) de Jales e de São Francisco, e do Pontal do Paranapanema, companheiros(as) de Mirante do Paranapanema, Sandovalina e Teodoro Sampaio.

Encontro Estadual da corrente será em abril

Um grupo de trabalho foi composto para encaminhar no estado de São Paulo as questões relacionadas à corrente até a realização do Encontro Estadual, que deve acontecer em abril, no qual será eleita a direção da nova tendência.

Compõem o grupo de trabalho os (as) companheiros(as): Angélica Fernandes (Santo André – Região ABCD), Fabiana Caramez (Região Sorocaba), Tais Maciel (Araras -Região Campinas), Kelly Cristina (Guarulhos – Região Alto Tietê), David Costa (Santo André – Região ABCD), Tiago Soares (Guarulhos – Região Alto Tietê), Julian Rodrigues (Capital), José Haroldo Thunder (Votorantim – Região Sorocaba), Marcio Ladeia (Capital).

A próxima reunião da nova tendência em São Paulo ficou agendada para os dias 29 e 30 de janeiro de 2012.

Maior corrente de esquerda do PT

O Congresso Nacional de fundação da nova tendência petista irá acontecer no próximo final de semana, de 2 a 4 de dezembro.

A abertura oficial do Congresso será realizada no dia 2, às 19h, na sede do PT Nacional em São Paulo.

O Congresso tem continuidade nos dias 03 e 04 na Escola Nacional Florestan Fernandes, do MST, no município de Guararema.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: