Dirce Reis é a cidade do Noroeste Paulista com maior índice de pessoas que não sabem ler e escrever

Analfabestismo na região: superior à média estadual

A taxa de analfabetismo em cem das 104 cidades da região pesquisadas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) é mais alta do que a média do Estado de São Paulo. Somente Rio Preto, Bady Bassitt, Barretos e Ilha Solteira ficaram com índices abaixo ou iguais ao da média do Estado.

Segundo o levantamento de 2010, a média estadual é de 4,3% de analfabetos. Porém, em Dirce Reis a porcentagem de habitantes que declarou não saber ler nem escrever é de 13,9%. Em Mesópolis e Guzolândia, a porcentagem é de 13,6% cada.

O diretor do departamento de Educação de Guzolândia, Edson Ferrari, atribui o alto índice da cidade ao corte da cana-de-açúcar. “Muita gente de outros lugares vem trabalhar, principalmente na época da safra, e é analfabeto. Isso aumenta nosso índice. A gente vai atrás, coloca anúncio no rádio, carro de som, mas eles não têm vontade de estudar”, afirma Ferrari. “As aulas da Educação de Jovens e Adultos são ministradas à noite, e essas pessoas acordam muito cedo para trabalhar. Isso dificulta e a gente fica sem ter o que fazer”, diz o diretor.

O professor universitário e especialista em indicadores educacionais José Francisco Soares considera inaceitáveis índices tão altos no Estado de São Paulo. “As cidades, por menores que sejam, devem ir em busca dessas pessoas e e tentar convencê-las a se alfabetizarem. Essas pessoas são, cada vez mais, excluídas do mercado de trabalho”, afirma.

Dirce Reis é a cidade da região com maior índice de pessoas que não sabem ler e escrever: 13,9%. Mas, para o secretário Municipal de Educação, Fábio Rogério Pagani, o resultado é consequência da baixa população da cidade. “Temos apenas 1.687 habitantes. Ficamos em desvantagem quando a análise é em proporção.” “Temos investido muito em educação, com programas de bolsa de estudos e projetos do governo estadual, como o EJA. Agora também estamos aderindo ao Analfabetismo Zero, do Governo Federal. Estamos batalhando para diminuir esse índice”, diz Pagani.

Taxa de Analfabetismo na região a partir dos 15 anos

Município 2000 – 2010

Rio Preto 5,4 – 3,2

BadyBassit 6,43 – 3,9

Barretos 6,2 – 4,2

Ilha Solteira 5,2 – 4,3

Jales 9,1 – 5,7

Votuporanga 8,2 – 5,2

Fernandópolis 9,2 – 6,0

Santa Salete 13,5 – 6,4

Santa Fé do Sul 10,4 – 6,4

Rubinéia 11,9 – 7,1

Estado em 2000 – 6,6

Estado em 2010 – 4,3
Fonte: Diário Web

Publicado originalmente em Blog do Grigolin

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: